José Marins e Sérgio Pichorim (Fieira de Haicais)


Fieira de Haicais, de José Marins & Sérgio Pichorim, haicais encadeados, é uma adaptação lúdico-poética do renga (poema ligado em estrofes), sem nenhuma pretensão. “Fieira” é ´fio´, e um dos significados é “encadeamento”. Essa “fieira” segue a idéia do renga (sem o dístico após o terceto, mas sim outro haicai), faz ligação com o anterior, traz o kigo quando possível e retrata as estações). Em Curitiba, as estações são definidas, ou não. Nossas vivências se dão nessa geografia. JM


Pares: sp (Sérgio Pichorim)
Impares: jm (José Marins)

551
final de colheita –
com seus trapos ao vento
o velho espantalho
jm-21-5-12

552
fiquei espantado!
toda a vida na roça
e não o conheço.
sp-22-5-12

553
plantação de milho –
nem os tiros de espingarda
espantam as aves 
jm-22-5-12

554
crianças brincando
de esconde-esconde na roça.
quanto pico-pico!
sp-23-5-12

555
brincam as meninas 
porongos maduros viram
 bonecas e filhas
jm-23-5-12

556
massa de biscuit.
entre as frutas coloridas
também um caqui.
sp-27-5-12

557
aula na tevê
nas unhas da mulher
as frutas de outono
jm-28-5-12

558
eu hoje aprendi
a preparar o jiló.
Afro também sou.
sp-28-5-12

559
a nova receita
segue a tradição colona –
pudim de pinhão
jm-27-5-12

560
do modo antigo
ainda é bem melhor.
pinhão sapecado.
sp-29-5-12

561
o outono se vai –
na velha cuia a erva mate
cabocla da grossa
jm-29-5-12

562
descanço à sombra
no veranico de maio.
tererê gelado.
sp-30-5-12

563
que tarde cinzenta
um café com cardamomo
para me animar
jm-30-5-12

564
a pouca luz de
um longo dia chuvoso.
notas ao piano.
sp-5-6-12

565
o gato também
quer dormir até mais tarde
ê, chuva de inverno
jm-5-6-12

566
ah, chuva sem fim.
o aroma do quentão
vem lá da cozinha.
sp-6-6-12

567
que manhã de inverno
o leite bem quente com
chá mate tostado
jm-6-6-12

568
um pequeno brinde
na fatia do bolo.
viva Santo Antônio!
sp-13-6-12

569
a moça sorri –
a imagem de Santo Antônio
de ponta cabeça
jm-13.6.12

570
na festa junina,
um cachorro-quente pro
cachorro-de-rua.
sp-16.6.12

571
chuvinha de inverno
o gato ronrona no colo
que já foi do filho
jm-18-6-12

572
solstício de inverno.
a noite no guardamento
ainda mais longa.
sp-21-6-12

573
um dia de inverno –
tempo de tranquilidade,
diz o mestre Goga
jm-25-6-12

574
noite de são João.
o silêncio é quebrado
pelo foguetório.
sp-24-6-12

575
ah, meu velho bairro
cadê as festas juninas
dos tempos de outrora?
jm-24-6-12

576
festa de são Pedro.
a fogueira é uma
lâmpada vermelha!
sp-29-6-12

577
dia de São Pedro
as sementes de erva-doce
no naco de bolo
jm-29-6-12

578
uma manhã fria.
o chá de gengibre com
casca de laranja.
sp-9-7-12

579
que vento gelado
só o gato de companhia
nessa manhã
jm-9-7-12

580
férias de julho.
a casa mais triste com
a família ausente.
sp-11-7-12

581
cinzenta manhã
por pouco fui acordar
o filho ausente
jm-11-7-12

582
em frente a TV
com tocas e cobertor.
programa da tarde.
sp-27-7-12

583
manhãzinha fria
a garoa não molha o gato
no ninho de lã
jm-27-7-12

584
o vento gelado
me encontrou distraído.
batida de porta.
sp-4-8-12

585
o idoso contempla
o vermelho da suinã –
o ônibus se vai
jm-13-8-12

586
última geada?
não… é a pitangueira
toda florida.
sp-14-8-12

587
ao sopro do vento
espalha-se pela grama
o branco da paina
jm-16-8-12

588
secura de agosto.
o banho dos passarinhos
na água do cachorro.
sp-17-8-12

589
ipês-roxos floridos –
ao cão que puxa o velho
não importa as flores
jm-17-8-12

590
as cores da praça
se escondem com a noite.
pia a coruja.
sp-28-8-12

591
Praça da Bandeira
o vermelho da suinã
agora no chão
jm-28-8-12

592
o mês de agosto
com duas luas cheias.
qual será a cor?
sp-31-8-12

593
lá vem a lua azul –
segunda lua de agosto
de alvura cheia
jm-30-8-12

594
verde e amarelo
são as cores do ipê.
lembrança da Pátria.
sp-4-9-12

595
o sol já no oeste –
de luz amarela acesas
as flores do ipê
jm-5-9-12

596
Parreiral florido
na minguante de setembro.
Não posso podar.
sp-9-9-12

597
cresce a bougainville
do vizinho que morreu –
quem irá podá-la?
jm-11-9-12

598
brincos-de-princesa
 pendentes até o chão.
 brinca a menina.
sp-18-9-12

 599
risos entre folhas –
a mulher que colhe amoras
volta a ser criança
jm-15-9-12

600
na amoreira
 namoram os passarinhos.
 amor e amoras.
sp-19-9-12

Fonte:
http://fieiradehaicais.blogspot.com.br/

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Curitiba, haicais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s