Marina Strachman (Peça Teatral: Bom Demais pra Ser…)

Esta narrativa é uma obra de ficção que envolve personagens reais, imaginando o que seria deles se morressem; o que estas personagens, que foram tão importantes em vida deixaram de bom, de realmente bom depois que se foram. A peça pretende mostrar que o que realmente importa, é a essência da pessoa, e não seus bens!

Peça teatral: Bom demais pra ser…
Autora: Marina Strachman

Baseado em “Um conto de Natal” de Charles Dickens
 Enredo

Esta narrativa é uma obra de ficção que envolve personagens reais, imaginando o que seria deles se morressem; o que estas personagens, que foram tão importantes em vida deixaram de bom, de realmente bom depois que se foram. A peça pretende mostrar que o que realmente importa, é a essência da pessoa, e não seus bens!

Cenário

Dividido em três espaços. Uma sala, com TV tudo de última geração com lap top, com televisão e som ligados. Outra um “campo” de futebol e na outra, dois carros um vermelho e um preto no trânsito, tudo separado por biombos.

Descrição dos Personagens

Asdrúbal – Têm 40 anos, pai de família, um executivo que só faz trabalhar, não dá atenção à esposa e nem ao filho.

Marilda a linda – Têm 30 anos, só fala de regime, ginástica e calorias, não dá atenção ao filho e ao marido.

Junior – Têm 10 anos, cabelo penteado como o Neymar, usa roupa de grife, tem Ipod, Ipad, e wii, e sempre todos ligados e brinca sozinho.

Uesley Uilson – Jogador de futebol profissional, bom jogador, mas é trapaceiro, encrenqueiro.

São Januário – Um garoto bonito, muito bom jogador, e uma pessoa do bem.

Beto Esperto – Joga bem, mas tem mania de querer ser mais esperto que os outros e só se dá mal.

Leila – motorista do carro vermelho, chorona, desempregada, frustrada, acha que sua vida é um erro atrás do outro.

 Beka – Amiga de Leila, está no carro, mas não agüenta mais.

Renato – Um jovem muito feliz, motorista do outro carro.

Mauro – amigo de Renato, companheiro pra tudo.

Três Anjos da Guarda – Um para Asdrúbal, outro para Uesley e o terceiro para Leila.

Abertura
Narrador

Vivemos hoje a nossa vida, uma vida boa, bacana, mas se deixássemos esta vida pra trás agora, já! O que teríamos deixado para trás?!

(Pausa, música mais alta – por meio minuto)

 Narrador prossegue:

– No mundo atual, mundo dos vivos, malandros, espertos a vida segue segue.

Ilumina-se um de cada vez as três cenas, a família na sala, o jogo de futebol, os carros no trânsito.

Cena I

(Cenário –  Sala da família, com Asdrúbal, Marilda a linda e Junior)

Narrador

-Era uma vez…

(Música e foco de luz passando sobre os objetos e as pessoas da cena da família)

Narrador – Asdrúbal é um super executivo de uma multinacional que tem escritórios em Londres, Nova Deli, Hong Kong e Rio de Janeiro. Como o fuso horário varia muito de um escritório para outro, Asdrúbal passa os dias conectado a algum computador, não tem tempo de folga e viaja muito, mas é muito rico, possui helicóptero, avião particular, iate, casa de campo e de praia e dá para esposa e para o filho tudo o que pedem, sem discutir.

 (Enquanto o narrador fala, mostra Asdrúbal falando em dois celulares, em línguas diferentes, na frente do computador que está ligado. Quando o narrador finaliza, entra o filho e a esposa discutindo.)

 Asdrúbal (aos gritos) – vocês não percebem que estou trabalhando?! Preciso resolver este assunto urgente!

Marilda a linda – Você está SEMPRE trabalhando e resolvendo alguma coisa urgente. Não percebe que este assunto é URGENTE também?!

Junior – é pai, a mamãe….

Marilda a linda (interrompendo) – Já disse que não gosto que você me chame assim, sou Marilda a linda!

Junior (chorando) – eu sou a única pessoa do mundo que não pode chamar a mãe de mãe!!!

Asdrúbal (em seus celulares)- Sorry, but I have a problem here. (e desliga os telefones, olhando muito feio para os dois!) – Venha cá, meu filho, não chore que o papai compra para você aquele Jet Ski, último modelo.

Junior (enxugando as lágrimas rapidamente)– Obaaaa, agora, pai, agora?!?!

 Marilda a linda (interrompendo) – é sempre assim, para ele você compra tudo, e pra mim nada. Já faz DOIS dias que pedi uma mixaria para fazer novamente minha plástica de barriga e você nem respondeu!

Asdrúbal- Desculpe minha linda, tem toda a razão, aonde está meu talão de cheques. (pegando o talão na pasta) – Quanto é minha linda, 500 mil está bom?! Não, não, é pouco por toda esta beleza, querida leve logo um milhão e aproveita renove seu guarda roupa. Se quiser ir para Miami, o jatinho estará disponível amanhã!

 Marilda a linda (beijando o marido) – é por isso que TODAS as minhas amigas morrem de inveja do MEU Asdrúbal!

Narrador – Asdrúbal volta ao telefone, para acabar de resolver os problemas dos escritórios.

– Cena II –

(Cenário – campo de futebol, Uesley Uilson,São Januário, Beto Esperto, brincando com a bola)

Narrador – Uesley Uilson é um jovem de 17 anos, que joga futebol tão bem que já têm alguns times atrás dele, mas ele bebe e usa drogas, seu melhor amigo, Beto Esperto, é um perna de pau que acha que joga MUITA bola, neste time existe também o goleiro São Januario, ótimo jogador, joga bem, é voluntário em duas ONGs é um garoto do bem.

 São Januário – Uesley, não te disse para você parar de beber e jogar bola que você ganha mais?! 

Beto Esperto (com desdém) – Se fosse só bebida o nosso problema, tava moleza!

Uesley Uilson – (interrompendo) – Cala boca, Beto! E Januário, o que é que você tem ficar me dando conselho, se conselho fosse bom, ninguém dava de graça!! (rindo), Né não Betão!!

(Betão e Usley, rindo)

São Januário – Olha cara, o negócio é o seguinte: tem uma conversa que o Santos tá querendo te contratar pra jogar com o Neymar, mas pra isso, você tem que deixar de faltar em treino por causa de bebida.

Beto Esperto (com desdém) – Eu já disse que, se fosse só bebida o nosso problema, tava moleza! Você com esse apelido encardido de São Januário, só quer dar bons conselhos…

 (Uma voz lá de dentro- Beto Esperto, fica quieto que este papo não é com você, você quando está bem, serve pra esquentar banco, não sei se você percebeu, mas nem no banco tu tá escalado!. Uesley, esta conversa do São Januário é séria, mas, só vai funcionar se você por 3 meses comparecer aos treinos sem estar drogado, ou bêbado, ou os dois!) E os três saem jogando bola.

– Cena III –

(Mostram os dois carros parados no farol, um vermelho com a Leila ao volante e a Beka ao lado, e no outro no carro de cor prata Renato dirigindo e Mauro ao lado)

Narrador – Leila a motorista do carro vermelho, é uma chorona, desempregada, frustrada, acha que sua vida é um erro atrás do outro. Beka, sua grande amiga, está tentando ajudar, até lhe ofereceu um ótimo emprego, que Leila recusou, mas a Beka está cansada desta amiga que parece gostar de sofrer.

(No carro vermelho)

Leila (com a maquiagem borrada de tanto chorar)- eu não sirvo pra nada MESMO, perdi meu emprego, perdi o noivo e agora estou a um passo de perder meu apartamento! EU VOU ME MATAR!

 Beka – Ah, pois não! Mas se mata sozinha que estou descendo do carro. Eu já te ofereci o cargo de gerente geral em meu escritório, mas você me respondeu que: trabalhar com a amiga só pode dar errado… você gosta é de reclamar!

(No carro preto)

Mauro – Renato olha só que mulherão no banco do passageiro!

Renato – Só se for, porque a motorista toda borrada tá parecendo que saiu do baile de halloween!

(os dois caem na gargalhada)

(No carro vermelho)

Beka – Você ouviu isso, sua louca?! Até quando você vai se fazer de vitima, olha só que dupla “tudo bom” aí do lado! E parece que estão rindo de nós!

(No carro preto)

Renato (dirigindo-se para Beka no outro carro)– Oi! Nós estamos indo no Shopping, você quer vir?!

(Leila engata uma primeira e sai correndo com o carro)

Beka (assustada e gritando) – Pára o carro já que eu vou descer! Você precisa de um médico urgente!

Apaga-se a luz do cenário.

– Cena IV–

(Nesta cena camas são necessárias)

Narrador – e o dia acabou e todos foram dormir…

Mostra cada um deitado em sua cama… Asdrúbal em seu lap top, enquanto Marilda pensa em suas plásticas, e Junior está dormindo. Beto Esperto, em sua cama bebendo a segunda garrafa de vodka, Uesley tentando jogar a garrafa de bebida fora, mas acaba bebendo… e São Januário fazendo suas preces antes de se deitar. Leila desmaiada ao lado de MUITOS remédios que ela ingeriu, Beka em sua cama preocupada com Leila, pedindo que o anjo da guarda olhe por sua amiga, Renato e Mauro cada um dormindo em sua cama.

Narrador – Me enganei, agora sim, e o dia acabou e todos foram dormir.

E mostra todos dormindo.

Narrador – E eles sonham, sonham com o seu futuro, e com o que será de cada um deles….

Anjo da Guarda de Asdrúbal  – Asdrúbal, sou seu Anjo da Guarda, estou aqui para te ajudar: você é um homem bem sucedido financeiramente, mas sua vida é uma droga… sua mulher só quer saber do seu dinheiro, e seu filho que tanto quer seu amor, não consegue ganhar nem um abraço! Você nunca fez uma boa ação na vida! Veja o que será de você depois que morrer:

Mostra a parte do cenário do céu, e Asdrúbal, sozinho, ninguém vem conversar com ele. E ele está, olhando para seu filho que está brincando, e sua esposa que está adorando estar sozinha com o dinheiro da herança que ele deixou.

Asdrúbal se desespera.

Anjo da Guarda de Asdrúbal prossegue – Asdrúbal, este quadro pode mudar, se for da sua vontade, você é jovem, tem muita coisa boa para fazer ainda, que tal?!

Asdrúbal (acorda assustado) – Marilda minha linda, tive um sonho e preciso mudar! Querida, amanhã vou começar a instruir meus diretores, para ter mais tempo com vocês. Também vou ajudar a quem eu puder, mas por enquanto…

Asdrúbal corre para o quarto do Junior e o abraça e beija.

– Cena V–

Anjo da Guarda de Uesley  – Uesley Uilson, sou seu Anjo da Guarda, estou aqui para te ajudar: você é um menino ainda, tem um lindo futuro pela frente, mas sua vida é só beber e se drogar, Deus te deu um Dom de jogar bola maravilhosamente, mas você prefere as drogas… Veja o que será de você depois que morrer:

Mostra a parte do cenário do céu, e Uesley Uilson, sozinho, ninguém vem conversar com ele. E ele está, olhando para o nada, pois não tem nada nem para olhar

Anjo da Guarda de Uesley  prossegue –  Uesley Uilson, este quadro pode mudar, se for da sua vontade, você é jovem, tem muita coisa boa para fazer ainda, que tal?!

Uesley Uilson acorda MUITO assustado e diz para si mesmo: Véio eu preciso mudar já!

Ele liga para São Januário e diz:

– São Januário, preciso muito da sua ajuda, tive um sonho e eu preciso mudar, você me ajuda?!

 São Januário – Uesley, claro que sim, aliás, eu vou adorar poder te ajudar! 

– Cena VI –

Anjo da Guarda de Leila  – Leila, sou seu Anjo da Guarda, estou aqui para te ajudar: você é uma mulher inteligente, bonita e que ainda, tem um lindo futuro pela frente, mas sua vida é só reclamar, você acha que a responsabilidade é sempre do outro, nunca é sua! A sua vida pode mudar mas… E preste atenção a este detalhe: VOCÊ  e somente VOCÊ é a responsável por suas escolhas.

Veja este é seu futuro… mostra Leila pedindo esmola.

Anjo da Guarda de Leila  prossegue – Leila, este quadro pode mudar, se for da sua vontade, você é jovem, tem muita coisa boa para fazer ainda, que tal?!

Leila acorda MUITO assustada e diz para si mesma: Eu não tinha percebido que passava por cima das minhas responsabilidades!

Liga para a Beka e diz:- Beka, você tem a partir de hoje uma nova amiga, e eu quero sim o emprego que você me ofereceu, você verá de agora em diante, sou uma pessoa melhor!

Narrador – E eles se tornaram pessoas melhores, e você?!

– Cena VII –

Narrador – E enquanto isso na lanchonete do bairro. Em uma mesa, dividindo uma pizza, contando estórias e se divertindo estão, Leila, Beka, Renato e Mauro.

Leila – Quero propor um brinde a minha amiga que não me abandonou quando mais precisei e ao que sobrou de legal daquela época, A Beka, ao Mauro e ao meu amor, o Renato!

 Beka – Ah, isso merece um brinde mesmo, Leila, você é outra pessoa, eu não sei o que te fez mudar assim pra melhor, mas eu agradeço! Posso confessar que pedi muita ajuda para seu anjo da guarda!

Mauro – Renato e você achando que ela parecia uma assombração!rsrsrsr Ainda bem que nos encontramos novamente, e foi incrível vê-las ajudando as crianças a refazer a mata ciliar daquela nascente!

Renato – Ainda bem que nos encontramos novamente, e foi incrível vê-las ajudando as crianças a refazer a mata ciliar daquela nascente!

Beka – Ei rapazes, semana que vem tem uma distribuição de mudas de arvores da região e meu escritório vai emprestar dois caminhões, será uma ação no fim de semana inteiro, pois vamos promover também a plantação na beira do rio, topam?

(Renato, Leila e Mauro)- Ah, Beka com certeza e você não vai se livrar de nós tão cedo!

Narrador – E na outra mesa, estão….Mostra a mesa com Asdrúbal, Marilda e Junior. Eles estão comendo uma salada!

Junior – Quero mais alface e tomate, mamãe!

 Marilda a linda (que está grávida) – Claro meu querido, eu também vou repetir. Asdrúbal amor, pede um suco de laranja pra mim?

Asdrúbal- Claro. Ah, Marilda, eu quero te agradecer a dica das empresas que investem em ações ambientais, eu estou adorando trabalhar com está área! Aliás, filho, este fim próximo fim de semana, vamos plantar arvores na beira do rio, e escolhemos você e a Marilda para representarem a empresa, vocês aceitam?

 Marilda a linda (beijando o marido) – é claro querido, nossa vida mudou pra melhor agora, eu me sinto melhor e sou uma mãe de verdade agora, eu curto estar com vocês!

Junior – é mesmo mamãe, agora a gente pedala juntos, e almoça juntos!

Asdrúbal- eu só tenho a agradecer por aquela noite! Sou outra pessoa e serei pai de gêmeos!

Narrador – e entrando na lanchonete… São Januario e Uesley. Uesley está triste.

 São Januário – Uesley, você tá bem? 

Uesley Uilson – To sim Janú, mas to muito triste! Nunca pensei que o Beto fosse morrer assim de overdose!! Sabe acho que é uma mistura de sentimentos… afinal, se não fosse por você, eu ia acabar assim também!

São Januário – Olha cara, mas você conseguiu, teve uma tremenda força de vontade e conseguiu ficar um ano inteiro longe da bebida e das drogas!

Uesley Uilson – E agora é seguir em frente! Este ano vou jogar no Santos e agradeço a Deus todos os dias por eles terem te contratado junto comigo, pois você é meu parceiro, irmão e amigo!

Apaga-se a luz do cenário.

 __________________
Marina Strachman – arquiteta e urbanista, mestre em desenvolvimento regional e meio ambiente e especialista em educação ambiental.

Fonte:
Educação Ambiental em Ação
http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1387&class=06

Deixe um comentário

Arquivado em Teatro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s