Arquivo da categoria: João Pessoa

Ademar Lopes Pessoa / PB (Caderno de Sonetos)

A MEUS AMIGOS, OS LIVROS

A Deus aradeço a amizade de vocês,
Com que tão cedo na vida fui agraciado,
Pois sem ela, hoje eu seria um pobre coitado,
Sem compreender o bem ou o mal que a mim se fez.

Quantas vezes vocês receberam o meu pranto,
Enquanto eu lia o que vocês muito me diziam,
Que até suas páginas tanto se umedeciam
Me acalentando, se em mim desgosto era tanto !

Assim, a vocês serei sempre muito grato,
Pelos conselhos que vocês me cumularam
Que hoje, mais experiente e mais confortado,

Sigo minha vida sem me sentir um ingrato,
Sem ter ofensas para os que me maltrataram,
E continuar amando e me sentindo amado !

SAUDADES ETERNAS

Tua imagem querida dentro em mim é tão forte,
Pois sempre foste bom, amigo e inteligente,
Que a saudade será eterna daqui para a frente,
E a levarei comigo até a minha morte.

Se te faltei o amparo, perdão eu peço a ti,
Como peço a Deus tua eterna proteção;
E que me dê forças para os dias que virão,
Tão diferentes dos dias que contigo vivi.

Vai ser muito difícil suportar tua saudade,
Tão intensa porque eras bom e partiste cedo,
Quantas alegrias tu me destes desde criança,

Que hoje tanta tristeza meu coração invade,
E não creio que vou suportá-la, e tenho medo,
Pois não sei se com ela meu peito descansa.

DE REPENTE

De repente senti que o tempo passou.
– O tempo da felicidade e do amor.
E a vida, se não era, hoje é tão sem graça …
Pois sem eles nada fica, tudo passa.

Assim, quando já não há esperança,
Quando a vida se vai e sem tardança,
Tento rever o passado, dia a dia,
Para sentir como ele se exauria.

Enquanto eu esperava ser amado,
O tempo passava sem eu perceber,
Mas havia esperança nos atos meus,

De um dia viver feliz ao seu lado,
Mas hoje, já não há um alvorecer
Que me anime, nem mesmo Deus.

O ENTARDECER

Sinto no entardecer um certo encanto,
Uma promessa de encontros me ofusca,
No vôo suave dos pássaros em busca
De uma árvore onde repousem num canto.

No sol que no horizonte desaparece,
A mostrar que o Rei da Luz vai dormir,
No deslocar das pessoas por aí;
No lar, se a família reza uma prece.

Assim, há no entardecer um sinal
De que devemos viver em união,
Sempre em procura da paz e do amor,

Evitando assim a vida infernal,
Àqueles que sentem que não foi em vão
O entardecer do dia que passou.

LINDA MULHER

Linda mulher. Em meiguice, a primeira.
Sua imagem, que guardarei a vida inteira,
Deixou minha a alma por demais confusa,
E do meu estro se tornou eterna musa.

A alma é sofrida por sentir sua falta,
Enquanto o estro tanta beleza exalta.
Sentem os dois só por esta princesa
Tão puro amor e tamanha tristeza.

Pois sabem que ela é uma bela criatura,
Não só pelo que seu corpo irradia,
Seu caráter, sua bela formação

Levam minha alma e meu estro à sua procura,
Por toda a vida, na busca, dia a dia,
Pois sua imagem vive em meu coração.

O HOSPITAL

São gritos, correrias, tristezas e esperança,
As cenas de cada hospital no seu dia-a-dia,
Corações a esperar trazerem alegrias,
Médicos e enfermeiras – Luta que não cansa !

Se deles a dedicação e a competência
Confortam cada paciente e seus parentes,
O hospital se torna um templo. Não sentes,
Quando é salva uma vida que era só carência ?

O hospital se torna um lugar tão sagrado,
Que cada profissional seu, se refletir
Que suas ações, que já salvaram tantas vidas,

São um atributo que lhe foi por Deus legado,
Que nas suas ações Ele está dentro de si,
E lhe agradece com suas bénçãos repetidas.

VOCÊ

Você vive sempre nos sonhos meus,
E, no entanto, mal sabe quem eu sou.
Por você nutro o mais profundo amor,
E, comovido, sou tão grato a Deus.

Quero expressar a você meu sentimento,
Mas eu tenho receio da sua recusa,
E, minha alma, já por demais confusa,
Ainda me pergunta até quando aguento

Guardar só comigo este amor platônico,
Já que necessito do seu carinho,
Neste momento de tanto sofrer.

Mas perto de você fico afônico,
E até me afasto e penso no caminho :
– Que em novo sonho venha aparecer !

A PROFESSORA

Das primeiras letras, a professora
É para nós imagem tão querida,
Como da santa que por toda a vida
Foi sempre amiga, terna e acolhedora.

Na verdade, milagres operou,
Apesar de viver de um vil salário,
E desconhecida do noticiário,
Até quando um presidente falou

Que, aquele que nada sabe fazer
Termina por ser professor.
Ele é que não sabe a nobre missão

De quem, com amor, nos ensina a ler,
A dar passos em busca do valor,
Do conhecimento e da profissão !

NUM GRANDE AMOR …

Não … Num grande amor não há adeus,
Num grande amor não há despedida,
Pois ele transcende além da nossa vida,
E só é um grande amor graças a Deus.

Num grande amor há renúncia e há perdão,
Num grande amor há pura sinceridade,
Num grande amor há até a ingenuidade
Da pureza manifesta de cada coração.

Num grande amor não há vencido,
Num grande amor só há vencedor,
Se há lágrima, se há até gemido,

São manifestações que, com fervor,
Duas almas se entrelaçam no sentido
Da vida, da felicidade e do amor !

Fonte:
http://www.sonetos.com.br/meulivro.php?a=96&x=18&y=5

Deixe um comentário

Arquivado em João Pessoa, Paraíba, Sonetos