Jogos Florais de Nova Friburgo de 1960 a 2008 (Vencedores)

1960 – AMOR
Não me chames de senhor
que eu não sou tão velho assim,
e ao teu lado, meu amor,
não sou senhor…nem de mim!
Rodriges Crespo (Belo Horizonte)

1961 – SAUDADE
Maria, só por maldade,
deixou-me a casa vazia
Dentro da casa: a saudade!
e na saudade: Maria!
Anis Murad (Rio de Janeiro)

1962 – CIÚME
Quanto mais teu corpo enlaço
mais padeço o meu tormento,
por saber que o meu abraço
Não prende o teu pensamento
Jesy Barbosa (Petrópolis)

1963 – VIDA
Esta engrenagem, que é a vida
esmaga a todos, sem dó
e a gente, aos poucos moída,
de novo volta a ser pó.
Paulo Emílio Pinto

1964 – BEIJO
Ao beijar a tua mão,
que o destino não me deu,
tenho a estranha sensação
de estar roubando o que é meu…
Durval Mendonça (Rio de Janeiro)

1965 – MULHER
No dia em que tu quiseres
ser meu senhor e meu rei,
serei todas as mulheres
na mulher que te darei.
Nydia Iaggi Martins (Nova Friburgo/RJ)

1966 – DESPEDIDA
Meu lenço, na despedida,
tu não viste em movimento:
– Lenço molhado, querida,
Não pode agitar-se ao vento.
Carlos Guimarães (Nova Friburgo/RJ)

1967 – NOITE
Noites feitas de saudade,
de lembranças, de meiguice…
-Tão curtas na mocidade
E tão longas na velhice!
Alfredo de Castro (Pouso Alegre/MG)

1968 – NOVA FRIBURGO
Amanhece. A névoa fina
vai aos poucos se extinguindo…
E o Sol, varrendo a neblina,
mostra Friburgo…sorrindo!
Daniel de Carvalho

1969 – ABANDONO
Sozinho…o tempo passando,
um dia vai, outro vem…
Meu Deus! Maria chegando,
abro meus olhos…ninguém!
Rubens de Castro

1970 – PRESENÇA
Aérea, fluída, de gase…
corpo volátil de essência…
sua presença era quase,
como se fosse uma ausência…
João Rangel Coelho (Rio de Janeiro/RJ)

1971 – ANGÚSTIA
Na minha angústia, calado,
eu vi no espelho outro dia,
um rosto amargo e cansado
– Meu Deus do céu, quem seria?…
Walter Sanches

1972 – SILÊNCIO
Nessas angústias que oprimem,
que trazem o medo e o pranto,
há gritos que nada exprimem,
silêncios que dizem tanto…
Luiz Otávio (Rio de Janeiro/RJ)

1973 – RETICÊNCIAS
Mãos tristes temendo ausências
se despedem com revolta…
Nosso adeus tem reticências
que acenam dizendo…Volta!
Carolina Ramos (Santos/SP)

1974 – FIBRA
Cabelos brancos ao vento,
-Saudade feita de neve – !
Mil fibras de sentimento
dizendo a tudo: Até breve!…
Helvécio Barros (Bauru/SP)

1975 – ENCONTRO
Eu e tu , duas metades
Que a vida vai separando…
Eu e tu, duas saudades
Na saudade se encontrando
Izo Goldman (São Paulo/SP)

1976 – CULPA
Ante as sandálias furadas
que entre cascalhos gastei,
não culpo o chão das estradas,
culpo os maus passos que dei.
José Maria Machado de Araújo (Rio de Janeiro)

1977 – CONFLITO
No conflito de um desgosto,
por saber que não me queres,
vivo em busca do teu rosto
no rosto de outras mulheres…
Octávio Venturelli (Nova Friburgo/RJ)

1978 – OCASO
Na paixão em que me abraso
tanto sol tem minha estrada,
que eu não troco o meu ocaso
pela mais linda alvorada!
Alcy R. Souto Maior (Rio de Janeiro/RJ)

1979 – AUSÊNCIA
Não diga adeus nem brincando,
o adeus é irmão da saudade,
e alguma ausência, escutando,
pode pensar que é verdade…
Octávio Venturelli (Nova Friburgo/RJ)

1980 – RUMO
Fim do meu rumo. Eu grisalho
dos netos entre os carinhos,
pareço um velho espantalho
cercado de passarinhos.
Romeu Gonçalves da Silva

1981 – VIDRAÇA
Entre esperas e demoras,
que a solidão descompassa,
já nem sei quantas auroras
vi chegar pela vidraça!…
Vasques Filho (Fortaleza/CE)

1982 – FUGA
Em passos e contrapassos,
ao som de acordes tristonhos
sempre foges dos meus braços
no bailado dos meus sonhos…
Vasques Filho (Fortaleza/CE)

1983 – QUASE
São quase uma eternidade
minhas noites de abandono,
porque em meu quarto a saudade
se deita, mas não tem sono…
João Freire Filho (Rio de Janeiro)

1984 – AMOR
Nós tanto nos pertencemos,
nosso amor vai tão além…
Que nós dois já nem sabemos,
qual de nós é mais de quem!
Almerinda Liporage (Rio de Janeiro)

1985 – BRINQUEDO
Infância é um brinquedo usado
que um dia a vida resolve
tomar um pouco emprestado
e nunca mais nos devolve!
Arlindo Tadeu Hagen (Juiz de Fora/MG)

1986- CANTIGA
Cantiga, que me transporta
da angústia, ao sono de paz;
é o som da chave na porta
e teus passos, logo atrás…
Almerinda Liporage (Rio de Janeiro)

1987 – ACENO
Partiste sem um aceno
multiplicando os meus ais:
não quis teu mundo pequeno
meu sonho grande demais!
Eugênia Maria Rodrigues (Rio Novo/MG)

1988 – PROCURA
Jurei não te procurar…
Jurei, mas quebrei a jura…
Quem ama pode jurar
não procurar, mas…procura.
Luna Fernandes (Rio de Janeiro/RJ)

1989 – TEIMOSIA
Espero-a…A noite está fria,
mas não desisto…Ouço passos…
E o prêmio da teimosia
vem se acolher em meus braços
José Tavares de Lima (Juiz de Fora/MG)

1990 – LEMBRANÇA
Teu retrato até rasguei
para fugir da verdade…
“ Sem lembranças””, eu pensei,
mas ninguém rasga a saudade!…
Thereza Costa Val (Belo Horizonte/MG)

1991 – ESPAÇO
Mãe, por mais que eu me concentre
na importância do que faço
não esqueço que teu ventre
foi o meu primeiro espaço!
Almerinda Liporage (Rio de Janeiro)

1992 – EMOÇÃO
Resisto…mas, distraída,
minha razão nem percebe
quando a emoção atrevida
abre a porta…e te recebe!
Marilúcia Resende (São Paulo/SP)

1993 – RETRATO
Teu retrato, enraivecida,
eu rasguei, sem embaraços…
mas a saudade atrevida
juntou de novo os pedaços!…
Marilúcia Resende (São Paulo/SP)

1994 – DESPREZO
Não desprezei meu Nordeste,
desprezo, eu juro, foi não…
Foi a dureza do agreste
que me afastou do setão!
Alfredo de Castro (Pouso Alegre/MG)

1995 – POETA
Quando esta lua indiscreta,
me traz lembranças sem fim
eu choro o velho poeta
que morreu dentro de mim.
Rita Marciano Mourão (Ribeirão Preto/SP)

1996 – MAGIA
Lavrador,por tuas mãos,
que Deus dotou de magia,
faz-se o milagre dos grãos
dando o pão de cada dia!
Maria Lucia Daloce Castanho (Bandeirantes/PR)

1997 – TRISTEZA
Eu me recuso, tristeza,
a conviver com teu mundo:
-Vida que tem correnteza
não cria lodo no fundo!
Héron Patrício (São Paulo/SP)

1998 – JANELA
Meu orgulho se rebela
mas o amor faz perdoar,
porque a saudade é janela
que eu nunca aprendo a fechar.
Almerinda Liporage (Rio de Janeiro)

1999 – BILHETE
Velho bilhete…lembrança
de um amor que não foi meu…
Um pedido de esperança
que a vida não respondeu…
Marina Bruna (São Paulo/SP)

2000 – INSTANTE
A saudade se embaraça
e a paixão se intensifica…
– Não pelo instante que passa,
mas pelo instante que fica
Eduardo Toledo (Pouso Alegre/MG)

2001 – DETALHE
Meu perdão foi um tributo
A uma lágrima suspensa:
– um detalhe diminuto
Mas,que fez a diferença…
Darly Barros (São Paulo/SP)

2002 – CERTEZA
Se te vais, por gentileza,
deixa a porta sem trancar!
não me roubes a certeza,
de que logo irás voltar!
Adélia Victória Ferreira (São Paulo)

2003 – ESPERA
Eu te quero às escondidas
e, se esta espera durar,
te esperarei quantas vidas
for necessário esperar!
Eugênia Maria Rodrigues (Rio Novo/MG)

2004 – REFÚGIO
Baú velho, tampo torto,
cartas e fotos mofando…
– Refúgio de um sonho morto
Que eu vivo ressuscitando
José Ouverney (Pindamonhangaba/SP)

2005 – MOTIVO
Sei que os motivos são poucos,
sei que as razões também são,
mas este amor nos faz loucos
e os loucos não têm razão!!!
Gerson César de Souza (Porto Alegre/RS)

2006 – FRONTEIRA
Amai- vos, e as derradeiras
muralhas hão de cair.
– Havendo amor, as fronteiras
não têm razão de existir!
Antonio Augusto de Assis (Maringá/PR)

2007 – MENSAGEM
Sem precisar das imagens
ou linguagem que os ensinem,
os olhos trocam mensagens
que as palavras não definem.
Campos Sales (São Paulo/SP)

2008 – ESCOLHA
Duas culpas, um pecado
e um remorso a nos doer:
você- que escolheu errado;
eu- que nem pude escolher…
José Ouverney (Pindamonhangaba/SP)
———-

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Balaio de Trovas, Jogos Florais, Nova Friburgo., Resultados de Concursos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s