Arquivo da categoria: Balaio de Trovas

Balaio de Trovas VIII

O Amor para ser gostoso,
jamais deve ser pamonha.
Tem de ser escandaloso,
cego, surdo e sem-vergonha!
A.A. de Assis

E já velho fui arrumar
Sarna para me coçar
Inventei de fazer trova
coisa para gente nova.
Adalberto Thiago

Saudade é tarde chorando
um tempo em que foi aurora,
ao ver a noite levando
o brilho do sol embora.
Adélia Victória Ferreira

Para matar as saudades
fui ver-te em ânsias, correndo.
E eu que fui matar saudades
Vim de saudades morrendo.
Adelmar Tavares

Noites feitas de saudade,
de lembranças, de meiguice…
Tão curtas na mocidade,
e tão longas na velhice!
Alfredo de Castro

Morre o amor… o espólio é feito…
tudo partido em metade;
minha, inteira, por direito,
só ficou mesmo a saudade.
Almerinda Liporage

Maria, só por maldade,
deixou-me a casa vazia…
Dentro da casa: saudade!
E na saudade: Maria!
Anis Murad

Deixa bater, ó menina,
teu coração sonhador!
No sepulcro não termina
o novelário do amor.
Antonio Nobre

O Homem sempre há de penar
nas mãos da mulher que amou:
antes por querer casar,
e, depois porque casou.
Antônio Zoppi

Debaixo da nossa cama
que tu deixaste vazia,
o meu chinelo reclama
o teu chinelo, Maria
Anis Murad

Se aquilo que a gente sente
cá dentro tivesse voz,
muita gente toda, gente
teria pena de nós!
Augusto Gil

Saudade, palavra doce,
que traduz tanto amargor!
Saudade é como se fosse
espinho cheirando a flor!
Bastos Tigre

O tempo ao Amor não mata.
É disto a prova fiel
as nossas Bodas de Prata
em plena Lua de Mel.
Carlos Guimarães

Enxuta! Que Maravilha!
Enxuta como ela só,
quando amamentava a filha
só saía leite em pó.
Colbert R. Coelho

Eu quisera ouvir estrelas,
ter ouvidos p’ra escutá-las,
ser poeta p’ra entendê-las
e trovador para amá-las!
Delcy Canalles

Quando a mulher do vizinho
cruza contigo na rua,
diz o diabo baixinho:
“esta é melhor do que a tua!”
Durval Mendonça

A saudade se embaraça
e a paixão se intensifica…
– Não pelo instante que passa,
mas pelo instante que fica!
Eduardo A. O. Toledo

Orgulho bobo… vaidade…
caprichos do amor sobejo…
Eu, morrendo de saudade,
fingir que nem te desejo!
Elisabeth Souza Cruz

Neste momento, calado,
de gestos e olhar bisonhos,
penso em você ao meu lado
nos amanhãs dos meus sonhos…
Ester Figueiredo

Saudade, velha canção,
saudade, sombra de alguém
que os tempos só levarão
se me levarem também!
Fernandes Soares

Como é risonha a vida
Quando se tem um amor,
Sem ele não há guarida
Tudo é desalentador.
Fernandina Marques

Todo genro masoquista,
que a trajetória malogra,
acha que a maior conquista
é ter um clone da sogra!…
Flávio Roberto Stefani

Ao ver uma rosa abrir
em perfeita sutileza,
é o mesmo como sentir
carinhos da natureza.
Gilda Moura

Teu amor foi falsidade,
li na carta que me envias.
Mas, meu bem. quanta saudade
do tempo em que tu mentias!
Hugo de Alvarenga Peixoto

Na vida há céus constelados
e cardos pelos caminhos.
E há poetas deslumbrados
pondo estrelas nos espinhos.
Iracy Nascimento

Parece troça, parece,
mas é verdade patente,
que a gente nunca se esquece
de quem esquece da gente
Jader Andrade

Quanto mais teu corpo enlaço
mais padeço o meu tormento
por saber que o meu abraço
não prende teu pensamento.
Jesy Barbosa

Saudade estranha ilusão
que a solidão recompensa;
presença no coração
maior que a própria presença!
J. G. de Araújo Jorge

Fazer trova é gravidez
De idéia e pensamento
De loucura e sensatez
Com amor e sentimento
João Alencar Sobrinho

Com a saudade eu reparto
minhas noites de abandono;
mal apago a luz do quarto,
ela vem tirar meu sono…
Joaquim Carlos

Lembra a saudade uma estrela
nas águas de um ribeirão
que fica sempre a retê-la,
enquanto as águas se vão…
Luiz Antônio Pimentel

Entre a tua e a minha idade,
filho meu, quanta distância…
És a infância da saudade!
Sou a saudade da infância!
José Maria Machado de Araújo

Quer ser feliz? Então siga
a minha vida bizarra
que tem muito de formiga
e ainda mais de cigarra.
Luiz Otávio

Toda Mulher que é gorducha,
tem um recurso só seu,
ao vestir-se grita: “puxa
como esse troço encolheu!!”
Magdalena Léa

Tímida, meio sem jeito,
uma saudade enxerida
entrou aqui no meu peito…
e hoje manda em minha vida!
Maria Madalena Ferreira

A mulher, ou por vaidade,
ou por ser demais esperta,
depois de uma certa idade,
não tem mais idade certa.
Nero Sena

No dia em que tu quiseres
ser meu senhor e meu rei,
serei todas as mulheres
na mulher que te darei.
Nidia Yaggi

Quem se conserva de pé
frente a calúnia tacanha,
tem humildade, tem fé,
e transpõe qualquer montanha.
Nilton Manoel

No tempo da mocidade,
eu por saudade bebia;
hoje bebo com saudade
da saudade que sentia!
Orilo Dantas

Ah, coração, tem piedade…
Batendo tão forte assim,
vais acordar a saudade
que dorme dentro de mim!
Orlando Brito

Vermelho igual ao tomate,
meu coração é um bife:
quanto mais alguém lhe bate,
mais amolece o patife.
Orlando Woczikosky

Saudade, saudade minha,
quanta saudade restou;
saudade, saudade eu tinha,
saudade, saudade eu sou.
Otavio Venturelli

O eletricista Zé Roque,
que só na Light produz
levou um tremendo choque
quando a mulher deu à luz.
Rangel Coelho

A saudade que me resta
vai comigo, quando eu vou
à procura de uma festa
que há muito tempo acabou.
Sebas Sundfeld

Posso jurar de mãos postas,
Pesando o que já passei,
Que as mais difíceis resposta
Foi em silêncio que eu dei.
Waldir Neves

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Balaio de Trovas

Ademar Macedo (Lançamento de O Trovadoresco n. 73 – Julho 2011)

Aquela duna imponente,
que na paisagem se alteia,
tem na origem, certamente,
minúsculos grãos de areia.
–Vanda Fagundes Queiroz/PR–

Quando a paixão é marcada
por possessão, se resume
numa rosa incinerada
na fornalha do ciúme…
–Renata Paccola/SP–

Se for teste, meu Senhor,
o viver nesta fornalha,
tu verás que a fé e o amor
de um nordestino não falha!
–J.B. Xavier/SP–

Na fornalha, em que me abraso,
– você finge que não vê –
seu desprezo não faz caso
do meu amor… por você!
–Therezinha Brisolla/SP–

A vida é um “fogo de palha”
e o tempo se mostra algoz,
mais parece uma fornalha
onde a palha… “somos nós”!…
–Roberto Tchepelentyky/SP–

Por minha culpa partiste;
e o sal do pranto, sem dó,
agora, torna mais triste
o triste viver de um só…
–José Tavares de Lima/MG–

E muito mais.

Baixe a Revista na íntegra para seu computador AQUI.

Fonte:
Ademar Macedo

Deixe um comentário

Arquivado em Balaio de Trovas, Revista Virtual de Trovas O Trovadoresco

Ademar Macedo (Mensagens Poéticas n. 1)

Trova do Dia:

É tão fiel o seu cão,
que ás vezes até “apela”:
faz festa pro Ricardão
e morde o marido dela!
JOSÉ OUVERNEY/SP

Trova Potiguar:

Se eu ganhar, minha querida
na mega, muito dinheiro
Vou lhe tirar dessa vida…
(Contratando um pistoleiro.)
HELIODORO MORAIS/RN

Uma Trova Premiada:
2010 > Bragança Paulista/SP
Tema > RIMA > Venc.

Que infortúnio o da Raimunda!…
Numa enchente de verão,
derrapou na rua imunda
… e deu com a “rima” no chão!
RENATO ALVES/RJ

Uma Trova de Ademar:

Por falta de patrimônio,
sem ter no bolso uma prata,
anuncia o matrimônio
por uma “rádio pirata”.
ADEMAR MACEDO/RN

…E Suas Trovas Ficaram:

Chamam de “mulher da vida”,
mulher que mal se comporte.
E a honesta, a gente apelida
de quê? De “mulher da morte”?…
ORLANDO BRITO/MA

Estrofe do Dia:

Atendendo a ligação,
a mulher ouve dizer:
Acabou de acontecer,
Bateram no seu carrão.
Seu amor, na contramão,
chocou-se contra um Peugeot,
no acidente ele ficou,
sem um arranhão em baixo…
– e a parte de cima, macho? _
Essa ainda não chegou.
FRANCISCO MACEDO/RN

Soneto do Dia:

HAROLDO LYRA/CE
DUAS TAÇAS.

O álcool sempre vem abrilhantar
Os banquetes em salas requintadas,
Servido nas baixelas prateadas
Que aos olhos serve mais que ao paladar.

O álcool é um prazer bem popular,
Nos bares, nas barracas empalhadas,
Servido n’umas taças mal lavadas,
Agrada à boca, à venta, a quem tomar.

Um drink, salgadinhos de salmão;
Uma cereja adorna a taça à mão
E o fino aristocrata se enaltece.

Um trago, um tira-gosto de buchada;
A banda de um limão, já machucada,
E o jeca deita e rola e a pinga desce.

Fonte:
Ademar Macedo

Deixe um comentário

Arquivado em Balaio de Trovas, poema., Soneto.

Balaios de Trovas VII

Se acaso seu filho abusa,
diga-lhe um “não”, que faz bem.
Muita vez uma recusa
salva o futuro de alguém.
A. A. DE ASSIS – PR

De uma forma desmedida,
muita gente, a toda hora,
dizendo gozar a vida,
vai jogando a vida afora!…
ALFREDO DE CASTRO – MG

Quanta gente em devaneios,
buscando instantes risonhos,
vive dos sonhos alheios
e esquece dos próprios sonhos!…
ANTÔNIO JURACI SIQUEIRA-PA

Se entre guizos, eu componho
meu disfarce de Arlequim,
há sempre um Pierrô tristonho,
que chora dentro de mim!
CAROLINA RAMOS – SP

Eu peço que não me iludas,
nem me deixes com infarto
com essas pernas desnudas
na penumbra do teu quarto.
CLÊNIO BORGES – ES

E desde o raiar do dia,
entre rocha, musgo e lua,
vou te fazendo poesia,
morta de saudade sua.
DÁGMA VERÔNICA -MG

Onde a lei torta vigora
e o povo ao jugo se presta,
o rico só comemora
e o pobre é quem paga a festa.
DIVENEI BOSELI – SP

A dor materializou-se,
nestas lágrimas sem cor.
Meu orgulho evaporou-se…
Rendi-me à força do amor!
FRANCISCO NEVES MACEDO-RN

Existe amor sem sequelas,
na união de um casal,
nos romances e novelas,
nunca na vida real.
GERALDO AMÂNCIO PEREIRA – CE

E’ de ternura o momento
em que o Sol sorri no espaço,
se faz vida e sentimento
e lança ao mar seu abraço!
GISLAINE CANALES – SC

Quando chegar, vou sorrir;
sorrirás, quando eu chegar.
Não chores quando eu partir,
para eu partir… sem chorar…
IZO GOLDMAN – SP

Sonhei um sonho tão triste!…
Sonhei que o mundo acabou…
– Logo depois, tu partiste,
e o sonho se confirmou…
JOSÉ OUVERNEY – SP

Para ser feliz, na vida,
bem alegre, a todo instante,
sem causar qualquer ferida,
o equilíbrio é importante.
NEI GARCEZ-PR

Sem rodeio e sem firula
deixo a todos essa dica:
Impostor sempre bajula,
amigo às vezes critica!
PEDRO ORNELLAS – SP

Você pode até amar
aos limites do impossível,
mas ao se relacionar,
equilíbrio, imprescindível.
RAYMUNDO SALLES BRASIL-BA

Quando à noite, a solidão
e a saudade trazem dor,
vou dizendo ao coração:
-é o preço por tanto amor.
ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE – RJ

Na vida, em toscos degraus,
entre tropeços a sustos,
mais que a revolta dos maus,
temo a revolta dos justos!
RODOLPHO ABBUD – RJ

Um coração congelado
pega fogo, de repente,
quando o amor, fósforo alado,
risca faíscas na gente!
ROSA DE OLIVEIRA – PR

Fonte:
ACRUCHE, Roberto Pinheiro. Trovas e Poemas. n.19. setembro de 2010.

Deixe um comentário

Arquivado em Balaio de Trovas

Aloisio Alves da Costa (20 Novembro 1935 – 24 Fevereiro 2010)

Aloísio Alves da Costa, o “Velho Marujo” como gostava de ser chamado faleceu na data de hoje, 24 de fevereiro de 2010.

Aloísio nasceu a 20 novembro de 1935 em Umari/CE, filho de Vicente Alves da Costa e Vicência Alves Aranha. Ex militar da Marinha brasileira. Residiu bom tempo em Nova Friburgo, onde iniciou suas atividades poéticas obteve o honroso título de “Magnífico Trovador”. Publicou “Cantigas um sonhador” e “Cantigas de três”.
_____________

Trovas que Deixam Saudades

Quem não aprende em menino,
tem que aprender na velhice,
que ter pai pobre é destino,
mas sogro pobre é burrice!…

Minha irmã conta as topadas,
que já deu pelos caminhos,
pelas pedras arrancadas…
– E eu conto, pelos sobrinhos!…

Sambando quase pelada,
no ‘No bloco do vai sem medo”,
Paulete foi mais cantada
que o refrão do samba enredo..

Quando a noiva viu a cama
que a esperava pra dormir,
mandou sustar o proclama
e desistiu do faquir!…

Na farmácia, ao ver o busto
da balconista, hesitante,
em vez de xarope, o Augusto
pediu mesmo foi calmante!…

O que faz eu ter ciúme
da Rosinha – diz o Freire:
– É que a Rosa tem perfume
mas não é flor que se cheire…

Sendo orador de alta escala,
é tão profundo e erudito,
que a gente, quando ele fala,
só entende o… “tenho dito”.

Partiste, chorando tanto,
no teu rumo oposto ao meu,
que, solidário ao teu pranto,
o céu fechou-se… e choveu…

Na tua ausência, a meu lado,
em cima de nossa mesa,
o candelabro apagado
mantém a saudade acesa!…

Teimei no amor… e errei tanto
na teimosia de amar,
que eu mesmo não sei mais quanto
errei tentando acertar!…

Partiste, cigana errante,
e de uma noite em teu leito,
restou-me um sonho distante
e esta saudade em meu peito’…

Meu sonho em mágoa desfeito,
tão grande fez meu desgosto,
que não cabendo em meu peito
se fez pranto em meu rosto!…

Feito de essência divina
e fluídos de eternidade,
um grande amor não termina,
mas se transforma em saudade!

Dando na alma embevecida,
laços de amor e amizade,
fui, na jangada da vida
um pescador de saudade!…

Sempre que a vida me nega
segurança nos meus passos,
minha esperança me pega
e me carrega nos braços!

Na luta contra a cobiça,
mantendo na alma a esperança,
meu desejo de justiça
é maior que o de vingança!

Quando a vida se complica
nas horas de solidão,
amigo é aquele que fica
depois que os outros se vão.

Não busques falso tesouro
se bens duráveis garimpas…
Nem sempre as mãos que têm ouro
e pedras raras, são limpas…

Castigado desde cedo,
tanto apanhei do destino,
que nunca tendo um brinquedo,
nem lembro que fui menino.

Dói a saudade em meu peito
e eu canto, não silencio…
Quando mais pedras no leito,
mais alto o canto do rio!…

Nem ouro, nem pedra rara,
nada que vem do garimpo,
vale um fio de água clara
no leito de um rio limpo…

Quando a voz de um pai ressoa
e a de um filho abaixa o tom,
conselho é semente boa,
plantada em terreno bom!

Sou de onde o vento trabalha,
lá onde a brisa fagueira
embala de leve a palha,
beijando a carnaubeira! …

Era uma vez uma dona
que andava a pé, sem ninguém;
e tanto pediu carona,
que ganhou carro também! …

Teu olhar… a voz macia…
tuas promessas de amor…
– são notas de fantasia
na pauta da minha dor.

Dos jogos o mais nocivo,
até hoje, em meu caminho,
tem sido o rebolativo da mulher
do meu vizinho!

Dos ideais o maior
é viver, lutar, e, após,
deixar um mundo melhor
aos que vêm depois de nós.

Enquanto o Zé Liberato
sai em busca da gatinha,
pela janela entra um gato
que janta a sua sardinha!

Creio em Deus, unicamente
não ando rezando à-toa…
– tenho uma alma que sente
e um coração que perdoa!

Somente um bem acontece
quando a gente cai doente:
doente é que se conhece
quem é amigo da gente.

Vejo em ti, coroa rica,
dois males que não têm cura:
– capa de pura pelica,
– cara de pelanca pura!

De olhos baços, pelas ruas,
vi, distante de Belém,
que sem a chuva das duas,
saudade molha também!

Já diz o velho ditado,
que lenha verde e viúva,
com paciência e cuidado
pegam fogo até na chuva!…

Quando a lei se faz omissa
e a impunidade se solta,
do silêncio da justiça
surgem gritos de revolta…

Não condeno o revoltado
que defende seu direito…
-revolta de injustiçado,
merece todo respeito!

Quando instantes de carinho,
trazem saudades depois,
lembrança é viver sozinho
de um sonho vivido a dois.

Quando não vens, na ansiedade
desses momentos perversos,
vem a musa da saudade
pôr mais saudade em meus versos.

Agora que tu partiste
e a saudade está chegando,
desculpe o meu verso triste,
minha musa está chorando!…

Volátil, discreta e doce,
no instante certo, presente,
a musa é como se fosse
o anjo-da-guarda da gente…

As musas, não posso vê-las…
vivem num mundo distante…
mas posso além das estrelas
ouvi-las a todo instante

No momento doce e breve
que a inspiração nos invade,
dos versos que a gente escreve,
a musa escreve metade!…

Na luta contra a cobiça,
mantendo na alma a esperança,
meu desejo de justiça
é maior que o de vingança!

Preguiçoso, o “ZÉ PIJAMA”,
Tanta preguiça agasalha,
Que a mulher só não reclama
Porque o vizinho trabalha.

Mensagem de amor profundo,
nos deu o Mestre Divino…
O maior homem do mundo
antes foi pobre menino!…

Esta saudade infinita
do amor que a gente viveu,
é a mensagem mais bonita
que o meu passado viveu!…

Vencendo o tempo e a distância,
mensagens da mocidade,
sempre nos trazem da infância,
saudade … muita saudade…

Mensagem que se recebe
e nos enche de quimeras,
é aquela em que se percebe
que as palavras são sinceras

Ante o medo que angustia,
talvez a grande mensagem,
fosse a que Deus nos diria …
– Coragem, filho, coragem …

Dói a saudade em meu peito
e eu canto, não silencio…
Quanto mais pedras no leito
mais alto o canto do rio!

Na tua ausência, ao meu lado
em cima da nossa mesa,
o candelabro apagado
mantém a saudade acesa.

Dentro da noite inclemente
De frio intenso e garoa,
o agrado de um beijo quente
garante que a noite é boa!…

– Pelas ruas da lembrança,
nas cirandas das calçadas,
saudade, sonho e esperança,
brincam juntos de mãos dadas!

– Quando o amor se faz lembrança
e a solidão nos invade,
ou se vive de esperança
ou se morre de saudade…

– Quando Deus fez da Trindade
a divina aventurança,
entre a fé e a caridade,
pôs em destaque a esperança…

– Na carta que ela me fez,
nas reticências sem fim,
a incerteza de um “talvez”
dá-me esperanças de um “sim”…

Na linha desta saudade,
que é tua e também é minha,
nós somos nós de verdade
nas duas pontas da linha!

Passa o tempo, a idade avança…
e na velhice inclemente,
a velha, numa cobrança
mata o velho… inadimplente…

Toda noite na gandaia,
vai muito mal a Loló…
Pois perdeu além da saia
outras coisas no forró.

______________
Fonte:
UBT Juiz de Fora

Deixe um comentário

Arquivado em Balaio de Trovas, Ceará., Nota de Falecimento

Viajando pelo Sul em Trovas

Amar é bom, ame à beça,
o mais que puder amar;
ame sem medo e sem pressa,
de preferência ao luar!
A A de Assis-PR

Lembranças da minha infância;
lembranças da mocidade.
Hoje só resta a distância
ligada pela saudade.
Alberto Paco – PR

Partiu a jangada airosa
na praia ficou Maria,
pedindo, de alma ansiosa,
que ela volte ao fim do dia.
Amália Max – PR

Adocei minha saudade,
bem lembrando de você…
Pense em mim, tenha bondade,
esquecer?… Não sei por quê!
Apollo Taborda França – PR

Sorrisos trago e os semeio
como quem lança um fermento
que traga ao mundo o recheio
da paz e do entendimento.
Arlene Lima-PR

É Curitiba no inverno
uma cidade tão fria
mas seu abraço fraterno
nos traz calor e alegria.
Camilo Borges Neto – PR

Alô trova, aquele abraço,
disse o poeta trovador:
– Em quatro linhas eu traço
quatro versos de valor!
Ceciliano José Ennes Neto-PR

No transcurso do caminho
as flores vamos jogando,
sem nos importar com o espinho,
se nele vamos pisando.!
Cyroba Ritzman – PR

Deus, que semeia o sagrado,
para manter nossa crença,
criou um céu estrelado,
sinal da Sua presença!
Gerson César Souza – PR

A verdade, quando dita,
por mais dura que pareça,
é uma dádiva bendita
que faz com que a gente cresça.
Nei Garcez – PR

Da janela da velhice,
eu contemplo com saudade
os jogos da meninice
e as festas da mocidade…
Olga Agulhon- PR

Pinheiro do Paraná,
eu não te esqueço jamais,
algo mais lindo não há
no chão dos Campos Gerais!…
Sônia Ditzel Martelo – PR

Vence valores, de fato,
quando em meio à discussão,
se revolta de imediato,
mas, na ofensa… dá o perdão!!!
Vânia Maria Souza Ennes – PR

A semente é como a trova,
de modo geral pequena,
bem plantada se renova
numa riqueza serena.
Vidal Idony Stockler – PR

Brasil de muitas culturas,
país altaneiro e belo!
É a beleza das misturas
que aviva o verde e amarelo.
Wandira F. Queiroz – PR

À noite vou namorar:
– Da lua já nem preciso!…
só quero ver teu olhar
fascinando o meu sorriso.
Ari Santos de Campos – SC

Vamos a vida encantar
com nossa Trova querida,
e na Trova, então cantar,
um hino de amor à vida!
Gislaine Canales – SC

Que saudade dos brinquedos
do meu tempo de criança,
tendo os risos e folguedos
como arautos da esperança.
Alice Brandão-RS

Solidão faz apertado
o coração sofredor,
que desperta, inebriado,
ao toque de um novo amor.
Ana Michel – RS

Depois de longa jornada
tenho uma grande ambição:
quero percorrer a estrada
que leva ao teu coração.
Clênio Borges – RS

Quero entender a magia
do silêncio , que renova ,
e afastar a nostalgia ,
que chora na minha trova!
Delcy Canalles-RS

As pedras do meu caminho
vou transpondo-as com ardor
e cada dia um trechinho
vira caminho de amor!
Flávio Stefani – RS

Não adianta querer tanto,
nem amar sem ser amado,
foi assim meu desencanto
ao me sentir desprezado.
Ialmar Pio Schneider-RS

No brinquedo “Esconde- esconde”,
eu me escondia tão bem,
que, até hoje, não sei onde,
eu me escondi…E de quem?
Lisete Johnson – RS

A imaginação flutua,
dando à vida, mais sabor…
…Que a lua é muito mais lua
nos versos de um trovador!
Marlê Beatriz Araújo-RS

Quando a mágoa nos revolta,
e os dias tinge de breu,
só o Perdão nos traz de volta
a luz que a mágoa escondeu.
Marisa Vieira Olivaes – RS

Um erro sempre é semente
de uma dor que vai nascer.
Perdão é o melhor presente
que alguém pode receber…
Milton Souza-RS

Pra que teu lar seja um templo,
pleno de amor e de paz,
mostra o caminho do exemplo,
que é sempre o mais eficaz.
Neoly de Oliveira Vargas – RS

Foi preciso muito brio,
quase a coragem faltou,
para enfrentar o vazio,
que a tua ausência deixou!
Wilma M. Cavalheiro-RS
—————

Fonte:
Revista Trovamar – União Brasileira de Trovadores – UBT Balneário Camboriú – SC – Ano 6 – Nº 62 – Fevereiro de 2010

Deixe um comentário

Arquivado em Balaio de Trovas

Diálogo Culinário

Eu adoro mocotó
caldo de carne e farinha
mas vou provar teu jiló,
co´essa pimenta e galinha.
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Sendo tão boa de prato,
dou-te uma vaca atolada.
Mas, sei que tu queres de fato,
Uma saborosa favada.
Carlos Soares (Natal/RN)

Já perdí o apetite
a favada me assustou
agora sem um palpite
vou jantar ovo… Se vou!
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Estás fazendo dieta?
Proponho então… uma seleta!
Nem feijoada completa,
nem ovo na omeleta…
Carlos Soares (Natal/RN)

A receita se completa
se delícia de compota
no dizer do meu esteta
me deixar aquém da cota.
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Rezando pelo esteta,
compota de esturjão!
Ova do peixe, completa,
à preservar teu corpão.
Carlos Soares (Natal/RN)

Uma torta de palmito
acompanha esse menu
delícia que eu repito
com salada de chuchu.
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Feijão verde com nata
e uma boa farofa,
a carne assada na brasa
o cabra come que “gofa”.
Carlos Soares (Natal/RN)

Quibe ou mesmo um vatapá
regado ao sol do Brasil,
tem sabor do ar de cá,
liberdade… Humor febril!
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Dó, ré, mi, fá, si bemol,
assim me ponho a cantar,
se me dão carne de sol
e um bom arroz de cuxá.
Carlos Soares (Natal/RN)

Hoje a dieta é magrinha
num calorão de matar
só suco e uma polentinha
depois sorvete e nadar…
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Num dia quente, exaurido,
refresco de maracujá
ou de limão espremido
pras forças recuperar.
Carlos Soares (Natal/RN)

Sopa cremosa de ervilha
e gostoso pão torrado
deliciosa maravilha,
não se deixa ali de lado.
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Depois dessa guloseima
Um bom licor de cacau
Pois nos ajuda na queima
e assim ninguém fica mal.
Carlos Soares (Natal/RN)

Um salgadinho, coxinha
e um suquinho gelado,
matou a fome que eu tinha
me deixou alimentado.
Augustus Vinicius (São Luís/MA)

Esse frango à passarinho
com salada de tomate,
regado ao copo de vinho…
Ah, delícia, me arrebate!
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Lembraste bem!
A passarinho!
Será que tem
arroz soltinho?
Carlos Soares (Natal/RN)

Arroz soltinho tem não,
mas tem um baião de dois,
tão gostoso, meu irmão,
dá certinho pra nós dois…
Edir Pina de Barros (Cuiabá/MT)

Nem um cuscus com jabá?
Um café preto torrado?
Um queijo assado, quiça!
Banana maçã com melado?
Carlos Soares (Natal/RN)

Comi uma caranguejada
bem lá no bar da Lenoca,
juntinho com a namorada
que pra beber pediu coca.
Augustus Vinicius (São Luís/MA)

Sem coca, como a paçoca
sem amor janto a desdita
se a saudade me empipoca
até rejeito a marmita.
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

E faço greve de fome
e dispenso esse banquete
minha dor nem tem um nome…
… mas um porco no rolete…
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Na venda do seu Joaquim
Nas quintas, estou por lá,
Um bom bolo de aipim,
um prato com munguzá.
Carlos Soares (Natal/RN)

Testando ou gerundiando,
caio com gosto no prato,
degusto apimentando,
a dobradinha de fato!
Carlos Soares (Natal/RN)

Dobradinha já não gosto,
pra mim parece borracha,
mas tem quem ame, aposto,
então meu gosto esculacha…
Augustus Vinicius (São Luís/MA)

Ao menos nesta cozinha
fique certo, tudo pode.
Vem e dá u´a provadinha
nesta buchada de bode…
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)

Se for mal a gente alinha
num menú menos profano
uma canja à mineirinha,
ou um caldo lusitano.
Ana Maria Gazzaneo (Bragança Paulista/SP)
———–

Observação: A União Brasileira dos Trovadores tem por norma versos setesilabicos com as rimas entre o 1o. e 3o. Verso, 2o. e 4o. Versos. No caso de tal não ocorrer, geralmente são denominadas quadras.

Fonte:
http://recantodasletras.uol.com.br/forum/

Deixe um comentário

Arquivado em Balaio de Trovas, Quadras