Eliana Jimenez (Trova-Legenda: Cantando na Chuva)

Venha, amor, vamos dançar
em meio à chuva, ao relento…
Sem medo, vamos deixar
que às nuvens nos leve o vento!
A. A. de Assis – Maringá/PR

Cantando com coração
na chuva bem extremoso,
chamejo com emoção,
meu feliz bailar formoso.
Agostinho Rodrigues – Campos/RJ

Cantando na chuva, o ator,
fez sucesso no passado.
Também bom sapateador,
o Gene Kelly é lembrado.
Angelica Villela Santos- Taubaté-SP

Teu amor é o que me move,
que me faz dançar na rua;
tanto faz se é noite e chove,
se faz sol ou se tem lua!…
Antonio Juraci Siqueira – Belém/PA

Livre ele canta lá fora,
dança com muito prazer;
– para viver não tem hora,  
cada momento é um viver.
Ari Santos de Campos – Itajaí/SC

Chuva forte, ventania,
na rua não acho abrigo…
Me abrigo na fantasia
de em sonho bailar contigo!
Bruno P. Torres – Niteroi/RJ

Que venha a chuva, a nevada,
tempestade e furacão;
eu sou brisa inalterada:
o amor, depois da paixão.
Cida Vilhena – João Pessoa/PB

Sou feliz, estou amando!
Minha vida é só cantar,
na chuva vivo bailando
nos braços do verbo amar.
Dáguima V. de Oliveira – Santa Juliana/MG

Em meio à chuva que avança,
minha tristeza se esvai:
– É na chuva a minha dança,
brindando à chuva que cai…
Darly O. Barros – São Paulo/SP

Quando cantamos na chuva
e dançamos com ardor,
mesmo eu sendo uma viúva…
sinto os presságios do amor!
Dilva Moraes – Nova Friburgo/RJ
 
Chuvas mansas ou granizos,
agradecemos  em prece;
que é de lágrimas e risos
que consiste a nossa messe.
Dorothy Jansson Moretti – Sorocaba/SP

O amor inspira a vontade
de viver com alegria.
Não importa a tempestade,
cante e dance todo dia.
Eliana Jimenez – Balneário Camboriú/SC

Dançarino inveterado,
nem a chuva lhe tolheu…
pegou no poste molhado
soltou um grito e morreu!
Francisco José Pessoa – Fortaleza/CE
 
Uma cena inusitada,
tão bonita e comovente.
Em ribalta improvisada,
com público inexistente…
+Francisco Macedo – Natal/RN

Na chuva, feliz, cantando
e distribuindo alegria,
ao mundo todo encantando,
sempre contente vivia!
Gislaine Canales – Porto Alegre/RS

“Cantar na Chuva” eu quisera
aquela canção bonita
que em performance sincera
Gene Kelly nos incita!…”
+Hermoclydes Siqueira Franco/RJ

De liberdade molhado
cantando em êxtase a glória,
dançarino iluminado
guarda à chuva a sua glória!
João Batista Xavier Oliveira – Bauru/SP
 
Bajo la lluvia yo canto
mojarme me hace feliz
ella tiene un dulce encanto
que pone a mi alma un matiz.
Libia Beatriz Carciofetti – Argentina

Viejo farol de la esquina
testigo de mi querer.
Bajo la lluvia tranquila
canto hasta el amanecer.
Maria Cristina Fervier – Argentina

Quem mantém jovialidade
canta e ri feito criança;
mesmo na terceira idade,
sapateia, entra na dança.
Marina Valente – Bragança Paulista/SP

Pode chover à vontade,
que eu não vou ficar parado…
Vou cantar pela cidade
o teu beijo apaixonado.
Mário A. J. Zamataro – Curitiba/PR

Quem, de bem, está co’a vida,
na alegria, vive e canta
e até a chuva, intrometida,
seus males, também, espanta!
Maurício Norberto Friedrich – Curitiba/PR

Revoadas de alegria
mostra um jovem dançarino
que dança na chuva fria
e agradece seu destino.
Mifori – São José dos Campos/SP

Eu levo a vida cantando,
fico sonhando acordado,
e na chuva vou dançando,
bem feliz e apaixonado!
Nadir Nogueira Giovanelli – São José dos Campos/SP

Na chuva ele vai cantando
e lavando o coração…
Inspiração vai buscando
com o guarda chuva na mão.
Neiva Fernandes – Campos/RJ

O bailarino, indeciso,
na chuva, dá mil volteios;
e o lampião diz, bem preciso:
homem, deixe de rodeios!
Nemésio Prata –Fortaleza/CE

Vivo e canto, canto e danço
Muita alegria e emoção.
Vibro no melhor balanço,
Desta chuva de verão…
Olga Maria Dias Ferreira – Pelotas/RS

Sob a luz do lampião,
Kelly na chuva cantando
acordam em meu coração
os sonhos que andei sonhando.
Olympio Coutinho – Belo Horizonte/MG
 
Mesmo na chuva, tu cantas,
aos pingos, braços abertos,
por teu disfarce, me encantas,
no acerto dos passos certos!
Prof. Garcia – Caicó/RN

Dançando na chuva eu vejo
que, embora pareça calma,
mais aumenta o meu desejo
no  vendaval  de  minh´alma!
Rodolpho Abbud – Nova Friburgo/RJ

Na chuva eu também dancei,
mas ganhei puxões de orelhas…
Por isso eu sempre as terei
muito grandes e vermelhas.
Thalma Tavares – São Simão/SP

Uma alegria incontida,
por algo que a gente goste,
gera luz mais desmedida
que a luminária do poste.
Vanda Fagundes Queiroz – Curitiba/PR

Não sou astro – um Gene Kelly –
para você, entretanto,
faça sol, chuva ou gele,
sapateio, danço e canto!
Wagner Marques Lopes – Pedro Leopoldo/MG

Fonte:
http://poesiaemtrovas.blogspot.com.br

Deixe um comentário

Arquivado em trova-legenda, Trovas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s