Héron Patricio (1931)

Héron Patrício, nasceu em Ouro Fino , Minas Gerais, a 17 de junho de 1931, quando foi dado de presente ao mundo pelo Sr Salvador Santos Patrício e Dona Genoveva Cadan Patrício .
 
Era uma criança muito saudável, porém magrinha. Um amigo vaticinou: vai crescer forte, inteligente, e até se tornará gordinho e Poeta… (“Mas que trem de mineiro advinhão, sô!”).
 
O comboio ía correndo entre Ouro Fino e Pouso Alegre… Estávamos na década de 30. A locomotiva espalhafatosa bufava, chiava, apitava nas curvas. E aquele garoto, deslumbrado com a viagem, e com o rosto colado à vidraça do vagão, não compreendía porque naquela terra os postes de energia elétrica, as bananeiras e todas as árvores que margeavam a linha férrea “corriam” em sentido contrário ao do trem…Mas ele “via” que corriam! E para trás foi ficando o seu doce chão onde veio ao mundo, seu mundo de brincadeiras e de folguedos inocentes…
 
A máquina chiou, bufou, deu um vasto suspiro de alívio, frenou e “solavanqueou” os passageiros. O clã do nosso amigo estava chegando na cidade que escolheria para nova residência. E Pouso Alegre foi mesmo um “pouso alegre” para todos.
 
Foi logo providenciada escola para o menino, que viria a tornar-se um ótimo aluno. Foi nessa linda cidade que Héron começou a participar do movimento poético.
 
Em 1964 mudou-se para São Paulo, mas sempre dividiu, emocionalmente, sua residência entre a capital paulista e a cidade de Pouso Alegre.
 
É casado com a Trovadora Yêdda Ramos Maia Patrício. Nasceu-lhes a filha Patrícia, que lhes deu os netos Raphael e Daniel. Patrícia é casada com Flávio dos Santos Szelbracikowski.
 
Funcionário público federal aposentado (Auditor) é Contabilista, Professor e Advogado, exercendo, atualmente, a “nobre” profissão de Poeta/Trovador.
 
Além de ter seus trabalhos publicados em Jornais e Revistas de todo País, participou de “Meus Irmãos, os Trovadores” (Luiz Otávio), “Cigarras em Desfile” (trovas), “Garimpeiros de Sonhos” (Arcádia de Pouso Alegre), “Em Prosa e Verso” (Academia Pousoalegrense de Letras), “I Antologia de Trovas” (Livro Arte-SP), etc…
 
Desde 1994 é integrante da União Brasileira de Trovadores, Seção de São Paulo, onde ocupava uma vice-presidência.
 
Ocupa a cadeira número 17  da Academia Pousoalegrense de Letras.
 
Em francês “Héron” quer dizer “garça real”, mas gostaríamos que quisesse dizer uirapuru, uai, pois quando ele “trova” nós, trovadores menores, emudecemos.
 
(Lavinio Gomes de Almeida). Biografia publicada no livro do 9º Concurso Nacional de Trovas de Barra do Piraí – 1998
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Biografia, Minas Gerais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s