Arquivo da categoria: Primavera

UBT Seção Bragança Paulista (Primavera é…)

Prefácio por Cida Moreira

Mais este livreto amigo,
cheio de flores e cor,
traz alegria consigo:
carinho de trovador! 
–––––––

Marina Menezes Santos

Esta linda primavera
sempre aparece com flores
e eu fico à sua espera,
para lhe dar meus amores.
–––––––
Antonio Miguel Cestari

Na primavera as flores
repletas de encantos mil,
exalam perfume e cores
por este imenso Brasil.

O sol se anuncia agora,
a lua já vai dormir.
Primavera foi embora,
o verão está por vir.

Mais energia no ar,
mais esperança na vida,
maior tempo para amar:
A primavera é nascida! 

Chega a primavera em flor
que no Brasil é mais bela,
cresce com muito fulgor
desfilando em aquarela. 

A primavera florida 
renasce em nossa memória, 
reanima nossa vida
revivendo nossa história.
––––-

Cida Moreira

Antecedendo o verão
vem a doce primavera,
tinge de cor nosso chão
e perfuma a atmosfera. 
––––-

Fábio Siqueira do Amaral

Flores, flores, tantas flores:
pulcra primavera atesta!
No vergel repleno em cores:
colibris, canções e festa!

Primavera cheira à infância
da estação mais colorida;
beija-flores (Que elegância!)
fazem festa e esbanjam vida…

São as flores com seus frutos
dons fecundos da estação:
Primavera, cala os brutos
num louvor à criação!

Quando chega a prima Vera,
cada dia ainda mais bela,
faz luzir a primavera
com mil cores da aquarela.

Abelhas em burburinhos
no verdor que se acelera
e o trinar dos passarinhos
são núncios da primavera…

Alteza dentre as demais,
de perfume insinuante, 
temporada de esponsais:
primavera fascinante!
––––-

Henriette Effenberger

Na primavera me animo
sou colibri, beija-flor,
sou menina-passarinho
buscando por teu amor…

Bom seria cada dia
viver como a primavera,
trazendo luz e alegria,
pois o verão nos espera…
––––-

Ignez Freitas

Setembro é o mês do amor, 
de flores em profusão;
ganha mais vida e mais cor 
na linda flor em botão.
Setembro! Tudo é encanto,
borboleta beija as flores.
É a primavera chegando
com arco-íris de cores.
––––-

Joarez de Oliveira Preto
Preferiste a primavera,
quando surgem os botões.
Esqueceste quem lhe dera
nos outonos, emoções.

Gosto de lembrar das flores,
do perfume de jasmim
que ficou dos meus amores,
das primaveras sem fim.

Vi nascer na primavera
um lindo botão de rosa.
Vi o espinho na quimera
com o fim de nossa prosa.
––––-
José Solha

Primavera, mês das flores,
isso não posso negar.
Tempo de novos amores,
tempo pra gente se amar.
––––-

Leda Montanari Céu 
Desta vida, a primavera
é a mais bonita estação;
acaba-se toda espera,
vai-se toda a ilusão!
––––-

Leonilda Spina

Quem nasce na primavera,
ao doce embalo da brisa,
não vive só de quimera,
busca o sonho e o concretiza.

Primavera, quem me dera,
que como renasce a flor,
depois de uma longa espera
reflorisse meu amor.

Quando me vejo a teu lado
na primavera florida,
meu coração, remoçado,
tem novo sopro de vida.

A primavera ilumina
toda a terra e a alma da gente. 
Volto a ser uma menina
com belos sonhos na mente. 

A primavera florida
reveste o mundo de cores.
Nas almas – sopros de vida.
Nos corações – mais amores.

Sonhei, nesta primavera,
que cessaram os terrores
e nos canhões (oh! quimera!)
nasceram botões de flores.
––––-

Lóla Prata

Bem na metade do mês
de setembro, mês das flores,
cultuamos o que fez
Nossa Senhora… das Dores!

Traduzindo primavera
como: primeira verdade,
desejo que esta galera
vote a Deus, grande amizade.

Subindo o Monte Serrat
de modo jovem e afoito,
dou à Virgem meu “olá”
em setembro, dia oito.

Na esperança, eis a quimera
de uma feliz existência,
de ser sempre primavera
numa plena benquerença!

Na existência tão sofrida
de uma pessoa excluída,
a primavera florida
fica exilada da vida!

Martins Fontes desejava
morrer em dia de sol;
isso que tanto almejava
se fez ao vate de escol.
––––-

Maria Cestari

Na estação da primavera
a vida em mim refloresce;
com as cores da aquarela
tristeza torna-se prece.

As flores da primavera 
me alegram com suas cores
e os campos em aquarela
elevam os meus louvores.

Esqueço meus tristes ais
sentindo-me embevecida,
entre as flores naturais,
a primavera traz vida!

Caminho pelos jardins,
desatenta e esquecida,  
por entre as rosas carmins
na primavera da vida.

Tece a pauta, escreve a clave:
eis a primavera em flor!
Em tom maior bem suave
desenha notas de amor.

As flores da primavera,
no inverno adormecidas,
despertam em aquarela
ao reflorescer da vida.
––––-

Marina Valente

Plante uma árvore, amigo,
que ela é sinal de esperança.
Se não lhe servir de abrigo,
servirá a uma criança.

Protegida, a natureza
dará frutos a granel,
flores de rara beleza
e favos prenhes de mel.

Engrinaldada de flores,
surge a mais bela estação,
e a alegria chega a cores
a cantar no coração.
As árvores são sagradas,
são um milagre da vida; 
no entanto, são derrubadas 
pela ambição desmedida.
Rosa é a rainha das flores, 
outra mais bela não há;
nem mesmo, com seus primores, 
a flor do maracujá.
Um trevo de quatro folhas 
nascido no meu jardim, 
trouxe entre tantas escolhas, 
muita sorte para mim.

Dama da noite, de branco, 
com as vestes de cetim,
enfeita à noite o barranco 
transformando-o num jardim.

Camélia é flor delicada, 
tal qual um floco de neve.
Sentida, fica queimada, 
mesmo com um toque leve.
 
Tão humilde, a margarida, 
sem perfume, sem magia,
para não ser esquecida, 
por entre os ramos, espia.

Gorjeiam os passarinhos 
na ramaria orvalhada.
Primavera, nos caminhos, 
vai despertando a florada.

Se fôssemos pontuais 
como a florada do ipê, 
seríamos também mais 
responsáveis, já se vê!
––––-
Myrthes Neusali Spina de Moraes 

Primavera, tu chegaste
florindo nossos jardins
e feliz tu nos deixaste,
quando colhemos jasmins!

Belas flores perfumaram
os jardins de nossas casas.
Os passarinhos cantaram,
bailando, a bater as asas.

Procurei no meu jardim
uma rosa pra lhe dar,
Só encontrei branco jasmim
perfumando todo o ar.

Se o homem quer conquistar,
à mulher entrega flor,
pois além de cativar,
vai conseguir seu amor.

Violetas e jasmins
florescem na primavera.
Alegram nossos jardins,
perfumando a atmosfera.

Se você tem um pomar,
guarde bem essa lição:
não deixe de acrescentar
bons sucos à refeição!
––––-

Therezinha Ramos de Ávila

A primavera chegou
trazendo cores em festa
e é nesta data que vou
ouvir a linda seresta.

É nesta data querida
da primavera em flor
que lembro datas vencidas
daquele primeiro amor.
––––-

Vladimir Inokov

Aguardando a primavera,
nossa mais bela estação,
até a velha prima Vera
faz florir seu coração.

Primavera em expansão:
cresce fauna, cresce flora;
com a beleza em extensão,
assim nossa vida aflora.

Primavera no Japão!
Exibem-se as cerejeiras,
turistas, muito povão,
sem as moscas varejeiras.

O que era verde, despiu-se;
a estação assim mostrou-se,
depois mudou: vestiu-se.
Foi assim: revelou-se!

O colorido arco-íris
no céu sempre aparece,
a deslumbrar nossa íris;
a nossa vida enobrece.


Flores, cores e a pureza,
com a nobreza do divino
completas em realeza,
doces graças do Deus Trino.
––––-

Wadad  Naief Kattar

As cigarras cantadeiras
anunciam a estação
e as mil cores nas floreiras
inspiram uma canção.
Você prometeu voltar
no tempo de primavera,
mas eu não pude esperar;
desculpe, a fila acelera.
=================
TEMAS DA COLEÇÃO É…
ESPORTE é…  – Novembro de 2009  √
CULTURA é…   – Março de 2010  √
MULHER é…   – Novembro de 2010 √
AMOR é…  – Novembro de 2010 √

2ª etapa – 2012
BRAGANÇA é…  
DESTINO é… 
FAMÍLIA é… 
INVERNO é…
NATAL é… 
OUTONO é…  
PAZ é…
PRIMAVERA é…
SAUDADE é… 
VERÃO é…


2ª DIRETORIA DA UBT 
SEÇÃO DE BRAGANÇA PAULISTA SP         2011 / 2013

Presidente: MARIA  DE LOURDES PRATA GARCIA 

Vice-presidente de administração:  HENRIETTE EFFENBERGER

Vice-presidente de cultura: WADAD NAIEF KATTAR

Vice-presidente de finanças: HELENA VALDEREZ SCANFERLA

Vice-presidente de relações públicas: VLADIMIR INOKOV

Secretária: MARINA GOMES DE SOUZA VALENTE

SUPLENTES 
Secretaria: LYRSS CABRAL BUOSO

Dos vice-presidentes: 
1- JOAREZ DE OLIVEIRA PRETO
2- vago
CONSELHO MUNICIPAL

1-MIGUEL GARCIA ALVES
2-APPARECIDA MOREIRA
3-vago
 SUPLENTES DO CONSELHO MUNICIPAL

1-NORBERTO DE MORAES ALVES
2-JOSÉ SOLHA
3-MARIA DAS DORES DE PAIVA CESTARI

Fontes:
Lola Prata
Formatação da imagem por J. Feldman
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Primavera, Trovas

Alberto Paco (Manhã de Primavera)

Primavera em Maringá
Na manhã primaveril
Em que os pássaros cantavam
E as flores balançavam
Sob uma brisa ligeira,
Estava no chão, sentada,
Uma formosa garota
À sombra de uma figueira.

Quando ao pé dela cheguei,
Tão encantado fiquei
Com sua graça e beleza,
Que de tudo me esqueci.
A ela, maior eu vi
Do que a própria Natureza. 

Quando tentei lhe falar,
Rápido se levantou
E apressada se afastou
Deixando-me ali sozinho,
A seguir com o olhar 
O seu esbelto perfil!

Agora vivo a sonhar,
Com a garota que vi 
Na manhã primaveril!

Maringá, Primavera de 2012.

Fontes
O Autor
Imagem : Foco Maringá

Deixe um comentário

Arquivado em Maringá, Paraná, poema., Primavera

Eliana Jimenez (Haicais de Primavera)

Primavera em Camboriu (Arthur Moser/RBS)

Banhista ressurge
na pressa de ser feliz.
Sol de primavera.
Bem-te-vis em pares
preparam ninhos nos postes.
Em alta tensão.
Chega a primavera.
Em pleno alvoroço, os pássaros
revoam a vida.

Deixe um comentário

Arquivado em Balneário Camboriú, haicais, Primavera

Cecy Barbosa Campos (Poemas sobre a Primavera)

Primavera em Juiz de Fora/MG
INVASÃO 
( 2011- chegou às 2h da manhã ) 

A primavera chegou de madrugada 
e entrou pela janela do meu quarto 
vestida de prateado. 
Enluarando a minha cama 
cobriu o meu corpo insone 
e anestesiou os meus sentidos. 

2012 – chegou antes de meio-dia 

CHEGADA

A primavera chegou
ao final da manhã
sem alarde, discretamente
vestida de cinza.
Esperançosa, aguarda o domingo
com flores que se abrirão
em sorrisos azuis
à luz do sol.

PRIMAVERA EM MIM

Começou a primavera, 
nasceu ontem, é bebê, 
insegura e fragil 
ainda não teve coragem 
de se despir de núvens 
e mostrar o azul. 
Mesmo assim, algo muda 
comemorando o sábado o inverno que existe em mim 
transformado por uma profusão 
de flores e cores. 
De bem com o mundo 
já consigo ouvir 
sua manifestação triunfal, 
com o acorde dos pássaros 
em saudação inaugural.

Fonte:
A Autora

Deixe um comentário

Arquivado em Minas Gerais, Poemas, Primavera

Trovas Sobre a Primavera

Primavera (ilustração de Taro Semba)
Não há mal que seja eterno,
dor não há que sempre dure… 
– Não deixa tristeza o inverno
que a primavera não cure!
A. A. DE ASSIS (MARINGÁ/PR)

Triste, lembro a primavera 
cheia de luz e alegria, 
em que tendo a vida à espera, 
eu sonhava e não vivia!
CAROLINA RAMOS (SANTOS/SP)

Jamais chores o abandono 
da primavera que finda… 
pode haver frutos no outono 
que tu não provaste ainda! 
CAROLINA RAMOS (SANTOS/SP)

Desfloram ipês, sem pressa,
de Agosto ao fim da estação,
e a Primavera começa,
tapetando-nos o chão.
DOROTHY JANSSON MORETTI (SOROCABA/SP)

O ramo seco de hera,
entre páginas guardado,
é um marco da Primavera,
que me restou do passado.
DOROTHY JANSSON MORETTI (SOROCABA/SP)

No uivar do vento, clamores…
-ah! mais vida, quem me dera!
Súplica vinda das flores,
quando finda a primavera.
FRANCISCO JOSÉ PESSOA (FORTALEZA/CE)

Nossa retina é quem sente
quanto a natureza é bela…
na primavera, silente,
as flores falam por ela!
FRANCISCO JOSÉ PESSOA (FORTALEZA/CE)

Todo amor se circunscreve 
às ações puras, sinceras. 
Assim, colhemos, de leve, 
as mais belas primaveras. 
WAGNER MARQUES LOPES (PEDRO LEOPOLDO/MG)
Fonte:
Trovas enviadas pelo/a/s autor/es/as

Deixe um comentário

Arquivado em Primavera, Trovas

Jacqueline Aisenman (Sonho de uma Noite de Primavera)

Porção de mim se ausenta e distancia
parte num sonho na noite mulher
envereda por uma trilha qualquer
alcança o mundo que a alma via

Revê amigos, canta, lembra vidas
sorri do mundo que deixou atrás
entre o azul do céu e o coração lilás
encanta e se encanta com tantas guaridas.

Noite que passa, passa junto com as horas
sonho que vai na dança até chegar a aurora
e a alma baila, baila ao som de uma quimera

Amanhecendo parte o sonho enquanto a volta
se faz feliz tendo a lembrança como escolta
mostrando a chuva e a flor e o ar da primavera.

Fonte:
A Autora é de Genebra, Suiça

Deixe um comentário

Arquivado em Primavera, Soneto., Suiça

Ialmar Pio Schneider (A Primavera…)

Primavera em Porto Alegre
Dentre as estações do ano, principalmente aqui no sul, onde são mais definidas, é a que traz amenidades, prenunciando o próximo verão de sol ou de chuva, mas também de águas salgadas e areia, aos que se dirigem às praias, tão convidativas nos meses de dezembro, janeiro, fevereiro e março. Nesse período, os que têm condições de fazê-lo, vão ao litoral, nem que seja por quinze dias, a fim de refazer-se um pouco da estafa adquirida no dia-a-dia. 
Outrossim, representa também a quadra da vida, quando se está na adolescência, tão decantada pelos poetas, tais como Casimiro de Abreu e Pe. Antônio Tomás que nos deixou o soneto inesquecível: 
“CONTRASTES”  

“Quando partimos, no verdor dos anos, 
da vida pela estrada florescente, 
as esperanças vão conosco à frente 
e vão ficando atrás os desenganos. 

Rindo e cantando, céleres e ufanos, 
vamos marchando descuidosamente… 
Eis que chega a velhice de repente, 
desfazendo ilusões, matando enganos. 

Então nós enxergamos claramente 
como a existência é rápida e falaz, 
e vemos que sucede exatamente 

o contrário dos tempos de rapaz: 
– os desenganos vão conosco à frente, 
e as esperanças vão ficando atrás.”
Isto me leva a meditar num passado recente, porque a vida é efêmera, e não faz muito navegava nessa fase, percorrida sem grandes lances aventureiros. 
Conservo ainda enraizados aqueles devaneios que me assaltavam o pensamento na juventude pacata e laboriosa. Sempre lutando por dias melhores, desde a infância, consegui algum progresso relativo, o que me leva a acreditar no estudo e no trabalho.
E muitas vezes me surpreendo ao deparar com acontecimentos já presenciados outrora, que pareciam sepultados na tumba do tempo, mas que surgem avivados qual uma brasa encoberta pelas cinzas. São as reminiscências que nos fazem, enfim, reviver alguns momentos mais representativos ao longo de nossa caminhada pelo mundo. Aos treze anos de idade, quando praticava datilografia, cujo ensino me era ministrado por uma freira, numa sala da escola em que concluía o curso primário, há mais de quarenta anos, havia um piano no qual algumas meninas aprendiam a tocar. De uma delas recordo bem; as outras me parecem névoas que se dissiparam. Embora minha paixão pela música, meu dever era a datilografia e não o piano. Hoje só me resta dizer: 
“Parece que foi ontem !” São os desígnios da existência…
____________________________
Poeta e cronista 
Publicado em 29 de setembro de 1999 – no Diário de Canoas.

Deixe um comentário

Arquivado em Cronica, Magia das Palavras, Primavera, Rio Grande do Sul, Soneto.