Arquivo da categoria: homenagem às crianças

Leonilda Yvonneti Spina (Criança)

Há nesse teu sorriso um brilho
de felicidade. Nos olhos
todo o encanto da inocência;
na voz a fala dos anjos.

Doce criança – gota de orvalho,
pingo de chuva, raio de sol.
Aceno de paz, manhã surgindo,
vida renascendo, flor se abrindo
leve gorjeio de rouxinol.

Na ternura de teu carinho:
pena de ave, calor de ninho.

Criança, meiga criança…
Alegra-me o coração
ver o teu desabrochar
linda flor, inda em botão!

Com a fértil imaginação
habitas nesse universo
de fantasia e realidade.

Não percas a ingenuidade!
Não deixes esse ar de surpresa
e encanto, de quem acaba
de alçar vôo diante da vida.

Jamais percas esse olhar
confiante, criança querida!

Guarda sempre essa meiguice.
A ilusão de que o mundo
é belo, divertido
e bom, como se fosse
colorido algodão-doce.

Não tropeces nos caminhos.
Conserva esse frescor,
protege-te dos espinhos!

Teu sorriso me faz bem,
teu carinho me conforta,
o terno olhar me emociona.
Tuas mãozinhas me conduzem
para dentro de mim mesma.

Encanta-me teu palavreado.
Surpreendem-me tuas estórias,
as perguntas inteligentes,
a incrível criatividade.

Tua pureza e ingenuidade
trazem-me a certeza, criança,
de que a vida vale a pena
e ainda resta esperança
para a sofrida humanidade!

O anjo da guarda seja sempre
teu santo protetor e guia.
E nunca te faltem as delícias
que te fazem vibrar de alegria.
……

Gosto tanto de te ver
saborear o sagu de vinho,
a sobremesa bem colorida,
ou, com os olhos fixos na tigela,
devorar os bolinhos de chuva,
feliz, a lamber os dedos
repletos de açúcar e canela.

Tua espontaneidade é tão bela!
Deixa-me que te beije e te abrace
(e que o tempo lentamente passe…).

Deixa-me contar-te estórias,
ensinar-te a recitar versos
que tão facilmente decoras.

Aproveita bem tuas horas…
Preserva a alma de criança!
Mantém a candura, a alegria,
esse sorriso de confiança!

Deus esteja sempre ao teu lado
nesse doce reino encantado!

Fonte:
Heloísa Crespo (Organização e Programação Visual). Ciranda “Criança em Versos”. Campos dos Goytacazes/RJ, 2011. E-book cedido pela autora.

Deixe um comentário

Arquivado em homenagem às crianças, Poesia

Fernando Cruz (Um Menino)

De altura tem um metro, ou pouco mais,
A roupa suja, a face lambuzada,
Chapéu de palha, de aba desabada,
dois olhos frios como dois punhais.
Um seu sorriso não se viu jamais,
A boca um traço, sempre tão fechada,
pinta a figura que se faz notada,
mais por grunhidos do que por sinais,
Não sabe ler e nunca foi à escola,
o abandono recebeu de herança,
e pouco mais receberá de esmola.
E na medida que em idade avança,
na triste vida que a miséria imola,
homem será, sem nunca ser criança!

Fonte:
Heloísa Crespo (Organização e Programação Visual). Ciranda “Criança em Versos”. Campos dos Goytacazes/RJ, 2011. E-book cedido pela autora.

Deixe um comentário

Arquivado em homenagem às crianças, Poesia

Darly Barros (Melancolia)

O sol boceja! A Noite Santa avança
e, em meio ao lusco-fusco do poente,
volto a sentir saudades da criança
que a vida fez crescer e, de repente…

Nada, contudo, guarda semelhança
com os Natais do meu antigamente:
o mundo é outro  a bem-aventurança
da data, um breve hiato, num presente

de tanta violência entre os mortais,
que é fácil compreender não volte mais
essa criança que se foi tão cedo;

prefiro vê-la agora recolhida,
neste meu peito que, de volta à vida
mas, infeliz e trêmula de medo!

Fonte:
Heloísa Crespo (Organização e Programação Visual). Ciranda “Criança em Versos”. Campos dos Goytacazes/RJ, 2011. E-book cedido pela autora.

1 comentário

Arquivado em homenagem às crianças, Poesia

Amaury Nicolini (Sons)

Ouço ao longe um riso de criança.
Um som tão puro
como a voz da verdade e da esperança
a nos fazer acreditar que ainda há futuro
e reduzindo toda angústia e medo
ao receio infantil que há na lembrança:
o de dormir no escuro.

Ouço perto um riso de criança.
Um som que enfim
voa pelo espaço e logo alcança
o que ainda resta de criança em mim,
lembrando que na vida, desde cedo,
e à medida que o tempo avança,
o melhor é poder sorrir assim.

Ouço um riso inocente de criança
e a escutar esse riso me demoro,
pois a paz que ele tem, serena e mansa,
parece perguntar por que eu choro.

Fonte:
Heloísa Crespo (Organização e Programação Visual). Ciranda “Criança em Versos”. Campos dos Goytacazes/RJ, 2011. E-book cedido pela autora.

Deixe um comentário

Arquivado em homenagem às crianças, Poesia

Ademar Macedo (O Meu Eu Criança…)

Um sonho que me extasia
e me traz muita esperança,
é ver livros de poesia
nas mãos de toda criança.

Confesso: tenho esperanças
antes de ficar senil,
de ver, nas mãos das crianças,
o Futuro do Brasil!

Paz, inocência e bonança,
vamos ainda encontrar
no sorriso da criança
antes que aprenda a pecar.

O meu EU sofreu mudança,
uma mudança sem fim.
Só não mudou a criança
que eu fui e que vive em mim!

Fonte:
Heloísa Crespo (Organização e Programação Visual). Ciranda “Criança em Versos”. Campos dos Goytacazes/RJ, 2011. E-book cedido pela autora.

Deixe um comentário

Arquivado em homenagem às crianças, Poesia

Efigênia Coutinho (Ser Criança)

Criança é ser
estrelas do firmamento,
pássaro ao azul do céu….
É ser sol, mar e luar.
Criança é poder
viver, saltar.
É andar todo o universo
numa roda gigante
levando alegrias,
e sonhos debaixo dos braços.

É ter sonhos de esperança,
que terminem com mutilações,
e as violações,
da dor,da fome, da guerra .
Ser criança é o sorriso,
alvo de paz,
da fala de amor.
Ser criança é ser
pequeno grande!
É ser maior sendo menor.

Fonte:
Heloísa Crespo (Organização e Programação Visual). Ciranda “Criança em Versos”. Campos dos Goytacazes/RJ, 2011. E-book cedido pela autora.

Deixe um comentário

Arquivado em homenagem às crianças, Poesia

Antonia Rodrigues Ferreira (Toda Criança é Bela)

É magia no silêncio
Com paz e tranqüilidade
Ao entrar no novo mundo
Desperta serenidade
É um ser muito inocente
Seja em qualquer ambiente
Traz muita felicidade.

Junção de duas sementes
Dentro da flor perfumada
Nasce a linda florzinha
Que será bem cultivada
Dada por Nosso Senhor
Regada com muito amor
Bem na hora da chegada.

A criança é sinônimo
De virtude e de pureza
Se expressa livremente
No meio da natureza
É bastante inteligente
Geralmente está contente
Com sorriso e beleza.

Criança não tem maldade
É faceira e singela
Todavia é verdadeira
O tempo é quem revela
Só precisa de carinho
Não sair do bom caminho
Toda criança é bela.

Criança é favo de mel
A alegria do lar
É fonte de inspiração
Igual ao céu e o mar
Gosta de ganhar presente
Corre e pula sorridente
Seja em qualquer lugar.

Quando é estudiosa
Certamente irá vencer
Terá futuro brilhante
O mundo irá conhecer
Criança é liberdade
Sempre quer só a verdade
Precisa se defender.

Do Brasil, do mundo inteiro
Desejo a toda criança
Sucesso no seu estudo
Jamais perca a esperança
Portanto é sua riqueza
Digo com muita firmeza
Sua verdadeira herança.

Dia doze de outubro
Com festa e poesia
A criança é festejada
Tem fila de cortesia
Abraço de boa sorte
Orientando o seu norte
Claro com muita alegria.

Fonte:
Heloísa Crespo (Organização e Programação Visual). Ciranda “Criança em Versos”. Campos dos Goytacazes/RJ, 2011. E-book cedido pela autora.

Deixe um comentário

Arquivado em homenagem às crianças, Poesia