Arquivo da categoria: sextilhas

Sexteto em Sextilhas (Parte 10, final)

271 – Assis
Neste domingo, que é o dia,
das mamães, a todas elas
envio beijos e versos,
e ainda as rosas mais belas,
rogando a Deus e aos seus anjos
que estejam do lado delas.

272 – Ademar
Que Deus possa dar a elas,
amor e resignação,
para suportar a dor
da mais triste ingratidão 
de um filho ausente que nega
a sua própria benção.

273 – Delcy
Faz  doer  o coração
da mãe, que fica sozinha,
que o filho não a coloca
no  seu  trono  de  rainha,
pois por pobre que a mãe seja,
com ela, o céu  se  avizinha!
 
274 – Prof. Garcia
A grande tristeza minha
nesta loucura moderna,
é ver no filho clonado
a triste ausência paterna,
e o mundo adotando um filho
já na orfandade materna!

275 – Gislaine
Toda mãe é jóia eterna,
mesmo se o filho a renega;
do fundo do coração,  
seu perdão a ele entrega,
e ora mais por ele a Deus,
pois amor, mãe, nunca nega!

276 – Zé Lucas
Minha mãe foi toda a entrega
de um amor puro e sem fim;
protegeu-me, aqui na terra,
como nunca vi assim,
e eu creio que, aos pés de Deus,
ainda reza por mim!

277 – Assis
O céu deve ser assim:
um jardim onde as avós
e as mães e os anjos do bem,
em coro, numa só voz,
pedem mil bênçãos a Deus
todo o tempo para nós.

278 – Ademar
Elevo aos céus minha voz
para mamãe me escutar,
e pedir ao nosso Deus
proteção para Ademar;
que dos seus vinte e um filhos,
nunca deixou de lhe amar.

279 – Delcy
Vinte e um filhos para amar,
merece  nosso  louvor!
Minha  mãe teve só cinco
e amou-os com o mesmo ardor;
e  eu  tenho  somente  três
a  quem  dei  e  dou amor!

280 – Prof. Garcia
Toda mãe divide a dor
das dores do filho ausente;
amor de mãe, é tão forte,
dos outros, tão diferente,
que este amor sagrado e santo
só coração de mãe sente!

281 – Gislaine
Sinto minha Mãe presente,
sempre a dar-me proteção!
De sangue, tive dois filhos,
e duas, do coração…
Amo os quatro por igual.
Filhos são realização!
         
282 – Zé Lucas
Com a globalização,
nosso país-continente
tornou-se sócio do mundo,
mas não sei se é conveniente,
porque até gripe suína
já estão mandando pra gente!

283 – Assis
Sociedade, certamente,
algo bem melhor seria,
se em vez de trocar doenças
se trocasse mais poesia,
como a gente vem fazendo
nesta nossa parceria.

284 – Ademar
Tem muita gente hoje em dia
com essa gripe danada,
nunca mais eu como porco,
nem mesmo na feijoada;
prefiro comer galinha
e carne de bode assada.

285 – Delcy
Essa gripe tão falada,
que nosso mundo atacou,
faz com que nos preocupemos,
pois entre nós se alastrou
e esperemos , com confiança,
que parta como chegou!

286 – Prof. Garcia
Quando essa peste atacou
os pobres dos mexicanos,
me agarrei logo com os santos
e a proteção dos arcanos,
para não ver meus irmãos
na garra dos desenganos.

287 – Gislaine
Deixemos a gripe e os danos
continuemos nosso verso,
contaminando com ele ,
a luz do poema imerso,
graças a tecnologia
que uniu o nosso Universo!

288 – Zé Lucas
Para enriquecer meu verso,
pedi aos deuses do Olimpo
as ideias mais felizes,
os pensamentos mais limpos
e a pedraria mais rara
nos veios de meu garimpo.

289 – Assis
Nas grimpas do Olimpo agrimpo,
qual as gralhas nos pinheiros,
em busca de uma sextilha
à altura dos meus parceiros
neste instante em que partimos
para os versos derradeiros.

290 – Ademar
Faltam só DEZ, companheiros
para o rojão se acabar;
eu já fiz as minhas contas,
quem quiser pode anotar:
foi Assis quem começou…
Zé Lucas vai terminar.

291 – Delcy
Pois só podia  acabar
com o nosso Professor,
Zé Lucas,  o  nordestino,
que  desbordou em valor,
seguindo o exemplo de Assis
numa  apoteose  de  amor!

292 – Prof. Garcia
Nosso mestre e professor
dará o golpe fatal,
vai encerrar o debate
de forma fenomenal,
fazendo de cada verso
um poema universal!

293 – Gislaine
Foi numa emoção legal
que as sextilhas escrevemos.
Unimos o Sul e o Norte,
do nosso Brasil –  extremos
e usamos, então, os versos
tal fossem os nossos remos!

294 – Zé Lucas
Nessas emoções que temos,
quando as Estrela D’Alva brilha
eu começo a caminhar,
beijando as flores da trilha,
e entrelaçando nos dedos
as seis pontas da sextilha.

295 – Assis
Vejam só que maravilha,
pela qual muito agradeço:
sulistas e nordestinos,
amigos desde o começo,
chegamos ao fim da estrada
como irmãos em sonho e apreço.

296 – Ademar
Nem mesmo sei se mereço
De Deus tanta inspiração.
Pos isto agradeço aos céus
de todo meu coração;
pelas cinquenta sextilhas
que eu fiz com tanta emoção!…

297 – Delcy
Falando em inspiração,
olho os pagos e flechilhas,
e, agradeço  emocionada,
entre  tantas  maravilhas,
o  fato  de  ser  parceira
na  feitura  das sextilhas!

298 – Prof. Garcia
Ante tantas maravilhas
feitas com tanto carinho;
cada irmão cantou seu hino
qual mais feliz passarinho,
que abrindo o bico bem cedo
faz um repente no ninho!

299 – Gislaine
Foi bom e grande o carinho
de escrever em parceria
com tais poetas de escol, 
minha alma vive a alegria
dessa beleza envolvente
que nasce da poesia!

300 – Zé Lucas
Ao calor da parceria,
produzimos, como irmãos,
três centenas de sextilhas,
num trabalho a doze mãos,
mostrando que a poesia
floresce em todos os chãos. 

Deixe um comentário

Arquivado em sextilhas

Sexteto em Sextilhas (Parte 9)

241 – Assis
Que bom quando a gente amarra
num feriado um domingo…
Domingo que pede cama,
ou pede da pinga um pingo;
domingo que quase rima
com  pé de cachimbo… bingo!

242 – Ademar
Eu sempre passo o domingo
sentindo e dando alegrias,
visitando meus amigos
que não vejo há vários dias;
e caçando inspiração
pra fazer minhas poesias…

243 – Delcy
Contemplo o  passar dos dias
com  alegria  e  saudades,
abrindo meus dois e-mails
para  ler as  novidades,
e  agradecer a  ventura
de crescer em amizades!

244 – Prof. Garcia
Não creio nas vaidades
dos sobejos sociais;
prefiro a contemplação
dos mistérios divinais
de um Cristo crucificado
ao mundo pedindo paz!

245 – Gislaine
O ser humano é capaz;
me encanta o mundo virtual,
que aumentou meu rol de amigos
de maneira atemporal!
Eu considero a Internet

invenção  fenomenal.    

246 – Zé Lucas
Com a internet, afinal,
o mundo está diferente,
as distâncias encolheram,
permitindo até que a gente
faça um debate de longe
tal se fosse frente a frente.

247 – Assis
Distância, modernamente,
é simples virtualidade.
Podemos, via internet,
bater um papo à vontade,
como se a gente estivesse
os seis na mesma cidade.

248 – Ademar
A Internet na verdade,
é uma grande maravilha,
mas perde para o poeta
pois não segue a nossa trilha;
ela pode fazer tudo
mas não faz uma sextilha!

249 – Delcy
Nem sextilha,  nem  septilha,
a  Internet,  nós  sabemos,
apesar  de  fazer  tudo
não faz o que nós fazemos,
e,  por  isso, nós  poetas,
ao  Senhor,  agradecemos!
 
250 – Prof. Garcia
Nós internautas, sabemos,
que a NET encurta os caminhos;
mas não gorjeia do jeito
do canto dos passarinhos
ao despertar da alvorada
no aconchego dos seus ninhos!
 
251 – Gislaine
Podemos trocar carinhos
por e-mails todo dia,
e podemos divulgar                                               
mensagens, versos, poesia,
repartindo com o mundo
a nossa eterna alegria!

252 – Zé Lucas
Quando eu não fizer poesia
para a mulher preferida
nem sair pra ver a Lua
brilhando em minha avenida,
estarei fora do mundo,
ou mesmo fora da vida.

253 – Assis
Jamais será interrompida
a nossa vida, jamais,
pois que a teremos eterna,
já que somos imortais,
e em nosso canto a faremos
sempre linda, mais e mais.

254 – Ademar
Nos nossos jogos florais
eu encontro um certo enlevo,
embora fique indeciso
se participar eu devo;
e só encontro as respostas
nas trovas que eu mesmo escrevo.

255 – Delcy
Será que devo ou não devo,
dos  Florais,  participar?
Há trovadores  famosos
que, por certo, irão ganhar!…
Mas, nesta minha humildade,
eu  quero, apenas,  trovar!

256 – Prof. Garcia
Eu passo a vida a cantar,
pois, cantar, faz muito bem;
o poeta quando canta
espanta os males que tem,
afasta as mágoas do peito
e os pesadelos não vem!

 257 – Gislaine
Gosto de cantar também,
cantando espalho os meus sonhos,
plantando suas sementes
tento tornar mais risonhos
os dias tristes do mundo,
que pesam porque , tristonhos! 

258 – Zé Lucas
Os momentos mais risonhos
eu desfruto quando canto
pra transmitir alegria
a quem sofre o desencanto
de não conseguir, sozinho,
afastar a dor do pranto.  

259 – Assis
A vida é dura, no entanto
vale a pena ser vivida.
E vale bem mais ainda
quando a gente faz da lida
um modo de, amando o irmão, 
dar-lhe a mão para a subida.
 
260 – Ademar
Pra ir ao fim da subida
estou de marcha engatada,
sou poeta conhecido
por ter a mão calejada;
sou retirante da seca,
um peregrino na estrada.

261 – Delcy
Chego a ficar agoniada,
quando sigo o meu caminho,
e encontro, logo a  seguir,
um irmão triste e sozinho,
que anda à procura de alguém,
que o entenda e dê  carinho!
 
262 – Prof. Garcia
Eu sou feliz passarinho
na copa das verdes matas,
sou menestrel das estrelas
em noites de serenatas,
sou colcheias latejantes
dos gemidos das cascatas!

263 – Gislaine
Relembro antigas fragatas
percorrendo o mar sem fim,
aos ventos, se aventurando,
enfrentando algum motim,
que muitas vezes parece
o que sinto dentro em mim!

264 – Zé Lucas
Dentro do mundo sem fim,
saí a buscar espaços,
onde a sorte me sorrisse,
afastando os embaraços;
encontrei muitos caminhos
e Deus aprumou meus passos.

265 – Assis
Enlaçado nos meus laços
de amizade e de afeição,
vou seguindo vida afora
numa alegre comunhão
em que a cada amigo trato
qual se fosse um meu irmão.

266 – Ademar
Quero você como irmão,
ao lado dos irmãos meus,
eu fazendo aqui meus versos
e você fazendo os seus;
trilhemos pois, o caminho
determinado por Deus!

267 – Delcy
Não sejamos  fariseus,
procuremos  ajudar
àquele que mais precisa
e junto, a nós, quer estar,
pois  somos  todos irmãos,
que precisam se amparar!

268 – Prof. Garcia
No rojão de versejar
todos nós somos estetas,
traçamos os nossos planos,
cumprimos as nossas metas,
deixando em cada sextilha
o murmúrio dos poetas!

269 – Gislaine
São as estradas completas
com versos cheirando a flor,
e a nossa terna amizade
é bem maior do que o amor,
pois unindo os corações
tem um novo brilho e cor!

270 – Zé Lucas
Há fortes doses de amor
nesta nossa poesia,
fruto de uma interação
de amizade e simpatia,
por isso Deus abençoa
os versos que a gente cria.

continua… final

Deixe um comentário

Arquivado em sextilhas

Sexteto em Sextilhas (Parte 8)

211 – Assis
Sonho um mundo onde a poesia
seja uma regra geral.
Um mundo onde a exceção
seja a violência brutal
que hoje em dia em toda parte
espalha a tristeza e o mal.

212 – Ademar
Tenho um sonho especial
que sonho de noite a dia:
ver o pobre com saúde,
menos barriga vazia,
e um poeta nas escolas
pra divulgar a poesia…

213 – Delcy
Ao  viver o  dia-a-dia,
minha alma toda se inquieta,
é que as belezas da Terra
só  quem as canta é o poeta,
pois  a maldade  do  mundo
se antepõe ao bem do esteta!

214 – Prof. Garcia
Segue o mundo em linha reta,
cheio de ódio e maldade;
a ganância não se curva,
não tem dó nem piedade;
mas o poeta estende os braços
beija e abraça a humanidade!

215 – Gislaine
Dá fim à desigualdade,
pois em seu mundo risonho,   
planta, o poeta, a alegria,
transmutando o que é tristonho,    
e, com a força do seu verso,
torna real  o seu sonho!

216 – Zé Lucas
Penso num mundo risonho
de irmão abraçando irmão,
os casais em mil ternuras,
coração a coração,
parecendo o céu na terra
pelo encanto da união.

217 – Assis
Os mais jovens viverão,
por certo, melhores dias.
Verão cumprir-se as promessas
que lemos nas profecias;
lobo e cordeiro juntinhos,
como antecipa Isaías.

218 – Ademar
Faço minhas profecias
sem querer coisas demais,
quero apenas neste mundo
que os homens sejam iguais;
que façam em vez de guerra
um mundo cheio de paz!

219 – Delcy
A  defesa  do  bem  traz
a  apologia  da  crença,
de  que  homens desiguais
se  unam  na  benquerença,
e o  nosso  mundo melhore,
pondo  fim  à  indiferença!

220 – Prof. Garcia
Nesta luta infinda, imensa,
entre nós pobres mortais,
são tantos atos ferozes,
tantas decisões brutais;
mas nós, poetas do mundo
queremos todos iguais!

221 – Gislaine
Nossos versos são sinais,
da luta pela igualdade,
nascidos do coração,
sementes de liberdade,
plantando um amor amigo
para toda a humanidade!

222 – Zé Lucas
Deus criou a humanidade
à sua imagem sagrada,
querendo-a no paraíso,
em santa e eterna morada,
porém há seres humanos
que não servem para nada!

223 – Assis
A humanidade, criada
à imagem do Criador,
não dando a tal privilégio
o seu devido valor,
perdeu-se ao perder de vista
a vocação para o amor.

224 – Ademar
É certo que o desamor
existe em todo lugar,
mas nós somos diferentes
na maneira de pensar;
pois ao nascermos poetas
foi para viver e amar.

225 – Delcy
Poetas,  vamos  cantar
com amor, a natureza,
as  flores e os animais,
a exuberante  beleza,
que povoa o nosso mundo
 e, de Deus, mostra a grandeza!

226 – Prof. Garcia
Eu não suporto a torpeza
da mente má, desumana,
que destrói a própria vida,
pensando que a Deus engana,
mas só engana a si mesmo
de forma bruta e tirana!

227 – Gislaine
Esse desamor que engana,
em nossas almas de estetas
não existe, pois é o sonho,
que alicerça nossas metas, 
e  nós seguimos  felizes,
porque nascemos poetas!

228 – Zé Lucas
Palmilhando estradas retas,
chegaremos ao lugar
almejado pelos justos,
em seu bonito sonhar,
e levaremos um livro
de sextilhas pra cantar.

229 – Assis
Sempre gostei de pensar
que os bons ventos desta vida
no seu canto vão levando,
por uma estrada florida,
de mãos dadas os poetas
para a Terra Prometida.

230 – Ademar
Quando eu partir desta vida,
irei coberto de paz;
e chegando lá em cima
nas mansões celestiais,
vou depressa organizar:
“Primeiro Jogos Florais”…

231 – Delcy
Nos teus jogos celestiais,
tu podes contar  comigo,
com Luiz Otávio e Adelmar
e  muitos outros, te digo,
pois  os  poetas  do céu,
estarão  todos  contigo!

232 – Prof. Garcia
Na mesma luta eu prossigo
junto aos amigos leais,
tentando cantar meus versos
nos novos jogos florais,
que serão organizados
nos palcos celestiais!

233 – Gislaine
Nós já somos imortais,
pois estamos planejando
a primeira grande festa,
lá no céu, e convidando,       
com carinho, os trovadores,
que aos poucos forem chegando!

234 – Zé Lucas
Jesus Cristo, no comando,
do paraíso abre o véu,
e em vez desta vida curta,
por aqui, andando ao léu,
teremos a vida eterna
pra fazer versos no céu.

235 – Assis
Tiremos hoje o chapéu
ao Trabalho, no seu dia,
e juntos comemoremos,
com justa e imensa alegria,
o nosso ofício fecundo
de operários da poesia.

236 – Ademar
Hoje eu quero neste dia
em nome dos Trovadores,
enaltecer toda classe,
sejam garis ou doutores;
desejando mais justiça
a todos trabalhadores…

237 – Delcy
Nós, que somos trovadores,
vamos,  hoje,  nos  unir,
comemorando o “Trabalho”,
razão  do  nosso  existir,
pois trabalhar com o verso
nos anima  a  prosseguir!

238 – Prof. Garcia
A humanidade sorrir
e a mão de Deus agradece,
pelo dia do trabalho
que ao operário enaltece,
quem trabalha comemora
quem nada faz entristece.

239 – Gislaine
Fazer versos é uma messe
que nos dá muita alegria,  
leva paz aos corações,
enfeita mais nosso dia,
e as emoções extravasam
por meio da poesia!  

240 – Zé Lucas
O verso é meu dia-a-dia,
mas enfrento qualquer barra,
desde o cabo de uma enxada
ao braço de uma guitarra;
trabalho como formiga
e canto como cigarra.

Deixe um comentário

Arquivado em sextilhas

Sexteto em Sextilhas (Parte 7)

181 – Assis
Se lá bem distante eu visse
meu eu-menino, veria
em volta dele a cidade
onde reinava a alegria
da qual sinto imensa falta
porque inexiste hoje em dia.

182 – Ademar
Se eu também voltasse um dia
novamente a ser menino,
eu faria sem demora
mais um ato em desatino;
tentaria a todo custo
mudar de vez meu destino.

183 – Delcy
Um desejo  repentino,
às vezes, me vem à mente,
é voltar a ser criança,
ao seu mundo diferente,
mas me arrependo em seguida:
melhor é o  tempo presente!
 
184 – Prof. Garcia
Na verdade, o que se sente
depois da terceira idade,
são momentos de atropelos
lembranças da mocidade,
e um mundo cheio de sonhos
carregado de saudade!

185 – Gislaine
Vivemos na dubiedade
do presente e do passado,
e o sonho agora faz parte
desse viver angustiado,
pois temos dentro de nós,
sempre um menino guardado!

186 – Zé Lucas
Regessar para o passado
é coisa que ninguém faz.
Se mergulhei na velhice,
adeus, vigor de rapaz,
porque a vida não reverte
e o tempo não volta atrás!
 

187 – Assis
O tempo, o que ele mais faz
é agregar idade à gente.
Porém não me esquenta a cuca,
porquanto sigo contente,
curtindo as minhas saudades,
mas sempre olhando pra frente.

188 – Ademar
Eu sempre tiro da mente
o que diz meu coração…
E para fazer meus versos
carregados de emoção,
abro o cofre de saudades
que eu trouxe do meu Sertão!!

189 – Delcy Canalles
A minha grande emoção
é  regressar  ao passado,
relembrar a  meninice,
com meus irmãos do meu lado,
e, então, voltar  ao  presente,
com meu desejo alcançado!

190 – Prof. Garcia
Que desejo consagrado,
para o sonho de um esteta.
Ver o passado outra vez,
de uma forma tão completa,
depois voltar ao presente
sem deixar de ser poeta!  

191 – Gislaine
Sendo nossa arma secreta,
vivemos nessa emoção,
vamos poetando a vida,    
com carinho e devoção,
sem pararmos de sonhar,
levando as rimas na mão!

192 – Zé Lucas
No mundo da inspiração
não há limites pra nada.
Podemos pedir aos céus
uma noite iluminada,
e os anjos vêm derramar
estrelas em nossa estrada.

193 – Assis
Nesta semana sagrada,
em silêncio sobe ao trono
a lua mais decantada:
primeira cheia do outono,
tão faceira e recatada,
que aos poetas rouba o sono.

194 – Ademar
Peço a Deus, Pai e Patrono,
nesta semana sagrada,
que essa minha inspiração
seja sempre abençoada,
para que minha poesia
não seja crucificada!

195 – Delcy
Nesta semana sagrada,
a  Páscoa, se comemora…
Os cristãos fazem jejum
e  o  povo mais horas, ora!
Então,  eu  peço ao Senhor:
-Dai-nos a Paz,  sem demora!

196 – Prof. Garcia
Todo cristão comemora
a passagem de Jesus,
que apesar do sacrifício
de ter morrido na cruz;
amou toda a humanidade
e encheu o mundo de luz!
 
197 – Gislaine
Que a paz chegue, é o que traduz
o desejo do planeta,
e que exista para sempre
voando uma borboleta,
colorindo o céu anil,
em majestosa mareta!

198 – Zé Lucas
Praza a Deus que este planeta
mantenha o claro da luz
que pôs fim à grande treva
após a prova da cruz
e se abasteça no amor
da mensagem de Jesus!

199 – Assis
Sortudo mesmo de truz
é o bom parceiro Ademar,
que na sextilha duzentas
vai o seu nome assinar,
registrando o belo marco
que estamos hoje a saudar.

200 – Ademar
Que eu possa comemorar
“os duzentos” na verdade,
com versos cheios de amor,
sem discórdia, sem maldade;
fugindo dos sentimentos:
tristeza, dor e saudade!

201 – Delcy
Amigo, em minha ansiedade,
” as duzentas”,  esperei…
Teus versos cheios de encantos
me  envolveram e eu gostei.
Pela  sextilha  enviada,
na  hora, me apaixonei!

202 – Prof. Garcia
Neste debate eu cantei
meus sonhos de muitos anos.
Falei do céu e da terra,
dos lagos, dos oceanos,
da natureza divina,
e até dos meus desenganos!

203 – Gislaine
É normal, somos humanos,
e as tristezas fazem parte      
da vida que nós levamos…
Sonhando, vamos a Marte,
e o que é triste, conseguimos
esquecer, com nossa arte.

204 – Zé Lucas
Tenho andado em toda parte,
por matas, serras e rios,
às vezes pisando em pedras
e espinhos, pelos desvios,
só por amor à beleza
dos melhores desafios.

205 – Assis
Os desafios, curti-os
bem mais quando era criança.
Hoje ainda às vezes ouso
atirar alguma lança,
porém com certo cuidado,
pois a idade pesa… e cansa.

206 – Ademar
Quem tem fé em Deus não cansa
e eu sou um homem de Fé;
não me cansarei na estrada
e nem voltarei de ré,
pois a fé que eu tenho em Deus
é quem me mantém de pé.

207 – Delcy
Ver-se um homem que tem fé
é  uma  riqueza  tamanha.
Neste  mundo em que vivemos,
chega, a crença, a ser estranha.
Pra quem tem fé e acredita,
a  vida eterna está ganha!

208 – Prof. Garcia
Na vida, a maior façanha,
para um pobre pregador,
é plantar frutos do bem
entre os espinhos da flor,
colher a essência mais pura
e encher o mundo de amor!

209 – Gislaine
Sendo um grande  sonhador, 
segue o poeta plantando           
versos, que cantam a paz,
e vai ao mundo levando
com amor no coração,
os sonhos que vai sonhando!        

210 – Zé Lucas
Eu sinto, de vez em quando,
a vibração da poesia
nas cordas do coração,
dando-me nova energia
para decantar as coisas
bonitas que a mente cria.

Deixe um comentário

Arquivado em sextilhas

Sexteto em Sextilhas (Parte 6)

151 – Assis 
Quem não canta já levanta
espantando a freguesia,
pois que até na luz do sol
joga um balde de água fria,
dessa forma se fechando
para o encanto da poesia.

152 – Ademar
Não tenho sabedoria,
mas sei falar quase tudo;
não sou bom em português,
é fraco o meu conteúdo;
mas para fazer poesia
não é necessário estudo!

153 – Delcy
Ademar,  tu negas tudo
que o Senhor te deu de graça,
a  vida te fez um sábio,
mas a modéstia te abraça…
e  até a  própria   desdita,
com tua coragem,  passa!

154 – Prof. Garcia
Penso na vida que passa
ligeira como quem voa,
no amor que se faz presente
no lar de cada pessoa,
e em tudo quanto se alcança
na graça de quem perdoa!

155 – Gislaine
Perdão é como a lagoa,
bem profunda e em calmaria,
segue encantando em beleza,
proporcionando alegria             
aos que nela, então, navegam,
em seu barco de poesia!

156 – Zé Lucas
Se alguém me ofender, um dia
eu posso estender-lhe a mão,
porque sempre acreditei
na beleza do perdão,
que, além de agradar a Deus,
dá mais vida ao coração.

157 – Assis
Eu dou-lhes plena razão
e acrescento, do meu canto:
é quando a ofensa mais dói
que o perdão tem mais encanto,
pois, tendo a força do herói,
tem a grandeza do santo.

158 – Ademar
O meu perdão entretanto
sempre darei, de verdade;
para mim não custa nada,
nem mesmo vale a metade
das contas que eu vou pagar
no reino da eternidade!

159 – Delcy
Se eu tiver a honestidade
de sempre o bem praticar,
não me preocupa o futuro,
pois viver e poetar
garantirão a ventura
de um dia, no céu, entrar!
 
160 – Prof. Garcia
Eu vivo sempre a rezar
neste mundo em desatino,
peregrinando no tempo
igualmente a um beduino,
que leva o terço na mão
e a fé na luz do destino!
 
161 – Gislaine
Um grão de fé, pequenino,
move até uma montanha;
vamos ter fé, meus irmãos,  
por ela, fazer campanha,
e, num mundo,assim, melhor,
todo o ser  humano  ganha!

162 – Zé Lucas
Que a fé remove montanha,
o Santo de Nazaré,
pelo evangelho de Marcos,
disse em nome de Javé;
no entanto, nada remove
quem nega a força da fé. 

163 – Assis
Digo e repito, de pé,
e sei que também dirás:
que  hão de todos ir às ruas
tal qual Jesus manda e faz,
levando nas mãos – nas duas –
a fé e a esperança e a paz.

164 – Ademar
É num instante de paz,
que eu, humilde trovador,
sinto minha alma liberta
de mágoas, prantos e dor
buscando as inspirações
pra fazer versos de amor!

165 – Delcy
Para ser bom trovador,
buscamos inspiração
na fé, no amor, na amizade,
na  ternura  e  na  afeição,
e versejamos  melhor,
trovando com o coração!
 
166 – Prof. Garcia
É na força da oração,
que a inspiração nos convém.
Quando dobramos o orgulho
erguemos um grande bem,
vão-se as tristezas da vida
e os desenganos também!
 
167 – Gislaine
Inspiração todos têm,
basta só saber amar,
estando, as musas, presentes,
não nos deixarão chorar…
Faremos versos na vida
em nosso eterno sonhar!

168 – Zé Lucas
Já cheguei a me espinhar
pela beleza da flor;
buscando um lugar ao sol,
expus-me à chuva e ao calor
e, pela felicidade,
tornei-me escravo do amor.

169 – Assis
Tem tanta bondade a flor,
tanta ternura e carinho,
que por filho ela adotou
o feio e agressivo espinho,
ao qual, paciente, insiste
em botar no bom caminho.

170 – Ademar
Meu verso trilha o caminho
traçado com sutileza;
tem a leveza da pluma
e a força da correnteza,
a ligeireza de um gato
e o poder da natureza! 

171 – Delcy
Considero uma riqueza,
sempre que amanhece o dia,
ter  um  cardume de  versos
para  pescar  a  poesia,
e,  com eles,  realizar
uma  grande  pescaria!

172 – Prof. Garcia
No mar onde a poesia,
beijando as ondas passeia;
meu barco cheio de encanto
por todo canto vagueia,
buscando as ondas dos versos
para adormecer na areia!

173 – Gislaine
A minha musa é sereia,
pois, como eu, adora o mar,
nem a mais alta das ondas
 faz a gente fraquejar,
velejamos pelos mares
num eterno navegar!       

174 – Zé Lucas
Quando a Lua beija o mar,
declarando amor infindo,
o céu, como testemunha,
faz-se mais terno e mais lindo;
rola um poema nas ondas
que a praia espera sorrindo.

175 – Assis
Alô, outono, bem-vindo
ao nosso belo hemisfério.
É um tempo um tanto fechado,
cercado de algum mistério,
mas bom pra pensar na vida
quando a levamos a sério.

176 – Ademar
A poesia tem mistério
de um belo e perfeito enlace.
mesmo que derrame pranto
por sobre as rugas da face,
não põe tristeza nas rimas
do verso quando ele nasce.

177 – Delcy
Que a tua ideia eu abrace,
com  relação à  poesia,
que eu amo desde criança,
que só me traz  alegria!
Com ela, as tristezas fogem
na  vida do dia-a-dia!
 
178 – Prof. Garcia
Que bom na vida seria
um sono à luz do luar,
onde um poeta cantasse
linda canção de ninar,
e a lua beijasse os lábios
dos versos que vem do mar!
 
179 – Gislaine
Faz parte, o eterno sonhar,
da minha vida, é verdade,
a poesia mora em mim,
num viver só de irmandade;
nas tristezas e alegrias,
ela  traz tranquilidade!

180 – Zé Lucas
Quero cantar a saudade
da distante meninice,
num poema que atravesse
da mocidade à velhice,
faça tudo que não fiz
e diga o que eu nunca disse.

Deixe um comentário

Arquivado em sextilhas

Sexteto em Sextilhas(Parte 5)

121 – Assis
Cada caminho trilhado
nos põe mais perto do irmão,
e cada irmão que abraçamos
nos alegra o coração,
e o coração alegrado
põe o céu em nossa mão.

122 – Ademar
Cada verso é uma emoção
que nasce dentro da gente,
mesmo sendo fantasia
deixa o poeta contente,
pois vem das hostes divinas
como se fosse um presente…

123 – Delcy
Para afastarmos da gente
os  anseios mais diversos,
a vida nos torna astros
de pequenos universos,
e  felizes  viajamos
na  nave dos nossos versos!
 
124 – Prof. Garcia
Somos poetas dispersos,
mas nunca estamos sozinhos;
cantarolamos nos campos
livres como os passarinhos,
que voam de manhã cedo
mas nunca esquecem seus ninhos!

125 – Gislaine
São assim nossos caminhos,
cheios de estrelas e mar,
com campinas verdejantes,
e  Lua pra  iluminar
os  mundos da fantasia,
lindos  para  poetar!

126 – Zé Lucas
Vem a poesia a jorrar
de tão bonita vertente,
nas horas de inspiração,
que todo poeta sente
versos entrando e saindo
pelas janelas da mente!

127 – Assis
Pelas janelas da gente
não entram versos apenas.
Entram também as saudades
de antigas e ingênuas cenas,
como o passar, nas calçadas,
de encantadoras morenas.

128 – Ademar
Temos um milhão de cenas,
no imaginário da gente,
todas criadas por nós,
seja antiga ou mais recente;
e todas ficam gravadas
no vídeo-tape da mente.

129 – Delcy
O poeta é o que mais sente
o peso de uma Saudade,
os  casos  da  Juventude,
o  Bem  da Fraternidade,
e  poetiza  com  alma…
a grandeza  da Amizade!

130 – Prof. Garcia
Faço de cada saudade
um verso em forma de flor,
de cada ilusão perdida
faço uma rosa de amor,
e da musa que me inspira
minha alma de trovador!
 
131 – Gislaine
Meu coração sonhador
sabe se fazer feliz,           
conquista muita amizade,
tem por meta e diretriz
distribuir o seu carinho
sempre com novo matiz!

132 – Zé Lucas
Eu quero, pra ser feliz,
um pedacinho de mar,
um trino de passarinho,
uma nesga de luar,
uma viola afinada
e um poema pra cantar.

133 – Assis
Se uma viola sobrar,
manda ela aqui para mim.
Quero ir com ela esta noite
cantarolar no jardim
numa seresta daquelas
que têm começo, não fim.

134 – Ademar
Não quero muito pra mim,
com pouco eu me satisfaço.
Só quero o Baú do Sílvio,
toda beleza do espaço
e a inspiração de “Quintana”
em cada verso que eu faço!

135 – Delcy
Teus versos, amigo, abraço.
Teus  desejos  eu  quisera,
sem me importar com dinheiro,
mas com um mundo de quimera,
com a inspiração de um quintana,
com  flores  de  Primavera!

136 – Prof. Garcia
Que doce a vida não era,
com a inspiração de um Quintana;
mais uns dois terços da herança
da musa camoneana,
e eu faria num minuto
o que faço por semana!

137 – Gislaine
Quando a nossa alma se irmana
em  busca  de  inspiração,
poderemos,  certamente,
plantar estrelas no chão,
e criar  novas florestas
com a força da emoção!

138 – Zé Lucas
As nossas sextilhas são
produtos de artesanato,
polidos por mãos de fada,
junto às margens de um regato,
com gosto de mel de abelha
e cheiro de flor do mato.

139 – Assis
O teu pensamento acato
com muita satisfação
e o incentivo agradeço
de todo o meu coração,
pois cada nova sextilha
me traz nova inspiração.

140 – Ademar
Com a minha inspiração
eu copulo eternamente.
Meu verso entra no cio
quase que constantemente,
e numa transa de rimas
nasce um filho de “repente”!

141 – Delcy
Essa forma diferente
que tu tens de versejar,
quase assusta quando vemos
teu  jeito  de  sextilhar,
mas o filho que procrias
consegue nos acalmar!

142 – Prof. Garcia
Fazer verso é meu cantar,
pão nosso de cada dia.
Se não fosse esse trabalho
nem sei como viveria;
porque vida de poeta
sem verso, é triste e vazia!

143 – Gislaine
O verso é nossa alegria,
e sendo a luz dos caminhos,
faz parte do nosso sonho,
transforma a dor em carinhos;
versejando de mãos dadas
não ficaremos sozinhos!

144 – Zé Lucas
Tenho andado nos caminhos
da vida correta e boa;
canto a beleza e a virtude,
mas, para este mundo à-toa,
quando acerto, ninguém nota;
quando erro, ninguém perdoa!

145 – Assis
A gente às vezes caçoa
dos desencontros da vida,
mas tudo sempre acontece
na hora certa e devida,
conforme Deus recomenda
à filharada querida.

146 – Ademar
No barco da minha vida
enfrentei muitas procelas,
foram muitas turbulências
mas finquei as minhas velas
no mar das inspirações
pra fazer versos com elas…

147 – Delcy
Buscando as cores mais belas,
a pintar,  logo me  ponho,
e as telas de minha filha
quase…quase, que as transponho,
pois  queria  ser  pintora,
ao menos, neste meu sonho!

 148 – Prof. Garcia
Curtir um mundo risonho,
é bom que se curta e vença,
mas este mundo descrente
às vezes afasta a crença,
e crendo em tudo que faço,
faço com certa descrença.
 
149 – Gislaine
A fé traz a recompensa
de nos sentirmos felizes;
dá vazão aos nossos sonhos 
firmando nossas raízes,
faz, então, que nós sejamos
uns eternos aprendizes!

150 – Zé Lucas
Cantando como concrizes,
má sorte não nos quebranta,
porque, segundo o provérbio,
“quem canta os males espanta”,
e assim todas as mazelas
passam longe de quem canta.

Deixe um comentário

Arquivado em sextilhas

Sexteto em Sextilhas (Parte 4)

——————
Este debate possui 300 sextilhas. As postagens são diariamente de 30 em 30, ficando assim divididas em 10 dias.
91 –  Assis
Depois do samba, eis que a gente
precisa parar um pouco;
aproveitar a quaresma
pra fazer ouvido mouco
aos ruídos deste mundo,
a cada dia mais louco.

92 – Ademar
Eu acho que vimos pouco
no carnaval, este mês;
o mundo está mesmo louco,
e com a falta de honradez,
a mulher se fantasia
com sua própria nudez!

93 – Delcy
Hoje, eu vivo a embriaguez
que o carnaval propicia,
olhando Escolas e blocos
na  TV,  dia  após  dia,
e vibrando com o calor
dessa explosão de alegria!

94 – Prof. Garcia 
É triste, mas hoje em dia,
carnaval não presta mais;
só se escuta funk e rock
e outras drogas infernais,
matando nossas marchinhas
de passados carnavais!

95 – Gislaine
São marchinhas que jamais
sairão do coração
de quem é da velha guarda,
pois causam muita  emoção,
saudade de anos vividos
com prazer e animação!

96 – Zé Lucas
Deixei de ser folião;
dei adeus à brincadeira.
Vejo agora o carnaval
como ilusão passageira,
de três dias de loucura,
que morre na quarta-feira. 

97 – Assis
Nossa gente brasileira
de cuca fresca tem fama;
dança, canta, joga bola,
e contra nada reclama,
e ao ver o planeta em crise
diz que é problema do Obama.

98 – Ademar
Ao poeta nada inflama,
nem nos deixa cicatriz.
Essas crises não me atacam
a própria vida me diz,
só uma coisa me importa:
fazer verso e ser feliz!

99 – Delcy
O meu destino não quis
que, neste mundo, a ventura
sorrisse mais para mim!
Sem dinheiro e com cultura,
ganhei mais que muita gente:
me enriqueci de ternura!

100 – Prof. Garcia
Viver é a grande ventura
nesta nossa caminhada.
Mas o saber nos revela
todas as curvas da estrada,
e é luz que nunca se apaga
até o fim da jornada!

101 – Gislaine
Tendo a fé por aliada,
não tememos o futuro,
sabemos que nos espera
algo bom e muito puro,                     
e seguimos palmilhando
nosso caminho seguro!

102 – Zé Lucas
O que chamamos futuro
às vezes está pertinho;
pode ser alvissareiro,
quando o pintamos mesquinho;
por isso, seguir cantando
torna mais belo o caminho.

103 – Assis
Desculpem mais um pouquinho
pelos atrasos do Assis;
é que estive por uns dias
ausente, porém feliz,
curtindo as águas quentinhas
das Termas de Imperatriz.

104 – Ademar
Você, sim, é que é feliz
da forma mais inconteste,
e eu lhe faço um convite
peço que não me conteste:
venha conhecer nas férias,
as belezas do nordeste.
 
105 – Delcy
O  convite que  fizeste
ao Assis, querido irmão,
nos mostra que muito queres
teu  Nordeste, com  paixão,
mas meu Sul não fica atrás,
merece nossa  atenção!
  
106 – Prof. Garcia
Já senti a sensação
de conhecer novos lares;
visitar terras distantes
cruzar os mais belos mares,
nunca vi nada mais lindo
que nossos próprios lugares!
 
107 – Gislaine
O respirar novos ares,
faz feliz o coração.
Morarmos num paraíso
nos causa grande emoção,
mas viajar pelo mundo
nos traz nova inspiração!
 
108 – Zé Lucas
Os meus sonhos sempre vão
muito distante daqui,
atravessam céus e mares,
paragens que nunca vi,
porém, de volta, me dizem:
-teu lugar é Pirangi!

109 – Assis
Assim que houver tempo aqui,
mais o et-cétera-e-tal,
farei o que há muito eu quero:
vou pegar o meu bornal,
montar num corcel voante
e apear dele em Natal.
 
110 – Ademar
Ao chegares em Natal
vais me encontrar de joelho,
pois neste “vale de trovas”
és, de fato, o meu espelho;
e haverás de andar aqui
sobre um tapete vermelho…

111 – Delcy
Tu falas que Assis é espelho
e eu digo que ele é especial,
mas os outros do sexteto
também são bons, afinal,
por isso, eu faço um convite:
-Vamos todos a Natal!!!

112 – Prof. Garcia
Nosso trabalho, afinal,
volta com força e vigor;
muitas estrelas brilhando
mostrando luz e esplendor,
e a musa inspirando os vates
na caminhada do amor.

113 – Gislaine
Mais que lindo, é encantador
versos, poder escrever,           
deixando um pouco de nós,
neles, vamos reviver,
e algo deles vai ficar
pois, de nós, vai transcender!

114 – Zé Lucas
Sinto minha alma se encher
de uma alegria infinita;
parece que a vida canta
e o próprio silêncio grita,
quando eu monto os seis pilares
de uma sextilha bonita!

115 – Assis
Minha é a alegria infinita,
por poder, por esta via,
abraçar o Mestre Lucas
no seu belíssimo dia,
com votos de mais cem anos
a serviço da poesia.

116 – Ademar
Dediquei-lhe uma poesia,
orei e fiz uma prece,
e eu falando com Jesus
algo de bom me acontece;
e o que eu pedi pra Zé Lucas,
com certeza ele merece!

117 – Delcy
Eu também fiz uma prece
pelo nosso  Professor
e no “Universo da Trova”
falei sobre o seu  valor,
comentando os lindos versos
de Zé Lucas, cantador!

118 – Prof. Garcia
Sob o feitiço do amor
todo poeta se extasia.
Somos fiéis mensageiros
do mundo da fantasia,
e tangerinos dos versos
do reinado da poesia!

119 – Gislaine
É um reinado de alegria,
e a musa, sempre presente,
traz tanta felicidade,
de uma maneira envolvente,
que toca a nossa emoção
e nos faz sentir mais gente!

120 – Zé Lucas
Temos na esfera da mente
o nosso mundo encantado:
raios dispersos de estrelas,
imagens por todo lado,
e sempre um novo caminho
em cada verso inventado.

Deixe um comentário

Arquivado em sextilhas