Arquivo da categoria: Balneário Camboriú

Eliana Ruiz Jimenez (Poemas à Mulher)

Pintura de Mirthes Crespo

Maria da Penha
(homenagem à mulher que inspirou a Lei Maria da Penha)

No alto da Penha
uma ladeira inteira
de maus-tratos ao coração.

Uma vida inteira
com verbos sem ligação
que com labor e luta
deu um basta na agressão.

E assim, caminho aberto,
pôs a mulher no rumo certo
com direto de trabalhar,
ir e vir, sonhar e amar.

Maria, com muito orgulho,
somos também, no mesmo tom,
nessa marcha de guerreiras,
mas guerreiras de batom!
================================
MULHER É MARIA

Mulher é Maria
eterna menina
ternura em sonhos
com fé no porvir.

Maria é suor
de trabalho e estudo
de garra e de luta
que encara sem medo
que alcança o que quer.

Maria é labor
em todo momento
é mãe dedicada
com casa, família,
é longa jornada,
com dedicação.

Maria é magia
sentido da vida
arrimo, alicerce
é sonho, é força
é norte de todos.
Maria é mulher
e mulher é amor.

Fonte:
A Autora

Deixe um comentário

Arquivado em Balneário Camboriú, Poesias

Haicai 17 – Eliana Ruiz Jimenez (Balneário Camboriú/SC)

Deixe um comentário

3 de novembro de 2012 · 20:36

Eliana Ruiz Jimenez (Caderno de Trovas) Parte V, final: Datas Comemorativas – Outros Temas – Brincantes

DATAS COMEMORATIVAS

Criança muito levada,
que corre, chuta e sacode…
Que disciplina, que nada:
– Casa da vó tudo pode!

Triste destino bizarro
de um país na contramão:
alunos chegam de carro;
professor, de lotação.

Numa profusão de cores
vem o outono, sedutor,
inspirar os sonhadores
num convite para o amor.

Em pintura impressionista
a primavera desponta:
flores a perder de vista,
cores de perder-se a conta.

Esqueça o capitalismo
na rua ou televisão.
Natal não é consumismo
é festa de devoção.

BRINCANTES

Cai de tapa a Januária
no traste do maridão,
ao saber que a funcionária
ficou “gorda” de um serão.
XVII Jogos Florais De Curitiba 2012 – Tema tapa – Menção Especial

Fingindo que foi tropeço,
garantiu o seu futuro…
O figurão paga o preço:
pensão para o nascituro!
XXV Jogos Florais de Ribeirão Preto 2012 – Tema tropeço – Menção Honrosa

Quando, ao vestir-se, derrapa
e a falsa amiga a critica,
a resposta é um belo tapa…
mas com luva de pelica.

Já não temos mais fraqueza:
– Fome zero… companheiro.
Olha só pra robusteza
que arredonda o brasileiro!

Chave de casa perdida
por defeito da memória:
– Terceira idade assumida,
já não há escapatória.

Estrondo, coisa danada,
será trem ou avião?
– Barulho na madrugada
é o ronco do maridão…

Esse mundo feminino
de segredos permeado
é um gracejo do destino
pelos homens odiado.

OUTROS TEMAS

Patrimônio bem cuidado
não é só na aplicação;
tem mais valor partilhado
fazendo o bem ao irmão.
Jogos Florais de Maranguape 2012 – Tema patrimônio – Menção Honrosa

Numa empresa não há ócio
com um bom empreendedor,
mas o lucro do negócio
quem o mostra é o contador.
Jogos Florais de Maranguape 2012 – Tema contador – Menção Especial

Imagens de infindas cores
emocionam o turista:
– Povos, culturas, sabores
passando o mundo em revista.

AOS TROVADORES

Trovadores, em verdade,
são irmãos na inspiração,
na partilha da amizade,
no carinho e na emoção.

Balneário Camboriú/SC, setembro de 2012.
Eliana Ruiz Jimenez

Fonte:
A Autora

Deixe um comentário

Arquivado em Balneário Camboriú, Trovas

Eliana Ruiz Jimenez (Caderno de Trovas) Parte IV: Ecológicas


Não mais se comove o homem
com os sons da natureza.
Seus maus instintos consomem
o rio, a mata, a beleza…

O mar de um azul profundo
e as montanhas esverdeadas
são belezas deste mundo,
precisam ser preservadas.

Sorria pra natureza,
respeite e sempre preserve,
só assim teremos certeza
que o mundo assim se conserve.

Sol e mar… calor, beleza…
vêm mostrar à humanidade
que o homem e a natureza
têm a mesma identidade.

Pescadores não se enganam
na sua avaliação:
– Redes vazias emanam
do descaso e poluição.

Não é o homem proprietário
nem senhor da criação;
é somente um usuário
que fez usucapião.

Voa, passarinho, voa,
que gaiola é só maldade.
Livre, lá nos céus entoa
o cantar da liberdade.

Desfazendo a natureza,
vai o homem construtor
desconstruindo a certeza
de um futuro promissor.

O futuro do planeta
não é segredo a ninguém;
preserve e se comprometa
que a vida assim se mantém.

Rede que volta vazia
traz tristeza ao pescador
que apesar da nostalgia
leva adiante o seu labor.

Pescador mais esportivo
deixa seu peixe escapar,
melhor solto que cativo,
para assim o preservar.

Fonte:
A Autora

Deixe um comentário

Arquivado em Balneário Camboriú, Trovas

Eliana Ruiz Jimenez (Caderno de Trovas) Parte III: Fé – Valores


Traz o arco-íris à lembrança
que, ao criar tanta beleza,
Deus nos fez, em confiança,
tutores da natureza.

Presença no firmamento
em noite clara, estrelada:
– É o amor de Deus que, atento,
nos guarda na madrugada.
5 Concurso de Trovas do Boletim Alternativo 2012 – Tema presença – Menção Especial

Deu-me as asas o Senhor,
e, ao voar no infinito,
vou buscar meu grande amor,
o meu sonho mais bonito!

Por ser eterno esse amor,
não amedronta a partida;
sendo Deus o condutor,
não existe despedida.

VALORES

Na vida não busque atalhos;
desvios são ilusão,
nada mais do que atos falhos
que atrapalham a missão.

Agir certo não tem custo,
sendo a igualdade premissa;
dar sempre ao justo o que é justo:
é assim que se faz justiça!

A caridade amplifica
o sentimento cristão,
que tão bem se multiplica
quando é feita a divisão.
3ª. Etapa do Projeto de Trovas para uma vida melhor 2012 – Tema caridade – Menção Honrosa

A prudência é uma balança
que equilibra a nossa vida
ao dosar, com temperança,
a tentação desmedida.
4ª. Etapa do Projeto de Trovas para uma vida melhor 2012 – Tema prudência – Menção Especial

Justiça é a busca do bem,
da harmonia em sociedade;
é o respeito que se tem
ao próximo, em igualdade.

É preciso uma aliança
entre o querer e o poder,
pois é só com temperança
que se alcança o bem-viver.
6ª. Etapa do Projeto de Trovas para uma vida melhor 2012 – Tema temperança – M. Honrosa

Um segredo bem guardado
para assim permanecer
não deve ser partilhado
para nunca se perder.

Valorando o sem valor,
conjugando o verbo ter,
esqueceu-se quanto amor
num ranchinho pode haver.

Fonte:
A Autora

Deixe um comentário

Arquivado em Balneário Camboriú, Trovas

Eliana Ruiz Jimenez (Caderno de Trovas) Parte II: Nostalgias


Cheiro de terra molhada
é convite à nostalgia
de minha infância encantada
onde morava a alegria.
2.º Concurso de Quadras do Clube da Simpatia 2012 – Portugal – Tema terra – Menção Honrosa

Urge o tempo, faz-se escasso,
e, ao sofrer na despedida,
o nosso amor, sem espaço,
mostra a vida não vivida.

Saudade é uma dor pousada
nos ombros da solidão:
felicidade passada,
vedada a repetição.

Chega ao fim nossa jornada
em cruel bifurcação.
Vou seguir em outra estrada,
deixo aqui meu coração.

Peço ao mar que não me esconda
em tamanha vastidão:
– Traga logo em sua onda
quem me cure a solidão.

Hesitei, o trem passou,
e, ao correr pelo seu trilho,
só a poeira me restou
e a lembrança do seu brilho.

Enfrentando a tempestade,
vou remando na ilusão
de encontrar a claridade
que desnude a escuridão.

Uma vida sem amor
é qual comida sem sal:
em ambas falta sabor,
por ausente o principal.

Jaz latente enternecido
nas vertentes do meu ser
um amor adormecido
esperando efervescer.

Bem no alto, aqui estou;
neste ápice, a conquista.
Mas de nada adiantou:
tu não estavas à vista…

Nos percalços dessa vida
já deixei muita pegada
como marca dolorida
dos reveses da jornada.

Caminhar é minha sina,
em campo ou desfiladeiro,
nesta busca peregrina
por um amor verdadeiro.

Pensamento irresolvido
remoendo a mesma história:
– um amor não esquecido
reticente na memória.

Fonte:
A Autora

Deixe um comentário

Arquivado em Balneário Camboriú, Santa Catarina, Trovas

Eliana Ruiz Jimenez (Caderno de Trovas) Parte I: O Amor em Trovas

Felicidade almejada,
no meu futuro eu diviso:
– Em teus olhos, a alvorada;
no teu corpo, o paraíso.
 Jogos Florais de Campos de Goytacazes 2012 – Tema futuro – Vencedora

Lua cheia, céu em festa
é um momento inspirador,
nós na rede, uma seresta,
embalando o nosso amor.
Jogos Florais de Maranguape 2012 – Tema lua – Menção Honrosa

Poetas são pescadores
de palavras e emoção:
fisgam assim seus amores
com os versos da paixão.
Concurso Nacional e Internacional de Trovas 2012 – Tema pescadores – Vencedora

Vejo no espaço infinito
e em cada constelação
nosso amor nos céus inscrito
como obra da criação.

Seu olhar insinuante,
que tanto brilha me atesta:
– Uma fagulha é o bastante
para incendiar a floresta.

Um casal apaixonado
faz da vida um carrossel
de emoções, desgovernado,
rodopiando rumo ao céu.

Nossa vida é aventura
de amor incondicional
com sabor de uva madura
à sombra do parreiral.

Nesta vida o encantador,
com maior significado,
dá-se ao cativar o amor
e ao render-se, cativado.

Sua luz, como um farol,
me guiou na tempestade:
fez surgir um lindo sol,
que selou nossa amizade.

Noite quente, lua cheia,
é receita milenar:
– Paixão louca que incendeia
os casais sob o luar.

São forças da natureza,
não se pode fazer nada:
– fogo, vulcão, correnteza…
e a mulher apaixonada!

Quantas bênçãos recebidas
quando se caminha aos pares:
um ideal, duas vidas,
dois corações similares.

Esta vida me sequestra
numa espera de ilusão…
– Só o amor tem chave-mestra
para abrir meu coração.

Abra a porta, deixe a luz
resgatar seu coração.
Vá sem medo, faça jus
a viver nova paixão.

Só o amor tem o condão
de avivar, resplandecer,
transformando a escuridão
em radioso amanhecer.

Um amor que se alardeia
não passa de sonho vão:
é só castelo de areia
escorrendo pela mão.

O amor inspira a vontade
de viver com alegria.
Não importa a tempestade,
cante e dance todo dia.

Paraíso, Liberdade,
Morumbi, Consolação:
– se for amor de verdade,
tanto faz a direção.

Fonte:
A Autora

Deixe um comentário

Arquivado em Balneário Camboriú, Santa Catarina, Trovas