Caldeirão Literário do Pernambuco (Sandoval Ferreira)

Sandoval Ferreira
(1983 Iati/Pernambuco)

O curandeiro da feira

Sou curandeiro da feira
De tudo tem pra curar
Seja de dor de barriga
Ou até no calcanhar
Tenho pumada e raiz
E garanto não faia

Tem o óleo da mamona
Pro sinhô ficar, mas moço.
Ajeita tudo que é prega
Remenda tudo que é couro
Lhe deixa novo tinido
Estrala tudo que é osso

Tem a castanha atalaia
Que vale pra dez doença
Menos aquela das cornura
Que coisa das desavença
Mas se espiela caída
Ou farta de paciência passe
A bendita pumada que cura
Sua doença.

E se o senhor ta veio
E no agüenta mas nada
O Passarim no levanta
No canta nem faz zuada
Sua muié só reclama que
A seca ta pesada.

Ao invés de te chamar
De bem ela te chama
De barriga inchada
Home tome catingueira
Que a doença ta curada

E se vosmicê é moça veia
E quer arranjar namoro
Quer encontrar o cabra
Que venha apagar seu fogo
Vou lhe ensinar uma prece
Pra você ganhar o moço.

Por fim sou curandeiro
Da feira em todo canto
Me acho quando quiser
Me achar procure de cima
Abaixo que você vai encontrar
Não sendo pra reclamar
E nem pra comprar fiado
Eu posso lhe ajudar.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Caldeirão Literário, O poeta no papel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s