Ialmar Pio Schneider (Baú de Trovas II)

Na trova tudo acontece,
que o diga meu coração,
pois amei quem não merece
possuir minha paixão !

Lá na praia se encontraram
e viveram na ilusão,
pois apenas se tornaram
namorados de verão.

Quem namorou algum dia,
sabe o quanto se requer,
para ter a simpatia
e o coração da mulher.

O menestrel sem juízo
um dia nasceu em mim;
daquele instante preciso
me comunicar assim.

Depois de tantos caminhos
percorridos pela vida,
meu troféu são teus carinhos
que tenho em contrapartida.

Lobo da estepe sozinho
anda à procura de alguém,
seguindo pelo caminho
que agora mais lhe convém…

Outrora fui solitário,
não tinha grande vaidade,
mas, hoje, sou perdulário
de tanto amor e saudade !

Quem fizer a gentileza
de não levar por ofensa,
que me ame sem recompensa,
porque vivo na pobreza…

ou melhor

Quem fizer a gentileza
de não levar por ofensa,
que me ame até na pobreza
sem esperar recompensa.

PORTO ALEGRE – RS

Fonte:
Colaboração do Autor

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Porto Alegre, Rio Grande do Sul em Trovas, Trovas

Uma resposta para “Ialmar Pio Schneider (Baú de Trovas II)

  1. Amigo e confrade José Feldman.Muito obrigado pela postagem. Ficou ótimo.Abraços,Ialmar Pio Schneider

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s