Arquivo da categoria: Natal

Ademar Macedo (Mensagens Poéticas de Natal n. 433)

Uma Trova Nacional

Peço a Deus, neste momento,
no fervor de minha prece,
um natal sem sofrimento
pra todo irmão que padece.
–THALMA TAVARES/SP–

Uma Trova Potiguar

Natal de festa e de luz,
desejo a todos os lares…
Que em dobro te dê Jesus!
Tudo o que me desejares.
–FRANCISCO MACEDO/RN–

Uma Trova Premiada

2001 – Petróplis/RJ
Tema: “JESUS” – 25º Lugar.

Que o renascer de Jesus,
nesta Noite de Natal,
traga uma réstia de luz
à cegueira universal!…
–MARIA MADALENA FERREIRA/RJ–

Uma Trova de Ademar

O Natal é uma beleza:
tem presentes, festa e luz…
Mas vejo que em cada mesa
falta um lugar pra Jesus!
–ADEMAR MACEDO/RN–

…E Suas Trovas Ficaram

Deus com seu saber profundo,
para nos trazer a paz,
mandou o seu filho ao mundo
há dois mil anos atrás.
–MIGUEL RUSSOWSKY/SC–

Simplesmente Poesia

“O Dia de Natal…”
–RAIMUNDO NONATO/CE–

É bastante especial
porque de Deus, segue as leis:
é depois de vinte e quatro
e antes de vinte e seis
“Natal”, o nome da festa
Dezembro, o nome do mês!

Estrofe do Dia

No Natal eu me comovo
com o espírito natalino,
então peço ao Deus menino
pra vir na terra de novo,
pra convencer esse povo
e mostrar quem é Jesus,
trazer um pouco de luz
para esse povo infiel;
mesmo com o risco cruel
de voltar pra mesma cruz!
–ASSIS BRAGA/RN–

Soneto do Dia

Hoje é Natal.
–SÔNIA SOBREIRA/RJ–

Hoje é Natal, pressinto uma saudade
que se achega nas horas do sol posto
e na sombra que envolve a claridade,
tento esconder as lágrimas do rosto.

Hoje é Natal, por que tanta ansiedade?
Na insensatez deste aguilhão imposto,
que deixa um rastro de intranquilidade
aumentando ainda mais o meu desgosto.

Mas Deus Menino chega em passos lentos,
sem pressa, conduzido pelos ventos
a desfazer tristezas e cansaços.

Abraça-me a sorrir, apaga as mágoas,
estende pontes sobre turvas águas
e deixa uma esperança entre os meus braços.

Fonte:
Textos enviados pelo Autor

Deixe um comentário

Arquivado em Mensagens Poéticas, Natal

Ademar Macedo (Mensagens Poéticas de Natal n. 432)

Natal em João Pessoa/PB, com led e garrafas pet
Uma Trova Nacional

Noite excelsa… A Ti, Jesus,
guiou a Estrela os pastores!
É Natal!…Que a Santa Luz,
guie agora os Trovadores!
–CAROLINA RAMOS/SP–

Uma Trova Potiguar

Deus, luz, e sagrado brilho
que distingue o bem do mal,
deu-nos seu único filho
de presente…No Natal!
–MÁRCIO BARRETO/RN–

Uma Trova Premiada

2002 – Garibaldi/RS
Tema: “NATAL” – Venc.

Natal da minha velhice…
não sinto qualquer revolta:
– Papai Noel… ah! quem disse
que, em nós, o sonho não volta?
–POMPÍLIO O. VIEIRA/SP–

Uma Trova de Ademar

Tenho pena da criança
que, num cruel desvario,
enche de desesperança
seu sapatinho vazio!
–ADEMAR MACEDO/RN–

…E Suas Trovas Ficaram

Oh! Mundo como serias
um sublime madrigal
se fossem todos os dias
como as noites de Natal!
–ALFREDO DE CASTRO/MG–

Simplesmente Poesia

Presença de Natal
–MARIA LUISA BOMFIM/CE–

Na mangedoura,
o Menino Deus.
Ajoelhados,
José e Maria.
Chegam
pastores e reis magos,
seguindo a estrela guia.

Anjos flutuam no ar
cantando para o Menino,
melodias que veem do céu
e falam de Esperança.

É a instauração do amor,
é uma paz infinita.
É a presença de Deus,
é o Natal que chegou.

Estrofe do Dia

A família reunida
dividindo o pão à mesa
será sempre, com certeza,
a melhor coisa da vida.
Adotando esta medida,
de maneira natural,
todo mundo é visto igual
festejando o Deus-criança;
minha casa é só bonança,
numa noite de Natal.
–IEDA LIMA/RN–

Soneto do Dia

O Natal do Rei
–CAROLINA A. DE CASTRO/PE–

Numa cascata azul, resplandecente,
do Firmamento à Terra se estendeu
à luz da Estrela-Guia, lentamente,
na santa noite em que Jesus nasceu!

Jerusalém vibrara intensamente,
quando a feliz notícia recebeu,
e postara-se em preces, toda a gente,
em honra ao soberano Galileu.

Repleta estava humilde estrebaria,
e entre reis e pastores, enlevada,
orava a Mãe das Mães, Virgem Maria…

Velava pelo sono angelical
daquela criancinha bem-amada,
no seu mais belo e cândido Natal!

Fontes:
Textos enviados pelo Autor
Imagem = http://exame.abril.com.br/

Deixe um comentário

Arquivado em Mensagens Poéticas, Natal

Adélia Prado (Cantiga dos Pastores)

À meia noite no pasto,
guardando nossas vaquinhas,
um grande clarão no céu
guiou-nos a esta lapinha.

Achamos este Menino
entre Maria e José,
um menino tão formoso,
precisa dizer quem é?

Seu nome santo é Jesus,
Filho de Deus muito amado,
em sua caminha de cocho
dormia bem sossegado.

Adoramos o Menino
nascido em tanta pobreza
e lhe oferecemos presentes
de nossa pobre riqueza:

a nossa manta de pele,
o nosso gorro de lã,
nossa faquinha amolada,
o nosso chá de hortelã.

Os anjos cantavam hinos
cheios de vivas e améns.
A alegria era tão grande
e nós cantamos também:

Que noite bonita é esta
em que a vida fica mansa,
em que tudo vira festa
e o mundo inteiro descansa?

Esta é uma noite encantada,
nunca assim aconteceu,
os galos todos saudando:
O Menino Jesus nasceu!

Deixe um comentário

Arquivado em Natal, Poesia

Ademar Macedo (Mensagens Poéticas de Natal n. 431)

Uma Trova Nacional

Cristo Deus feito criança,
que a sublime estrela tua
encha de luz de esperança
os moradores de rua.
–GERALDO AMÂNCIO/CE–

Uma Trova Potiguar

É Natal, noite feliz,
na capela bate o sino,
e o coro alegre assim diz:
– nasceu Jesus, Deus menino.
–UBIRATAN QUEIROZ/RN–

Uma Trova Premiada

2002 – Garibaldi/RS
Tema: “NATAL” – M/H

Vencendo o tempo e a distância
num clima de eternidade,
os Natais de minha infância
permanecem na saudade.
–IVO DOS SANTOS CASTRO/RJ–

Uma Trova de Ademar

Noel quase nunca vem
visitar nossas favelas,
pois lá, crianças não têm
nem sapatos, nem janelas…
–ADEMAR MACEDO/RN–

…E Suas Trovas Ficaram

É Natal! Lá na favela,
no seu barraco sombrio,
ele encontrou na janela
o tamanquinho vazio!…
–CAROLINA A. DE CASTRO/PE–

Simplesmente Poesia

Jesús El Salvador.
–LIBIA BEATRIZ CARCIOFETTI–ARGENTINA

Navidad es todo el año
si predicamos amor.
Al conocido, al extraño
que JESÚS es el Salvador.

Es él que vino a traernos
paz a nuestro corazón,
olvidando los infiernos
que nos causan desazón.

Que nuestras voces unamos
en canto de adoración
pues hacia el cielo marchamos
busquemos su aprobación.

Estrofe do Dia

Eu só vou ter alegria
nessa festa de Natal,
havendo a paz mundial
em cada raiar do dia;
peço pela primazia
reforçando o meu pedido,
pra que ele seja atendido
vamos todos dar as mãos,
na ceia dos meus irmãos,
quero cristo renascido.
–MARCOS MEDEIROS/RN–

Soneto do Dia

Prece de Natal.
–OLGA DIAS FERREIRA/RS–

Ouço bem longe, doces tons divinos,
a penetrar-me a alma com fulgor,
diviso sons, suaves, cristalinos,
a propagar a vinda do Senhor.

Pobres pastores, rumam campesinos,
na atmosfera de cadeia em flor,
escutam forte badalar de sinos,
em grandes festas para o Salvador.

Os três Reis Magos, com prazer intenso,
transportam joias, o mais raro incenso,
com vestes santas, para um festival…

Brilhando o sol, com o raiar mais denso,
formulo prece, com amor imenso:
bendito sejas, Pai, neste Natal!!!

Fonte:
Textos enviados pelo Autor

Deixe um comentário

Arquivado em Mensagens Poéticas, Natal

Ademar Macedo (Mensagens Poéticas de Natal n. 430)

Uma Trova Nacional

Deus-menino não reclama
mas a verdade é cruel:
– no natal, quem leva a fama,
é sempre o papai Noel!
–FRANCISCO PESSOA/CE–

Uma Trova Potiguar

Eu fico feliz porque,
em Dezembro em peço assim:
Feliz Natal pra você…
como eu desejo pra mim.
–LUIZ XAVIER–

Uma Trova Premiada

2007 – Caicó/RN
Tema: NATALINO – 2º Lugar

Na manjedoura em Belém,
nasce um mistério profundo:
Uma luz vinda do além,
que se fez a luz do mundo!
–PROF. GARCIA/RN–

…E Suas Trovas Ficaram

É Natal! Lá na favela,
no seu barraco sombrio,
ele encontrou na janela
o tamanquinho vazio!…
–CAROLINA A. DE CASTRO/PE–

Uma Trova de Ademar

Num Natal que nos irmana,
onde o vinho é o que reluz,
numa ceia assim profana…
Não há lugar pra Jesus.
–ADEMAR MACEDO/RN–

Simplesmente Poesia

Natal Moderno.
–NEMÉSIO PRATA/CE–

É dezembro, mês de festa,
Festejamos o Natal,
Não existe festa igual!
Festa simples e modesta,
Não há festa tal qual esta!
Tem anjo, tem querubim,
Tem arcanjo e serafim,
Tem rei mago com presente;
O coral canta dolente
O chegar do “meninim”!

Mas também tem muita gente
Correndo, daqui pra ali,
Num terrível frenesi,
Atrás de comprar presente;
Êta Natal diferente!
Nesse “fuxico” infernal,
De cunho comercial,
Vê-se o povo em “agonia”,
Falsificando alegria;
Nem parece que é Natal!

Estrofe do Dia

Nos “Natais” eu me comovo,
Mas, é, pelo Deus menino;
e não vou na onda do povo
nem aceito o desatino
desse velho barrigudo,
dá presente a quem tem tudo,
nem vai na periferia;
é na verdade um engano,
ele só vem de ano em ano
e Jesus, vem todo dia!…
–ADEMAR MACEDO/RN–

Soneto do Dia

Soneto Natalino.
–REGINALDO ALBUQUERQUE/MS–

Quando Se deixou ir ao vil calvário
entre os braços horríveis de um madeiro,
cheio de amor, de paz, mas solitário,
Jesus morrendo salva o mundo inteiro.

Com sublimado verbo O humilde obreiro,
liberto de Si mesmo, em cruel fadário,
pregando o ideal de amor bem verdadeiro,
resgata os homens de um viver nefário.

Natal!… A imagem de Jesus pendida…
No Seu olhar piedoso a indagação:
– “Todos vós, que fazeis por esta vida?”

Quanta gente carente de luz, temos
e se não cremos no outro como irmão,
como aceitar um Deus que nunca vemos?

Fonte:
Textos e imagem enviados pelo Autor

Deixe um comentário

Arquivado em Mensagens Poéticas, Natal

Ademar Macedo (Mensagens Poéticas de Natal n. 429)

Uma Trova Nacional

Seria o Natal agora
de valor mais consistente,
se a luz que brilha por fora
brilhasse dentro da gente!
–ARLINDO TADEU HAGEN/MG–

Uma Trova Potiguar

Neste Natal Reluzente
de uma ternura sem fim,
não peço a Deus um presente,
peço Deus presente em mim!
–JOSÉ LUCAS DE BARROS/RN–

Uma Trova Premiada

2002 – Garibaldi/RS
Tema: NATAL – 1º Lugar

Papai Noel, por favor,
no Natal, afasta os medos,
e coloca mais amor
no meio dos teus brinquedos!
–DELCY CANALES/RS–

Uma Trova de Ademar

Peço a Noel que ele faça
com toda bondade sua,
um grande Natal na praça
para as crianças de rua.
–ADEMAR MACEDO/RN–

…E Suas Trovas Ficaram

É Natal… Com humildade
faço um pedido, em segredo:
– que eu ganhe a felicidade
nem que seja de brinquedo!
–J. G. DE ARAÚJO JORGE/AC–

Simplesmente Poesia

Sempre Natal.
–VANDA FAGUNDES QUEIROZ/PR–

Pelas voltas do tempo, houve mudança
nos festejos da data do Natal,
mas não me esqueço quando era criança,
e tudo era mais simples afinal.

Papai montava caixas, lá no canto
da sala tão modesta e pequenina.
Mamãe armava o presépio. E que encanto
fascinava minha alma de menina!

Os três magos, em fila, meio sérios,
olhavam Jesuzinho no seu berço.
À luz da vela eu via mil mistérios,
e então a minha mãe puxava o terço.

Papai partiu. Depois, mamãe também.
Hoje, tudo se fez modernidade.
Mas eu conservo o amor, a luz e o bem
do Natal do meu lar, que hoje é saudade.

Se o mundo ao meu redor parece novo,
persiste o verdadeiro, o essencial.
Seja quando e onde for… na alma do povo
nasce Jesus! Natal sempre é Natal.

Estrofe do Dia

No barraco da favela,
não existe luz acesa;
lá na noite de Natal,
falta luz, sobra pobreza;
Natal, lá, é o mesmo drama,
falta presente na cama,
e pão em cima da mesa.
–LUIZ DUTRA/RN–

Soneto do Dia

Novo Natal
–FRANCISCO MACEDO/RN–

Eu fiz um soneto falando da dor,
de pobres crianças, em mais um Natal.
Carentes de tudo, de pão e de amor,
um sonho maior, que se fez sazonal.

Eu quero dizer ao Noel, ”parcial”:
lembrai cada filho do trabalhador,
querendo somente um olhar paternal,
recebe uma noite, sem luz e sem cor!

Você, Pai Noel, sem amor pelos pobres,
desfila o trenó pelos bairros mais nobres,
esquece, no morro, a criança infeliz.

Em nome dos pobres, eu tenho uma queixa:
você, velho ingrato, retorna e não deixa,
sequer um brinquedo, que um rico não quis.

Fonte:
Textos enviados pelo Autor

Deixe um comentário

Arquivado em Mensagens Poéticas, Natal

Maria Eudócia Ferreira (Natal em Casa)

O Natal está em cada um
Que tem “casa”
Que casa e não casa,
Que casa e descasa,
Que não sente a casa,
Que dentro de casa não casa,
Que casa com presente,
Com gente,
Com tudo que sente.
Que casa a fé
E o nascimento.
E a cada casa que passa,
Passa na casa
Da tristeza e da alegria,
Na casa do dia a dia,
Na casa casada
com o amor e a alegria,
Que casa a árvore,
A fantasia,
o brilho e o natal de casa,
Que só é Natal!
Se for em casa,
Não importa em que casa,
Ou em qual casa,
Jesus nasceu fora de casa!

Fonte:
Olga Agulhon e Eliana Palma (organização). VI Coletânea da Academia de Letras de Maringá. Maringá: ALM, 2011.

Deixe um comentário

Arquivado em Natal, Paraná, Poesia