Arquivo da categoria: Expressões Regionais

Pedro Ornellas (Soneto Gauchesco: Atrofia)

Buenas tardes, xiruzada, guapos e prendas, gremistas e colorados, ximangos e maragatos, indiada de outros pagos… muita gente comentou meu soneto gaúcho, mas não atinei para um detalhe. Nem todos estão familiarizados com o gauchês ou têm um dicionário gaúcho à mão, por isso eu deveria ter mandado um glossário, para melhor entendimento do dito soneto.

Pru módi isso, tô mandano agora, pra quem se interessá, após o soneto.
Pedro Ornellas

––––––––––––––-

Meu coração foi potro xucro outrora
que se assanhava ao ver passar donzelas
pudesse do potreiro saltar fora
por certo ia trotear no encalço delas.

Sempre cismou refregas e esparrelas
em campereadas pelo pago afora,
porém com medo de saltar cancelas
se abichornou… E a vida não demora.

Bagual já foi, porém amanonciado
perdeu as baldas, vive aboletado…
De se enfurnar virou matungo agora…

Quando, fogosa, passa uma potranca
solto-lhe as rédeas, bufa, mas estanca
– e não se alui nem que eu lhe chegue a espora!

––––––––––––––-

GLOSSÁRIO:

potro: cavalo novo
xucro: não domado, bravio, arisco
assanhar: inflamar, excitar
potreiro: pequeno campo cercado, para animais
trote: Andadura natural das cavalgaduras, entre o passo ordinário e o galope.
cismar: Pensar com insistência (em alguma coisa), imaginar com fixidez.
refrega: Briga, peleja, Trabalho, lida.
esparrela: armadilha, logro, engano
campereada: excursão pelo campo à procura do gado
pago: Lugar em que se nasceu, o lar, o rincão, a querência; o povoado, o município em que se nasceu ou onde se reside.
cancela: porteira
abichornar: Aborrecido, triste, desanimado
bagual: Cavalo manso que se tornou selvagem. Reprodutor, animal não castrado
amanonciar: amansado, domesticado
balda: mania, vício
aboletado: instalado, aninhado
enfurnar-se: esconder-se
matungo: cavalo velho e imprestável
potranca: fêmea de potro
estancar: deixar de correr
aluir: sair do lugar

Fonte:
Soneto enviado pelo autor

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Expressões Regionais, O poeta no papel, Soneto.

Palavras e Expressões Regionais do Pernambuco

Ababacado, Abestado – Bobo, tolo, idiota.
Abiscoitado – Bobo, ingênuo.
Abisuntado – Enganado, lesado.
Abufanar – Provocar; irritar; perturbar.
Acertar na veia – Fazer a coisa com exatidão; dar o tiro certo.
Acochado – Destemido, valente.
Acunhar – Perseguir, chegar junto.
Afolozado – Folgado.
Alcoviteira – Pessoa que faz intermediação ou apóia namoro proibido.
Aloprado – Ousado.
Alpercata – Sandália de couro cru.
Aluado – Meio louco.
Amarrar-o-bode – Ficar de mau humor.
Amojada – Prenhe, grávida.
Amolegado – Coisa remexida, mole; pessoa frouxa.
Amundiçado – Desprovido de bons modos; mal-educado.
Ancho – Feliz, contente; metido.
Aperriado – Aflito, irritado.
Apoquentado – De cabeça quente; irritado.
Aprochegar – Aproximar-se; se enturmar.
Arenga – Briga.
Ariado – Sem rumo, desorientado.
Aruá – Bobo, idiota.
Arregar – Pegar carona sem ser convidado; usufruir de algo sem pagar.
Arremedar – Imitar, geralmente os pássaros.
Arretado – De boa qualidade, excelente.
Arriado – Enamorado, apaixonado.
Arrilique – Remédio eficaz, santo remédio.
Arribar – Partir, fugir.
Arrocha-o-nó – Agir com firmeza.
Arrudiar – Dar a volta pelo lado de fora (“O moleque arrudiou o circo, procurando um buraco pra entrar”).
Arupemba – Peneira.
Avexar – Apressar .
Avia – Apressa, agiliza (“Avia logo com esse serviço, menino!”).
Babão – Puxa-saco.
Baitola – Bicha, homessexual masculino.
Baixa-da-égua – Lugar muito distante.
Balai-de-gato – 1. Situação confusa; 2. Coisa muito ruim.
Baleado – Ligeiramente embriagado.
Bambo – Por acaso, por sorte (Não sabia o endereço, acertou no bambo).
Barata-de-igreja – Beata.
Barroada – Choque, batida entre dois ou mais automóveis.
Bascui – Sujeira, entulho.
Bater-fofo – Falhar, não cumprir o prometido.
Berrante – Revólver, arma de fogo.
Bexiga – Coisa ruim; situação complicada.
Bexiguento – Patife, cretino.
Bicada – Dose de aguardente, dose de bebida alcoólica.
Bicado – Embriagado.
Bigu – Carona.
Bila – Bola de gude.
Bip – Pessoa insistente; pessoa pegajosa; pessoa que fala muito.
Biritado – Bêbado, embriagado.
Bizu – Cola de prova; fraude em vestibular.
Boca-quente – Pessoa influente, importante.
Bodeado – Chateado; embriagado.
Bode-moco – Pessoa com problema de audição.
Borrego – Filhote de cabra.
Brebote – Comida com baixo teor de nutrição.
Bregueço – Objeto sem valor, desprezível.
Brenhas – Lugar longe e de difícil acesso.
Bruaca – Mulher feia.
Bujinganga – Conjunto de objetos variados, sem ou de pouco valor; miudezas.
Bunda-nacasta – Cambalhota.
Buruçu – Confusão.
Cabra – Pessoa não identificada; pessoa má; trabalhador braçal.
Cabrita – Menina-moça, moça sapeca.
Cabroeira – Grupo de cabras, pessoas.
Cabuetar – Denunciar.
Cabuloso – Chato; desagradável (O sujeito é muito cabuloso).
Cachete – Comprimido.
Cafofa – No futebol, chute fraco, sem força.
Caixa-dos-peito – Tórax (O cabra levou um tiro bem na caixa-dos-peito).
Caixa-prego – Lugar muito distante.
Califon – Sutiã, corpete.
Calombo – hematoma, galo, caroço.
Calunga – Aquele que trabalha descarregando caminhão.
Cambota – Pessoa de joelhos separados, que caminha de pernas abertas.
Canso – Cansado; Informação velha (Ele casou com ela porque quis, mas estava canso de saber que ela não prestava).
Cão chupando manga – Muito competente no que faz.
Capiongo – Desanimado, triste, abatido.
Caritó – Estado da mulher que envelheceu e não conseguiu casar (Ela ficou no caritó).
Carraspana – Bebedeira, cachaça.
Catatau – Entulho, amontoado de objetos.
Catinga – Mau-cheiro.
Catombo – Parte elevada de alguma superfície; hematoma.
Catota – Secreção nasal, meleca.
Catrevage – Coisa velha, objetos sem valor.
Cavalo batizado – Grosseiro, estúpido.
Cavernosa – Pessoa ou coisa misteriosa.
Chamar-na-grande – Advertir seriamente.
Cheleléu – Puxa-saco, xaleira.
Chililique – Desmaio.
Chirimbamba – Mundiça, ralé.
Chirre – Sopa rala, caldo sem consistência.
Chumbado – Meio embriagado.
Chupitilha – Refresco.
Cocorote – Cascudo.
Coivara – Ajuntamento de galhos preparativo na queimada.
Comunismo – Carestia (Os preços na feira hoje estavam um comunismo).
Conxambrança – Acordo entre duas ou mais pessoas, com objetivo de ação maldosa.
Corta-jaca – Intermediário de namorados.
Corpete – Sutiã.
Cotoco – Pedaço muito pequeno de um objeto (O lápis está só no cotoco).
Couro-de-pica – Diz-se da pessoa ou situação que vai e volta freqüentemente sem nada resolver.
Cromo – Calendário.
Curriola – Grupo de pessoas da baixa classe social.
Cuvico – Pequeno cômodo.
Dar o grau – Caprichar num serviço.
Dar o prego – Enguiçar, quebrar (o carro deu o prego na subida da ladeira).
Derna – Desde.
Derrubado – Feio; decrépito.
Desenxavido – Desinibido.
Desopilar – Descontrair .
Desmilinguido – Magro; sem vigor.
Despachada – Pessoa desinibida; pessoa folgada.
Despautério – Desaforo.
Despanaviado – Desajeitado; tonto.
Desunerar – Engrolar; ficar mal cozido ou mal assado; comida fora do ponto.
Difunço – Gripe, resfriado.
Disgramado – Atrevido ou sujeito desgraçado.
Dois gatos pingados – Platéia minúscula, pouca gente.
Do tempo do ronca – Muito antigo, fora de moda, ultrapassado.
Embarrigar – Engravidar, ficar grávida.
Emburacar – Entrar sem pedir licença.
Empazinado – Estado daquele que comeu além da conta.
Empeleitada – Empreitada, trabalho com pagamento previamente ajustado.
Emprenhar – Engravidar.
Empombar – Implicar.
Empulhado – Pessoa constrangida, sem graça diante de uma situação.
Encangados – Unidos, inseparáveis.
Encasquetar – Ficar com idéia fixa em alguma coisa
Encruar – Emperrar; empacar.
Engembrado – Dolorido, esfolado (Depois da corrida, fiquei com o corpo todo engembrado).
Engrisilha – Situação confusa; coisa enrolada.
Entonce – Então.
Entupido – Pessoa com prisão de ventre.
Escafedeu – Sumiu, desapareceu.
Escurrupichado – Muito comprido, esticado.
Esparro – Arrogância.
Espinhela caída – Doença na coluna vertebral.
Espoletado – Brabo; inconseqüente.
Espragatar – Esmagar (Ele caiu e ficou espragatado no chão).
Esprivitado – Agitado, atrevido.
Estabanado – Destemperado.
Estalecido – Gripe, resfriado.
Estambocar – Quebrar partes do reboco da parede.
Estoporar – Explodir; passar da conta; gastar em excesso (Ele estoporou todo o dinheiro apurado).
Estribado – Endinheirado, rico.
Estrupício – Aquilo ou a pessoa que dá trabalho, que sobrecarrega a vida de alguém (“Aquele menino é o estrupício da minha vida!”).
Esturricar – Secar ao sol em demasia.
Farnesim – Gastura, arrepio, comichão, agitação nervosa.
Farofa – Enganação; pose (Ele muito frouxo, só tem farofa).
Farrapar – Não cumprir, falhar (Assumiu o compromisso comigo mas farrapou; o motor do meu carro está farrapando).
Febrento – Chato; mau-caráter.
Ferrado – Derrotado; em situação de apuro.
Fita – Amostração; que só tem pose.
Foi o bicho – Foi excelente.
Folote – Frouxo, folgado, afolozado.
Frege – Agitação, reboliço, festa ou função de aparência má.
Fubento – Desbotado, velho, surrado (O paletó do médico está fubento).
Fubica – Carro velho, imprestável.
Fuleiro – Usa-se para classificar objeto sem valor ou pessoa que não cumpre o prometido.
Fuleragem – Atitude desprezível.
Furdunço – Briga, bagunça, confusão.
Futricar – Bisbilhotar, remexer.
Fuxico – Mexerico, intriga, fofoca.
Gaia – Traição ao cônjuge, infidelidade conjugal.
Gaiato – Gozador.
Gaitada – Gargalhada.
Galalau – Homem de alta estatura.
Garajau – Grade feita em madeira para transportar galinhas.
Gargantilha – Homossexual masculino.
Gasguita – Mulher de voz estridente.
Gastura – Mal estar estomacal; arrepio.
Goga – Empáfia, soberba.
Góia – Resto, ponta de cigarro.
Gota-serena – Enraivecido, irado (Ficou com a gota-serena porque o time dele perdeu o jogo).
Gréia – Zombaria, gozação.
Grude – Sujeira; cola de farinha de mandioca; pessoa pegajosa.
Guelar – Apropriar-se indevidamente de algo; roubar.
Guenzo – Pessoa magra, esquelética.
Incandeado – Ofuscado.
Inguizira – Coisa ou situação complicada.
Inhaca – Mau-cheiro, fedor, catinga.
Injiado – Enrugado.
Inté – Até.
Interar – Completar.
Istruir – Desperdiçar, estragar (É pecado istruir comida).
Jabá – Propina; qualquer comida sem muito preparo, grosseira.
Jabaculê – Dinheiro; propina.
Jaburu – Mulher feia.
Jamanta – Pessoa grande e gorda.
Jararaca – Mulher que gosta de brigar, valente.
Jerico – Jumento; pessoa ignorante, burra.
Lambedor – Xarope caseiro.
Lambisgóia – Mulher magra, esquelética; mulher namoradeira.
Lacraia – Escorpião; mulher de gênio mau.
Lapada – Dose (Tomei apenas uma lapada de cachaça).
Latumia – Conversa sem controle, algazarra, confusão.
Lero – Conversa descontraída, sem compromisso.
Leseira – Bobagem, idiotice.
Leso – Bobo; Pessoa esperta que se faz de boba para levar vantagem.
Liseu – Estado de quem está sem dinheiro (Maria está num liseu que faz pena).
Loiça – Homossexual masculino.
Lombrado – Cansado.
Lumia – Clareia.
Lundu – Saudade.
Macaca – Estado de pessoa irritada, raivosa (Ele estava com a macaca).
Maçaroca – Grande quantidade de objetos desordenados (Era uma maçaroca de papel).
Madorna – Dormir (Vou tirar uma madorna).
Mafuá – Bagunça; confusão.
Malamanhado – Mal vestido.
Malassada – Omelete.
Maloqueiro – Moleque, vagabundo.
Maluvida – Pessoa sem educação, malcriada.
Mangote – Grande grupo de pessoas (Tinha um mangote de velhas na missa).
Manzanza – Lentidão; pessoa lenta.
Marinete – Carro tipo perua, utilitário.
Marmota – Pessoa desajeitada, mal-vestida.
Marretar – Roubar.
Mas é nada! – Interjeição indicando discordar, não permitir algo.
Mata-fome – Bolacha.
Matulão – Sacola de couro; bizaco.
Meganha – Soldado; recruta.
Meiota – Metade de uma garrafa de cachaça.
Melado – Embriagado .
Miolo-de-pote – Bobagem, conversa fiada.
Misto – Caminhão com metade da carroceria transformada em cabine para o transporte de passageiros: a outra metade leva as cargas.
Mocréia – Mulher feia; mulher sem classe.
Mondrongo – Engenhoca sem utilidade, coisa malfeita.
Mormaço – Ambiente sem ventilação, quente e úmido.
Mosqueiro – Restaurante malcuidado, sujo.
Mufino – Medroso, covarde.
Muiar – Molhar.
Mulesta-dos-cachorros – Ira, raiva (Ele ficou com a muleta-dos-cachorros).
Mundiça – Ralé, pessoa(s) sem educação.
Munganga – Careta, trejeito.
Munheca-de-pau – Motorista sem habilidade, mau motorista.
Muruanha – Muriçoca.
Murrinha – Coisa emperrada; pessoa com raiva.
Mussiça – Macia; carne sem osso.
Nebrina – Sereno.
Nesga ou Nesguinha – Pedaço pequeno, minúsculo.
Nó-cego – Dificuldade; pessoa ou coisa complicada.
Noda – Nódoa, mancha.
Novela – Situação de difícil solução, interminável.
Oitão – Corredor lateral entre a casa e o muro do quintal
Ôxe ou oxente – Exclamação de surpresa.
Pabulagem – Orgulho vão, empáfia; embuste, impostura.
Pacaia – Cigarro feito com palha e fumo de rolo.
Paia – Coisa sem valor; restos.
Pamonha – Diz-se da pessoa tola, sem iniciativa: comida de milho.
Pandemonho – Correria, confusão.
Pantim – Artimanha; trejeito; disfarce com objetivo de esconder algo a outrem.
Papagaio – Pipa; dívida não paga.
Pareia – Par; coisa ou pessoa sem igual (Na ruindade, aquele ali não tem pareia, não) .
Passado na casca do angico – Pessoa experiente, madura.
Pau-do-canto – Diz-se quando o aluno é aprovado com nota mínima (Eduardo passou no pau-do-canto).
Peba – Coisa sem valor, ruim.
Pedir penico – Fracassar, desistir.
Peguenta – Pessoa pegajosa, que não desgruda das outras.
Penca – Grande quantidade; cacho.
Penosa.- Galinha.
Penso – Torto, desalinhado.
Pereba – Ferimento, ferida.
Pia – Olha, veja.
Picinês – Óculos.
Pílula-bufante – Batata-doce.
Pindaíba – Estado de pobreza, liseu.
Pinguela – Passagem estreita, de madeira, sobre riacho.
Piniqueira – Empregada doméstica.
Piola – Ponta de cigarro.
Piquai – Objeto sem valor, peba.
Pirangueiro – Pessoa mão-fechada, pão-duro.
Pirobo – Bicha, homossexual masculino.
Pirraia – Criança, pessoa de comportamento infantil.
Pisante – Sapato.
Pitaco – Palpite.
Pitéu – Gata, mulher jovem e bonita.
Pitoco – Coisa ou pessoa pequena.
Pixaim – Cabelo encaracolado.
Pixotinho – Pessoa pequena, ainda criança.
Ponche – Refresco; suco de fruta.
Potoca – Conversa fiada, conversa besta.
Pra mode – De modo a.
Precisão – Necessidade.
Precondia – 1. Estado de tristeza, de abatimento (Depois que a mulher o deixou, ele ficou numa precondia danada) 2. Situação monótona (Sem festas, a cidade fica numa precondia horrorosa).
Presepe – Pessoa vestida com roupa espalhafatosa, desajeitada.
Presepada – Estripulia, confusão; atitude desonesta; atitude ridícula.
Presepeiro – Aquele que pratica presepadas.
Pru qui – Por aqui.
Quartim – Uma quarta parte da garrafa de cachaça.
Quartinha – Reservatório, de barro, para armazenar água, bem menor que pote.
Quartinho – Um quarto da garrafa de cachaça.
Quebra-queixo – Doce de ponto apurado, à base de coco e de castanha de caju, vendido nas ruas num tabuleiro que o ambulante carrega na cabeça.
Queijudo – Donzelo; abestalhado.
Queixão – Falar em tom arrogante, desafiador (Ele veio com queixão pra cima de mim).
Quenga – Prostituta; mulher de comportamento condenável.
Quengo – Cabeça.
Rabiçaca – Derrapada (Na curva, o carro deu uma rabiçaca e quase capotou).
Rançosa – Comida ou bebida amarga.
Rafaméia – Ralé; grupo de pessoas sem linhagem.
Reboculosa – Mulher de corpo avantajado e atraente.
Rebordosa – Reviravolta; prejuízo.
Rebutalho – Restos de qualquer coisa; coisa sem valor.
Refém – Referente a; a respeito de (Não sei nada refém ao crime).
Remosa – Comida gordurosa, carregada, indigesta.
Resmungar – Reclamar repetidas vezes, geralmente em voz baixa.
Revestrério – Reviravolta, mudança de situação para melhor ou pior.
Riba – A parte superior; em cima.
Rimueta – Vai-e-vem; situação que não se resolve.
Riúna – Botina, calçado.
Rodage – Estrada de barro.
Roendo – Sofrendo por desilusão amorosa (Ela vive o tempo todo roendo por ele).
Rojão – Ritmo puxado, cansativo.
Rolete – Rodela de cana-de-açúcar.
Ronceiro – Lento; preguiçoso.
Roncha – Mancha provocada por pancada.
Roscofe – Relógio de pulso de baixa qualidade.
Rudilha – Pano de apoio para carregar lata de água na cabeça.
Ruma – Grande grupo de pessoas ou grande quantidade de objetos (Tinha uma ruma de gente na procissão).
Saída – Pessoa desinibida, afoita, atrevida.
Saimento – Paquera agressiva, fogosa; oferecimento (Neuza tá com muito saimento pro lado do namorado).
Sair com dois quentes e um fervendo – Reagir energicamente; entrar na briga pra valer.
Sair de bandinha – Deixar o lugar discretamente, sem chamar atenção.
Sambado – Estado de coisa muito gasta, velha, surrada.
Samboque – Buraco aberto em superfície lisa; ferimento.
Sapecado – Assado apenas superficialmente.
Sarrar – Namorar agarrado; amasso.
Se abrir – 1. Achar graça; 2. Ceder (a mulher) às investidas amorosas do homem.
Se aprochegue – Venha pra cá; chegue mais perto.
Segurar cabra pra bode mamar – Facilitar as coisas para outra pessoa.
Sibito – Pessoa magra e de baixa estatura; pequeno pássaro.
Sobejo – Resto de comida.
Sobrada – 1. Diz-se da ocasião em que uma pessoa tentou realizar alguma coisa e não conseguiu; 2. Quando um carro tentar fazer uma curva e derrapa.
Sobroço – Mágoa.
Soneca – Cochilo.
Sonsa – Pessoa falsa; pessoa fingida.
Supimpa – De boa qualidade, excelente.
Sustança – Valor altamente nutritivo de um alimento.
Talaigada – Grande gole de cachaça.
Tampa – Coisa ou pessoa de grande valor; o melhor, o primeiro .
Tapa-no-beiço – Tomar uma dose de cachaça (Vamos dar uma tapa-no-beiço?).
Tapiar – Enganar; distrair.
Tá variando – Endoidecido.
Teitei – Confusão, algazarra.
Teréns – Pertences de uma pessoa; objetos pessoais.
Tico – Quantidade mínima, pequena porção.
Tição – Pedaço de madeira queimada; pessoa de cor negra.
Timbugar – Mergulhar na água de um rio ou açude.
Tiririca – Estado de uma pessoa enraivecida (Ele ficou tiririca com a acusação).
Tirrina – Tigela grande.
Toitiço – Nuca; juízo.
Tome tento – Tome juízo; se ligue.
Tô operado – Significa: Sinto, mas não posso te ajudar.
Trepeça – 1. Pessoa má; 2. Objeto sem valor.
Troço – Objeto pessoal; pessoa desqualificada.
Trojão – Mulher gorda.
Tronchura – 1. Situação embaraçosa; 2. Coisa mal-feita.
Truado – Embriagado.
Trunfa – Topete, cabeleira.
Trafuá – Briga, confusão.
Trapusapo – Em tempo recorde; o mesmo que vapt-vupt.
Trepeça – Pessoa ou coisa sem valor.
Tribuzana – Algazarra.
Troncho – 1. Inclinado; tortuoso 2. Indivíduo de vida desregrada.
Truado – Embriagado.
Trupicão – Tropeço; topada.
Trupizupe – Pessoa desajeitada.
Tufo – Molho (Arrancou um tufo de cabelo).
Tuia – Grande quantidade; muitas pessoas ou coisas.
Uruvai – Orvalho.
Urucubaca – Azarão.
Urupemba – Peneira; o mesmo que Arupemba.
Vai dar bode – Vai acabar em confusão.
Vara de tirar coco – Pessoa alta e magra.
Varapau – Homem alto e magro.
Vascui – Restos; resíduos.
Velhaco – Mau pagador.
Vexado – Que tem pressa, apressado.
Vuco-vuco – Casa que comercializa objetos usados.
Xanha – Coceira.
Xenhenhém – Conversa mole, desculpa mal dada.
Xeleléu – Bajulador.
Xêxo – Calote.
Xexeiro – Mau pagador, caloteiro.
Xilindró – Presídio.
Xilique – Mal estar; desmaio.
Xiringar – Lançar jato de água.
Xodó – Namoro; paquera.
Xoxo – Magro, franzino, raquítico.
Zambeta – Indivíduo que tem os dois pés tortos.
Zarói – Pessoa caolha, estrábica.
Zuadenteo – Barulhento.
Zureia – Orelha..

Fonte:
http://www.pe-az.com.br/especiais/pernambuques.htm

2 Comentários

Arquivado em Curiosidades de Nosso Brasil, Expressões Regionais