Arquivo da categoria: Dia do Trovador

Sílvia Araújo Motta (Dia do Trovador)

001-Mês de julho! Joguem flores!
Lancem perfumes no ar,
a todos os Trovadores
muito honrada vim saudar.

002-Dia dezoito de Julho,
o Calendário comprova,
nasceu para nosso orgulho:
-Real Príncipe da Trova.

003-Gilson de Castro nasceu
na alegre Rua Uruguai,
no Andaraí conviveu,
mas da memória não sai.

004-Rio de Janeiro encena,
ano mil e novecentos
e dezesseis, julho acena:
-Gilson nasceu com talentos.

005-Filho de Octávio de Castro:
-Doutor,Primeiro (1º) Tenente…
Trovador Gilson de Castro
foi dentista eficiente.

006-Dona Antonieta Motta
de Castro, mãe da criança,
com pesar não lhe denota,
nem a maternal lembrança.

007-Mãe de Gilson faleceu
quando ele tinha dois anos,
pequenino já sofreu,
tristeza dos desenganos.

008-Mãe morena, meiga e linda,
quem a conheceu descreve:
-Gilson bem pequeno, ainda,
não se lembra, mas escreve.

009-Poeta e bom escritor
cursou Odontologia,
os versos de Trovador,
em trinta e seis, já os fazia.

010-Pseudônimo que usava
em (Luiz Otávio) escondia
talento que demonstrava
porque TROVA preferia.

011-Luiz escrevia TROVA
para Jornais das Cidades,
Adelmar Tavares, prova:
-Para todas as idades.

012-Nas Colunas Literárias,
para os fãs oferecia
TROVAS extraordinárias
e críticas de Poesia.

013-Luiz Otávio cantava,
compunha letras-canções
e Glauco, o acompanhava
na Amizade e nas lições.

014-Gilson de Castro casou-se
no ano de quarenta e dois,
com Elzy, apaixonou-se,
tiveram filhos, só dois.

015-Vinte e sete anos casados
“os silêncios dizem tanto”
daqueles tempos passados
felicidades ou pranto.

016-Luiz Otávio deixou
trovas lindas filosóficas,
a humorística ensinou,
mas gostava era das líricas.

017-Leia o que diz na TROVA
Gilson de Castro-o ator,
Luiz Otávio-Trovador:
neste verso tradutor:

018-(Duas vidas todos temos,
muitas vezes sem saber:
-a vida que nós vivemos,
e a que sonhamos viver…)

019-Pelo Rádio e pela Imprensa
fez TROVA até trinta e oito,
mas fez toda a diferença
no ano de cinquenta e oito.

20-A Coletânea famosa
“Meus Irmãos, os Trovadores”
tornou a TROVA HONROSA
entre os vários escritores.

021-Duas mil TROVAS mostrou
somente em cinquenta e seis,
a edição logo esgotou
por ditar normas e leis.

022-Veja a curiosidade
das duas mil, quem diria:
-Bela lição de humildade
não pôs de sua autoria.

023-O GTB da Bahia
era o GRÊMIO Trovador
que no Brasil se expandia
com Mestres plenos de amor.

024-Deve-se a Rofolpho Coelho
Cavalcante, Trovador,
do Cordelista, o espelho,
do GTB-Fundador.

025-Luiz Otávio e Jota Gê
de Araújo Jorge, então,
fundaram… o que se vê
do GTB, uma Seção.

026-No Estado da Guanabara,
lá no Rio de Janeiro,
a nenhum lugar compara,
o que o LUIZ, fez primeiro.

027-Escreveu Regulamento,
Manuais de Orientações,
Decálogo, Juramento
para o Trovador: lições.

028-Em prol da Trova lutou!
Concursos, Premiações
nos Estados divulgou
e despertou emoções.

029-E no ano de sessenta,
o Congresso Brasileiro,
em São Paulo apresenta:
-Trovadores Violeiros.

030-Sete de setembro, conta(1960)
que Adelmar foi REI da TROVA,
Lilinha, RAINHA apronta,
o que o PRÍNCIPE aprova.

031-Deputado Gama Lima
do Estado da Guanabara,
pôs o Trovador lá em cima
por que seu DIA aprovara.

032-Luiz Otávio queria
que o DIA do TROVADOR,
do São Francisco escolhia,
por merecido valor.

033-Quatro de outubro queria,
mas um Trovador não quis:
-O dia já pertencia
a São Francisco de Assis.

034-São Francisco, com certeza,
PATRONO dos Trovadores
põe simplicidade à mesa,
versos de todas as cores.

035-Apesar da decisão
desde o ano de sessenta,
na Assembléia, a votação,
o Deputado sustenta.

036-Dezoito de julho, enfim
é o DIA DO TROVADOR,
Deputado Gama e Lima
enxertou Rosa ao Amor.

037-Luiz Otávio deixou
trovas lindas filosóficas,
a humorística ensinou,
mas gostava era das líricas.

38-Leia o que diz na TROVA
Gilson de Castro-um ator,
Luiz Otávio-Trovador:
neste verso tradutor:

39-(Duas vidas todos temos,
muitas vezes sem saber:
-a vida que nós vivemos,
e a que sonhamos viver…)

040-Gilson de Castro encontrou
o seu amor verdadeiro;
com Carolina colheu
Ramos, flores, o ano inteiro.

041-Em Santos, berço paulista,
o casal soube provar
ao mundo mais realista,
o quanto foi bom amar.

042-Carolina é Trovadora
brasileira, bem famosa,
e da TROVA vencedora
tem o perfume da rosa.

043-Luis Otávio pôs nos versos
belas notas musicais,
belas canções e carversos,
Hino dos Jogos Florais.

044-O Hino dos Trovadores,
o Natal do Trovador
belo Hino da UBT,
Valsa das Musas do Amor.

045-Luis Otávio é imortal,
da TROVA, o divulgador;
no Brasil não teve igual,
trabalho feito de amor.

046-Gilson de Castro dá o nome
à Rua, Praça, Avenida,
e deixou seu sobrenome
aos filhos por toda a vida.

047-Cláudio e Márcio aprenderam
com o Trovador a Lição:
-As trovas se enriqueceram
com Luiz Otávio, paizão.

048-Luiz Otávio, ainda vive
em Troféus de Premiações,
por muitas horas estive
a estudar suas lições.

049-Ó TROVADOR meu irmão
quando fizeres POESIA,
proclama sempre a UNIÃO
razão de toda a alegria.

050-Há UBT nas Capitais!
Sempre haverá TROVADORES
nas Cidades principais
ou mesmo nos interiores.

051-Perdemos o TROVADOR!
Na tristeza, com certeza,
ficamos órfãos do AMOR,
herdamos toda a beleza.

052-Toda TROVA tem beleza
sementeira de união,
é sempre uma vela acesa,
que ilumina a inspiração.

053-E o nosso Príncipe passa
em São Paulo, na UTI…
no Hospital da Santa Casa
de Misericórdia, sim!

054-A ROSA ficou mais triste,
nos quatro versos tristonhos,
no regulamento existe
e faz renascer os sonhos.

055-Por ciúmes, desavenças,
o GRÊMIO do Trovador!
Brasileiro, já sem crenças
trouxe ao (Gilson) muita dor!

056-Várias NORMAS registraram
a diferença da TROVA,
Regulamentos mostraram
o que a QUADRA não aprova.

057- A inveja somente encerra,
em mágoas, desunião
e termina sempre em guerra
sem a ROSA da União.

058-O mundo foi sempre assim,
a história pode contar:
-Quando Abel matou Caim
a inveja só fez chorar.

059-Nos séculos XII e XIII,
começou o Trovadorismo
e até mesmo no XXI,
Portugal põs seu lirismo.

060-O movimento Poético
trouxe o bom Compositor,
que trazia dons artísticos
do excelente TROVADOR.

061-Trovadorismo, em verdade,
as Cantigas produziam,
para o JOGRAL, que em verdade,
sons do instrumento trazia.

062-Viola, Flauta, Alaúde,
instrumentos indicados
brindavam paz e saúde,
com TROVAS para os amados.

063-O Centro irradiador,
na Península Ibérica,
pôs no canto TROVADOR
Portugal/Espanha, ética.

064-Ao Norte de Portugal,
onde o Trovador cantava,
era linda a Catedral
que Galiza apresentava.

065-Santiago de Compostela,
em mil e setenta e cinco
atraía toda aquela
turma da TROVA, pressinto.

066-Iniciada a construção,
contratados os JOGRAIS,
levavam a animação,
cantada nas Catedrais.

067-Trovadores ambulantes,
sempre em festas das cidades
mostravam TROVAS cantantes
nos Castelos, de verdade.

068-Hoje JOGRAIS Trovadores
animam muitos torneios,
com viola, cantadores
cuidam dos tantos anseios.

069-Mas na França é que nasceu
lirismo…Século XI,
que até hoje floresceu…
pleno Século XXI.

070-Gênero Lírico, sim
mostrava o valor no Amigo,
no Escárnio ficava assim
a maldizer o inimigo.

071-Novela de Cavalaria,
tinham Colonizadores,
sempre exigia POESIA
escrita por TROVADORES.

072-Repercussão Nacional
chegou à Literatura:
-Cordel é mesmo real,
no Nordeste faz cultura.

073-Influência TROVADORA
de cultura popular,
no Cordel, turma cantora
toca, alegra sem parar.

074-Na idade Média, a data
não se tem com precisão,
só sei que a TROVA resgata
a emoção e a concisão.

075-Tipos de Poeta havia:
TROVADORES-da nobreza,
SEGRÉIS-que sobreviviam
da poesia, com certeza.

076-Os JOGRAIS- sempre cantavam
poemas dos TROVADORES,
dançarinas contratavam,
mulheres e homens atores.

077-A TROVA, o Planeta invade,
D. Pedro, sobremaneira,
Camões, Manuel de Andrade,
C. Meireles, Manuel Bandeira.

078-Na ABL, há uma Cadeira
só para o REI TROVADOR,
para nós, sempre a primeira,
para Adelmar, o louvor.

079-Adelmar Tavares quis
fazer TROVA e ensinar
que numa estrofe feliz
cabe o céu, a terra e o mar.

080-Quisera ter conhecido
o Acadêmico Adelmar,
o Brasil ficou sentido,
quando morreu a reinar.

081-Quisera ser a Rainha
do excelente Trovador,
mas sou apenas Madrinha
do poeta sonhador.

082-A TROVA é bem popular,
no tamanho é pequenina,
no coração faz o lar,
um universo, nos ensina.

083-A TROVA é originária
da Quadra de Portugal,
No Brasil é extraordinária,
tem aceitação total.

084-A ACADEMIA de TROVAS
fundada em Minas Gerais(AMT)
aos TRÊS de agosto, tem provas,
no Estatuto exige mais.

085-Cândido Ubaldo Gonzalez
o primeiro Presidente,
na AMT, por sua vez,
Diretoria eficiente.

086-Valeriano Rodrigues,
(22)tantos anos Presidente,
na AMT, também divide
liderança competente.

087-Dos Dez Membros Fundadores
temos apenas dois vivos,
dos quarenta Trovadores,
um Presidente cativo.

088-A AMT é considerada
de Pública Utilidade
Estadual, aprovada
desde 63, na verdade.

089-Os Trovadores congregam
as Cadeiras Efetivas,
são quarenta que segredam
as TROVAS mais seletivas.

090-A AMT cultua a trova
no discurso Trovador,
que é obrigatório e comprova
na Posse, a Festa de Amor.

091-A AMT tem na Bandeira
a ROSA, a coroa e a cruz
traz na tríade mineira
o vermelho, verde e luz.

092-E a União dos Trovadores
por UBT, conhecida
teve de organizadores
a gestação concebida.

093-Ano de sessenta e seis
foi só de organização
e Gilson de Castro fez
da Trova, a eterna lição.

094-Trovadores, finalmente
comprovam a Fundação,
no ano de sessenta e sete
a UBT, entrou em ação.

095-Dia oito de janeiro
de sessenta e sete, então,
A UBT fez o primeiro
encontro da solução.

096-Fundadas oficialmente,
Delegações e Seções,
trabalhando seriamente,
concursos e premiações.

097-Tem a UBT Nacional
mais de três mil Trovadores,
na Regional, Estadual,
somos todos vencedores.

098-O Brasil tem Trovadores,
mais de duzentas cidades,
Estados organizadores
são dezesseis, na verdade.

099-Promovem Jogos Florais,
Trovadores Nacionais,
50 Concursos anuais
e outros internacionais.

100-Cantemos felicidade
da magia Trovadora,
conservemos a amizade
porque a pauta é promissora.

101-Nunca deixe o sentimento
ficar triste, Trovador,
mas se houver falecimento
não enterre o seu AMOR.

102-Bem sei que o bom TROVADOR
verseja sobre a PAIXÃO,
canta na dor e no amor
sente o calor de um vulcão.

103-Por que choras toda hora,
excelente Trovadora?
Já podes sorrir, agora
já tens TROVA vencedora!

104-Tantas TROVAS desfraldamos
no barco Desilusão,
junto às velas, naufragamos
sem âncoras da ilusão.

105-Sem pesadelos descansas…
ao acordar põe na TROVA
todas as suas lembranças,
verás o que o tempo aprova.

106-Trovas de AMOR tem da ROSA
o perfume enevitável,
faz a vida cor-de-rosa
e a PESSOA? Mais amável!

107- Descrença, dor, decepção,
na vida, quem não as tem?
Fazem sofrer! Coração:
-Se bate mal, não faz bem.

108-São Paulo, em proposição,
Dep. Sólon Borges Reis,
aprovado na eleição,
TROVADOR chegou às Leis.

109-DEZOITO de Julho! Amém!
Os TROVADOIRES Paulistas
fazem a festa também,
rezam com TROVAS benquistas.

110-Nossa Empresa Brasileira
de Correios e Telégrafos
fez divulgação certeira:
-Pôs na data, seus carimbos.

111-Se hoje, vivo estivesse
Luiz Otávio brindaria
noventa anos, e em prece
sua TROVA encantaria.

112-Cantemos ao TROVADOR
que na TROVA põe beleza
e ao mostrar somente AMOR
espanta nossa tristeza.

113-Cante comigo a canção:
-Parabéns ao Trovador
e agradeça em Oração,
o esquecimento da dor.

114-Meu querido Trovador:
-Vamos dar as nossas mãos,
cirandar somente AMOR,
para sermos mais irmãos.

115-Conta para nós o sonho
que em vida já realizou,
ponha na TROVA, proponho
tudo o que já o alegrou.

116-Cante o Hino Trovador,
aperte bem, junte mãos,
Poetas vivem AMOR
por que são todos irmãos.

117-Cante e esqueça cicatrizes,
faça como os TROVADORES:
-Sabem viver mais felizes.
porque despertam amores.

118-Dezoito, no mês de JULHO,
faça TROVAS! Faça AMOR
e cante com todo orgulho:
-PARABÉNS AO TROVADOR.

119-Agora vou terminar.
Falaria muito mais…
porque a TROVA sei amar
sem esquecê-la jamais.

120-Sou a Sílvia Professora
bem feliz aposentada,
na UBT, sou TROVADORA
e na AMT, empossada.

Fonte:
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/195536

Deixe um comentário

Arquivado em Dia do Trovador, Trovas

18 de Julho (Dia Nacional do Trovador)


O dia 18 de julho é o dia consagrado aos trovadores do Brasil. A data foi fixada por leis estaduais e municipais, onde que haja um cultor da Trova, em homenagem ao Trovador LUIZ OTÁVIO, o responsável pelo insuperável movimento literário brasileiro, que é o movimento trovadoresco nacional.

No dia do Trovador, todas as Seções da União Brasileira de Trovadores – UBT e Delegacias espalhadas por centenas de municípios brasileiros comemoram a data com almoços festivos, reuniões, com as chamadas chuvas de trovas, (centenas de trovas impressas) jogadas das janelas dos trovadores, para que os transeuntes se deliciem com as trovas que vão caindo ao sabor do vento. São realizadas palestras, enfim, cada seção ou delegacia comemora da melhor forma que pode a passagem do dia legalmente dedicado ao trovador.

A data foi escolhida em homenagem a LUIZ OTÁVIO, o Dr. Gilson de Castro, um dos mais conceituados Cirurgiões – Dentistas da época, formado pela Faculdade Nacional de Odontologia da Universidade do Brasil, em 1936. Sua clientela não ficava restrita apenas ao município Rio de Janeiro, se espalhava por São Paulo, Santos, Belo Horizonte e outras cidades mais próximas da sede do seu consultório, que, recordo como se fosse hoje, ficava na Rua do México, 119, no 9º Andar.

LUIZ OTÁVIO nasceu no Rio de Janeiro, no dia 18 de julho de 1916. Filho de OCTÁVIO DE CASTRO e Dona ANTONIETA CERQUEIRA DA M. CASTRO.

LUIZ OTÁVIO foi o precursor do movimento trovadoresco brasileiro, tendo publicado em 1956, a primeira Coletânea de Trovas, intitulada “ Meus irmãos, os Trovadores”, contendo mais de duas mil Trovas, mais de seiscentos autores brasileiros, notas elucidativas e bibliográficas.

O “Castanheira – de – Pêra”, Jornal Português de 11 de agosto de 1958 publicou sobre Meus Irmãos, os Trovadores:

“Esta coletânea, a primeira do gênero, veio preencher uma lacuna que se fazia sentir. Apresenta mais de seiscentos autores brasileiros, duas mil trovas, inúmeras notas bibliográficas e elucidativas e minuciosa introdução com um estudo sobre a trova. É um valioso trabalho que se impõe. A Luiz Otávio, em quem há muito reconhecemos idoneidade literária e bom sentido poético, apresentamos os nossos parabéns e os desejos de que o seu trabalho tenha a divulgação que a todos os títulos merece”.

Referindo-se ao mesmo trabalho de LUIZ OTÁVIO, A ILHA, JORNAL DA África- São Miguel dos Açores, de 16 de fevereiro de 1957, registrou:

“ Esta grande coletânea de trovas honra LUIZ OTÁVIO pelo seu trabalho, seriedade, competência e cultura, contribuindo para uma melhor compreensão deste tão ‘ simples e difícil‘ gênero poético. “.

O Correio da Manhã do Rio de Janeiro, na edição de 27 de janeiro de 1957, em coluna assinada por Sílvia Patrícia, assinalou:

“Meus Irmãos, os Trovadores, o volume novo que LUIZ OTÁVIO – Papai Noel da Poesia- ofereceu-nos no Natal que passou, é quase um romance no qual cada pena desta nossa irmandade de sonho narra, em quatro linhas, uma alegria ou uma tristeza, cardos e flores encontrados pelo caminho.”

O Jornal O Positivo, de Santos Dumont, MG., em coluna assinada por Antônio J. Couri, no dia 1º de outubro de 1957, escreveu sobre Meus Irmãos, os Trovadores:

“Raríssimas são as vezes em que o Brasil tem a oportunidade de conhecer coletâneas de poesias, ou , simplesmente quadras. Agora temos uma apresentada por LUIZ OTÁVIO, porém de trovas. De uma organização primorosa , o autor de “Cantigas para Esquecer” soube escolher a matéria que compõe o livro, constituindo assim um verdadeiro monumento de arte da poesia nacional.”

Evidentemente, não seria necessário selecionarmos as opiniões acima para este modesto trabalho a respeito do Dia do Trovador e de LUIZ OTÁVIO, o responsável pelo reconhecido movimento trovadoresco da atualidade, que começo a se firmar a partir da publicação de “ Meus Irmãos, os Trovadores“,obra que reuniu trabalho de trovadores de todos os recantos do território nacional, numa época em que os meios de comunicação ainda eram bastante precários, o que, por certo, valorizou ainda mais o livro, pelo trabalho incessante do Autor, inveterado apaixonado pela trova, como escreveu.

“A trova tomou-me inteiro!
tão amada e repetida,
agora traça o roteiro
das horas de minha vida.”

“Trovador, grande que seja,
tem esta mágoa a esconder:
a trova que mais deseja
jamais consegue escrever … “

Por estar na solidão,
tu de mim não tenhas dó.
Co trovas no coração,
eu nunca me sinto só.”

No ano de 1960, em Congresso de Trovadores realizados em São Paulo, foi eleita a Família Real da Trova, ficando assim constituída : Rainha da Trova : LILINHA FERNANDES (Maria das Dores Fernandes Ribeiro da Silva); Rei da Trova : ADELMAR TAVARES e Príncipe dos Trovadores, LUIZ OTÁVIO (Gilson de Castro). Mesmo já sendo falecidos, continuam com o título, pois outros trovadores só poderão adquirir o título se houver uma Eleição Nacional ou um Congresso realizado com esta finalidade, em que participe um número muito grande de trovadores, com a participação de representantes de todo o país, uma vez que não pode ser reconhecido qualquer título literário supostamente alcançado com a votação de sócios de uma academia, associação, centro literário etc, com exceção de sua Diretoria.

Ainda no ano de 1960, LUIZ OTÁVIO, juntamente com J. G. de Araújo Jorge, criaram os Jogos Florais de Nova Friburgo, com o apoio do Prefeito Municipal da Cidade, Dr. Amâncio de Azevedo e do Trovador Rodolpho Abbud, até hoje o mais respeitado trovador da Cidade, Jogos Florais que se realizam, ininterruptamente, desde 1960 e seus festejos fazem parte do calendário oficial da Cidade e são realizados como parte dos festejos do aniversário de Nova Friburgo.

No dia 21 de agosto de 1966, LUIZ OTÁVIO fundou a União Brasileira de trovadores – UBT – no Rio de Janeiro e a UBT Nacional,com sede também no Rio de Janeiro, tendo a mesma se expandido em pouco tempo, contando hoje com uma infinidade de Seções e Delegacias em quase todo o território nacional, onde se realizam cerca de 80 concursos de Trovas por ano, na maioria com mais de um tema o que, no cômputo geral, chega a mais de 120 certames por ano.

LUIZ OTÁVIO foi o primeiro Presidente da UBT, tendo se tornado pouco tempo depois Presidente Nacional e posteriormente, Presidente Perpétuo, o mais alto título concedido pela agremiação.

Recebeu o título máximo da trova, Magnífico Trovador, nos Décimos Quintos Jogos Florais, por ser vencedor três anos consecutivos com as trovas:

XIII Jogos Florais – Tema Silêncio – 1º lugar :
“ Nessas angústias que oprimem,
que trazem o medo e o pranto,
há gritos que nada exprimem,
silêncios que dizem tanto !.. “

XIV Jogos Florais – tema Reticências – 2º lugar:
“Eu …você …as confidências…
o amor que intenso cresceu
e o resto são reticências
que a própria vida escreveu…”

XV Jogos Florais – tema Fibra – 10º lugar:
“ Ele cai … não retrocede ! …
continua até sozinho …
que a fibra também se mede
pelas quedas no caminho … “

LUIZ OTÁVIO publicou os livros:

Saudade… muita saudade! / Poesia / 1946
Um Coração em ternura / Poesia / 1947
Trovas / Trovas (três edições) / 1954 – 1960 – 1961
Meus Irmãos. / Os Trovadores Coletânea de Trovas / 1956
Meu Sonho Encantador / Poesias / 1959
Cantigas para Esquecer / Trovas / 1959 e 1961
Cantigas de Muito Longe / Trovas / 1961
Cantigas dos Sonhos Perdidos / Trovas / 1964
Trovas… Ao Chegar do Outono / Trovas / 1965

Registramos outras trovas de LUIZ OTÁVIO, que demonstram porque, após quinze anos de criar os Jogos Florais de Nova, como outros grandes trovadores, ele sagrou-se Magnífico Trovador.

“ Se a saudade fosse fonte
de lágrimas de cristal,
há muito havia uma ponte
do Brasil a Portugal.”

“Ao partir para a outra vida,
aquilo que mais receio,
é deixar nessa partida,
tanta coisa pelo meio … “

“Pelo tamanho não deves
medir valor de ninguém.
Sendo quatro versos breves
como a trova nos faz bem. “

“Busquei definir a vida,
não encontrei solução,
pois cada vida vivida
tem uma definição… “

“ Não paras quase ao meu lado … !
e em cada tua partida,
eu sinto que sou roubado
num pouco da minha vida …”

“Portugal – jardim de encanto
que mil saudades semeias
nunca te vi … e, no entanto,
tu corres nas minhas veias …”

“Meus sentimentos diversos
prendo em poemas tão pequenos.
Quem na vida deixa versos,
parece que morre menos …”

“ Contradição singular
que angustia o meu viver :
a ventura de te achar
e o medo de te perder … “

“ estrela do céu que eu fito,
se ela agora te fitar,
fala do amor infinito
que eu lhe mando neste olhar … “

“ Ó mãe querida – perdoa ! ´
o que sonhaste, não sou …
– Tua semente era boa !
a terra é que não prestou ! “

Além de grande Trovador, campeão de centenas de Concursos de Trovas e Jogos Florais, realizados em várias cidades do país, LUIZ OTÁVIO era um exímio compositor, sendo dele a autoria do Hino dos Trovadores, Hino dos Jogos Florais, das Musas dos Jogos Florais e de várias outras obras musicais.

Hino dos Trovadores:

“ Nós, os trovadores,
somos senhores
de sonhos mil !
Somos donos do Universo
através de nosso verso.
E as nossas trovas
são bem a prova
desse poder :
elas têm o dom fecundo
de agradar a todo mundo ! “

Hino dos Jogos Florais

“ Salve os Jogos Florais Brasileiros !
a Cidade se enfeita de flores !
Corações batem forte, fagueiros,
a saudar meus irmãos trovadores !
Unidos por laços fraternais,
nós somos irmãos nos ideais;
– não há vencidos, nem vencedores ;
pois todos nós cantamos , somos trovadores;

e as nossas trovas sentimentais
são sempre mensageiras de amor e paz !.

A Oração do Trovador é o Poema de são Francisco de Assis, Padroeiro dos Trovadores, cujo aniversário, dia 4 de outubro é muito festejados pelos cultores da Trova.

E para encerrar esta homenagem ao Dia do Trovador, focalizando a figura mais importante do mundo trovadoresco, LUIZ OTÁVIO, registramos dois sonetos, dos inúmeros que escreveu, contido em um dos seus livros de poesias, “Meu Sonho Encantador “.

O IDEAL

Esculpe com primor, em pedra rara,
o teu sonho ideal de puro artista !
Escolhe, com cuidado, de carrara
um mármore que aos séculos resista !

Trabalha com fervor, de forma avara !
Que sejas no teu sonho um grande egoísta !
Sofre e luta com fé, pois ela ampara
a tua alma, o teu corpo em tal conquista !

Mas, quando vires, tonto e deslumbrado,
que teu labor esplêndido e risonho
ficará dentro em breve terminado,

pede a deus que destrua esse teu sonho,
pois nada é tão vazio e tão medonho
como um velho ideal já conquistado ! …

ORGULHO

Venho de longe… venho amargurado
pelas noites sem fim, nesse cansaço
de receber tão só, triste e calado,
a incompreensão do mundo passo a passo…

Eu trago a alma sem fé do revoltado
e o gesto do vencido em cada braço…
E tu me surges – Anjo imaculado –
a oferecer repouso em teu regaço…

Porém tua alma feita de inocência
serenidade e Luz, não avalia
a penumbra invulgar dessa existência…

Deixa-me, pois, seguir o meu caminho,
renunciar, viver nessa agonia,
mas tenho o orgulho de sofre sozinho !…

Assim, mostramos um pouco da poética de LUIZ OTÁVIO, Príncipe dos Trovadores Brasileiros, Magnífico Trovador e Presidente Perpétuo da União Brasileira de Trovadores e responsável pelo sucesso alcançado pela Trova e pelos Trovadores.

Fonte:
http://www.movimentodasartes.com.br

Deixe um comentário

Arquivado em Dia do Trovador

Ialmar Pio Schneider (Soneto a Luiz Otávio)

– In Memoriam – Dia do Trovador –
Nascimento do trovador em 18 de julho de 1916 –

Luiz Otávio foi dos trovadores,
o Príncipe que divulgou a trova
e a revestiu de uma roupagem nova,
para que fosse a das mais belas flores…

Pois em cada ano sempre se renova
e vai angariando admiradores
que curtem os seus mágicos amores,
das ardentes paixões, vívida prova !

Em dezoito de julho é celebrado,
Dia do Trovador, sempre lembrado,
pois nasceu Luiz Otávio, nesse dia.

E todos aos que a trova têm paixão,
podem prestar-lhe em forma de oração,
a homenagem de sua nostalgia…

Fonte:
Soneto enviado pelo autor

Deixe um comentário

Arquivado em Dia do Trovador, homenagem, O poeta no papel

Olivaldo Júnior (Poema ao Dia do trovador)

Dezoito de julho é dia de poesia…
Andam moças pela praça inteira,
inteiradas da moda, em fantasia,
que tudo é poesia: a vida é feira.
A feira do poeta é a sua alegoria.

Hoje é dia de quem vive na lua,
mas volta pra cá se tem samba,
puro acalanto em qualquer rua,
que a rua é a casa de quem anda
sobre as brasas de sol e chuva,
de chuva e sol, de quem ciranda.

Não tem mais cavalo, mas vai…
Não tem mais donzela, mas sai…
Não tem mais porquê, mas (ai!)
faz da vida um sábado e recai,
descansa em si mesmo, bye, bye.

Luiz Otávio, príncipe trovador,
troveja um pouco sobre mim,
me ensina a ser doutor em flor!
Plantando trovas num jardim,
me ensina a ser, também, amor…

Fonte:
O Autor

Deixe um comentário

Arquivado em Dia do Trovador, homenagem, O poeta no papel

Eliana Ruiz Jimenez (Dia do Trovador)

O poeta é detentor de uma sensibilidade aguçada e tem a necessidade de compartilhar a sua visão emocional e os seus sentimentos com as outras pessoas, transformando essas impressões em versos, que podem ser livres, ou em formatos predeterminados, como na trova, por exemplo.

Os versos livres costumam surgir de repente e arrebatam o poeta onde ele estiver. É preciso segurar a ideia, transpô-la imediatamente para o papel antes que o sopro inspirador se dilua e as palavras se percam.

Já a trova é a expressão poética trabalhada. De formato rígido, requer métrica e rimas, além da expressão de um pensamento completo em quatro versos, sendo que o último arremata a reflexão com um grande final.

Habilidoso, o trovador precisa adequar o querer dizer na precisão das sete sílabas tônicas e ainda provocar no leitor a empatia com a saudade sentida, com o coração partido e – por que não dizer? – com as reminiscências que cada um traz consigo.

Audacioso, o trovador elabora a trova com sofisticação, procurando justapor as palavras num encaixe cuidadoso, observando tanto a forma como a sonoridade, procurando a rima inédita, notável. Vale pensar, refazer, pois o que importa é o resultado perfeito.

A trova é, portanto, a ideia sintetizada, a comunicação imediata, que pode trazer tanto um pensamento filosófico como a sabedoria da experiência, o humor ou o lirismo.
Quando finalmente pronta, a trova é como o filho criado, independente, que percorre o mundo levando a mensagem de seu criador.

Nesse oceano de trovas brilhantes, os trovadores são amigos fraternos que, embalados pela mesma inspiração poética, vão compartilhando a vida nos versos, falem eles das dores sentidas ou das alegrias da jornada.

No dia 18 de julho, data de nascimento de Luiz Otávio, responsável pela consolidação do movimento trovadoresco no Brasil, é comemorado o dia do trovador, data em que todos os poetas e admiradores dessa bela e requintada expressão poética relembram o saudoso e querido amigo, principalmente com a leitura de suas belas trovas, tão contemporâneas, que nos deixam a certeza de um homem que viveu à frente de seu tempo e que assim escrevia:

Meus sentimentos diversos
prendo em poemas pequenos.
Quem na vida deixa versos,
parece que morre menos.

Pelo tamanho não deves
medir valor de ninguém;
sendo quatro versos breves,
como a trova nos faz bem!

Fonte:
A Autora

Deixe um comentário

Arquivado em Dia do Trovador, homenagem

José Feldman (O Trovador)

18 de Julho – Dia do Trovador
Hoje é o Dia Nacional do Trovador. E, em homenagem a este dia, tantas e tantas trovas são colocadas. Mas, afinal quem é o trovador?

Trovadores são os nossos sonhos, nossos momentos de tristeza, de revolta, de solidão, de alegria, de amor, de fé.

Os trovadores carregam dentro de si uma bagagem enorme de suas realizações, decepções, sonhos e principalmente, doação.

O trovador doa a si, para poder compartilhar o momento com os outros. É como se recebesse um pão e deste fizesse brotar tantos e tantos pâezinhos para que pudesse saciar a nossa fome de esperança.

O trovador é coração, é alma, é sangue, é lágrima, é riso.

O trovador busca em cada cantinho escondido da vida um mínimo que seja de um grão de areia para poder mostrar ao mundo, e transformar este grão em uma praia enorme para que todos possam aproveitar ela e se encantar com a maravilha que é um mero grão.

O trovador é luz. É luz que ilumina o caminho de muitos que vivem nas trevas. É luz daqueles que a perderam nas encruzilhadas da vida.

O trovador é sonho. Tantos sonhos são sonhados, e o trovador carrega nestes quatro versos sonhos que se perderam na névoa do tempo.

Enfim, o trovador é amor. É o amor dos apaixonados, o amor dos casados e dos que ainda um dia irão amar. É o amor de amigos, o amor ao próximo, o amor aos animais.

O trovador foi, é e sempre será VIDA!

Meus parabéns a todos trovadores, todos que batalharam e batalham por manter esta chama acesa.

Meus especiais parabéns a
Eduardo Toledo, presidente da União Brasileira dos Trovadores (UBT);
Arlindo Tadeu Hagen, seu vice-presidente;
Carolina Ramos, presidente da Seção Santos/SP;
Vânia Maria Souza Ennes, presidente da UBT Paraná;
Antonio Augusto de Assis, caminho de fé;
Sinclair Pozza Casemiro, delegada de Campo Mourão;
Domitila Borges Beltrame, presidente da UBT São Paulo;
Maria Stinglin, presidente da UBT Curitiba.

São tantos nomes, por isto deixo os meus parabéns a TODOS OS TROVADORES E AMANTES DA TROVA.

E em especial o meu muito obrigado a
Luiz Otávio, nosso mestre maior, o estopim do movimento trovadoresco
e
Izo Goldman, meu eterno amigo e mentor.
.

José Feldman 18/07/2010

Deixe um comentário

Arquivado em datas comemorativas, Dia do Trovador, Paraná em Trovas

Dinair Leite (Homenagem aos Irmaõs Trovadores)


Trovador e passarinho,
dois arautos da poesia:
Se perdem amor ou ninho
gorjeiam dor…todavia.

Trovador quando ama a rosa
respeitando seus espinhos,
da flor carinho ele goza
perfumando seus caminhos.

Trovador por ironia,
quando a trova terminou,
da pena viu que escorria
pranto que a trova borrou.

Dinair Leite (Paranavaí/PR)


Não pode haver criação literária mais popular e que mais fale diretamente ao coração do povo do que a trova. É através dela que o povo toma contato com a poesia e por isto mesmo a trova e o trovador são imortais. (Jorge Amado)

Deixe um comentário

Arquivado em datas comemorativas, Dia do Trovador, Trovas