Arquivo da categoria: Pouso Alegre

Benedito Camargo Madeira (No Compasso da Trova)

Navegando no inaudito…
com Deus no leme – amparado
não temo o além do infinito,
nem o que há do outro lado!…

Por mais longe o afastamento,
não me abala coisa alguma:
– para tê-la em pensamento
não há distância nenhuma!…

O amanhecer bem disperso
é de uma extrema beleza:
é o teatro do universo…
no palco da natureza!

Não adianta esconder
nada do mal que nos acontece:
a verdade é demorada,
mas, ela sempre aparece!

O entardecer… como é lindo
o sol se pondo, em centelhas…
despede o dia, sorrindo,
por entre nuvens vermelhas!

Na fase escura da vida…
tenha fé – deixe-a passar:
– é feito a lua escondida,
que depois volta a brilhar!

Deus, com toda realeza,
num dia lindo e fecundo,
deu à “Virtude” a grandeza
de ser a chave do mundo!…

As coisas que o embaraçam,
cuide, com fé, revertê-las:
são feito nuvens que passam
cobrindo a luz das estrelas!

Navegando sobre espuma
e, Deus no leme, ao meu lado,
não temo onda nenhuma,
mesmo com mar agitado!…

Deus, na excelsa realeza,
num dia lindo e fecundo,
fez a Mulher… na grandeza
da maior obra do mundo!…

Teu sorriso é só doçura
a transbordar esperança…
– É uma fonte de ternura,
onde minha alma descansa!

Pelo tempo – amareladas…
de um passado de esplendor,
tenho ainda bem guardadas,
as tuas cartas de amor!…

Fonte:
http://www.ubtjf.hpg.ig.com.br/

Deixe um comentário

Arquivado em Minas Gerais, Pouso Alegre, Trovas

Benedito Camargo Madeira (1930)

Natural de Pouso Alegre (MG), nascido no dia 01 de abril de 1930, filho de Vicente Madeira e Dolores Camargo Madeira (já falecidos). É casado com dona Maria Helena Gobbo Madeira, tem três filhos e duas netas.

Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito do Sul de Minas e Fiscal Federal do Trabalho (aposentado). É membro da Associação dos Diplomatas da Escola Superior de Guerra, da Sociedade Numismática Brasileira, do Clube da Medalha da Casa da Moeda do Brasil e da União Brasileira dos Trovadores – Seção de Pouso Alegre.

Jornalista, fundador, diretor e redator do Informativo Pouso-alegrense, jornal e revista, publicados entre 1956 a 1962.

Foi membro da antiga Arcádia de Pouso Alegre e de outras entidades culturais, algumas já extintas, tais como:
– Associação Uruguaianense de Escritores e Editores – 1967,
– Instituto Histórico e Geográfico de Uruguaiana (RS),
– Academia Internacional de Ciências Humanisticas,
– Clube da Poesia de Uruguaiana (RS),
– Academia de Letras da Fronteira Sudeste do RS,
– Academia Internacional de Heráltica e Genealogia (RS),
– Academia Internacional de Letras 3 Fronteiras – Quaraí – Uruguai e
– Grêmio Brasileiro dos Trovadores (Bahia).

Detentor de vários prêmios literários, inclusive, o troféu Luiz Otávio “Magnífico Trovador”.

Tomou parte nas Coletâneas de trovas: Meus Irmãos os Trovadores (Luiz Otávio); Trovadores do Brasil (Aparício Fernandes); Madrigal dos Trovadores (Mauro Damota); Na taça da Saudade; Cancioneiros do Mandu e Enquanto o Mandu Corre…

Autor e Editor do livro: “A MOEDA ATRAVÉS DOS TEMPOS” (2 Edições), com repercussões além fronteiras.

Fonte:
http://www.ubtjf.hpg.ig.com.br/

Deixe um comentário

Arquivado em Biografia, Minas Gerais, Pouso Alegre