Arquivo da categoria: poemas ecológicos

Versos Verdes (Parte 2)


AÉCIO OLIVEIRA ARAÚJO
J
ABOATÃO DOS GUARARAPES / PE

Rosa dos ventos

Na fase da lua de mel,
o Jardineiro duvidou da virgindade da Flor.
Falou que o Sol tinha chegado primeiro,
que havia levado o néctar do seu amor.

O Botão era o juiz,
as Folhas jurados, o Galho promotor.

Uma Nuvem baixou derretendo,
os Pingos gritaram: ” Rosa se apaixonou”.

O Jardineiro chorou sambando,
afinou sua faca, a Lua cortou.
Um Beija-Flor saiu de mansinho,
enquanto a Rosa, Folhas a condenaram.

Os Soldadinhos o Jardineiro pegaram.
O Galho, sem dúvida, convenceu o Botão.

Logo após o veredito:
o Canário voou, o Bem te vi coçou o bico.
O Vento a beijou,
a Rosa se espatifou no chão.

AIRTON SOUZA
MARABÁ / PA

O verde, os pássaros, as flores e a poesia

O verde que plantei outrora
Foi desplantado, desamado, descomposto
O verde que fiz ontem
Foi desfeito, desapropriado, desvelado
Os pássaros que adejavam lá
Foram desconsolados, desolados, desconsentidos
Os pássaros que pousavam no verde…
despautério, desconjunto, descontente
As flores que nasceram lá
Foram descartadas, descangotadas, desconceituadas
As flores sem vida e sem aroma
Foram descosidas, descoradas
A poesia que nasceu depois
Foi descabida, desbriada, descaída
O verde que tinha lá
Os pássaros que felizes adejavam
As flores que aromatizavam
São figuras meramente ilustrativas
Enquanto a poesia é descrita.

ANNA KARINA KAMINSKI
CURITIBA / PR

Primavera

Contemplo a beleza divina
De tão belas flores…
Primavera seja bem vinda
Irradiando todas as cores.

São tons, formas e texturas
Azuis, rosas ou amarelos
Cada um com sua mistura
Deixando o mundo mais belo.

Aquarelando o caminho
Begônias, rosas e camélias
O cravo, dália e narciso
Flores do campo e a bromélia.

Ao por do sol vão surgindo
Brincos de princesa e esporeiras
Orquídea, margarida vão se abrindo
Papoula, tulipa e amoreira…

Hibiscos!! Chegou a primavera!
Copos de leite e jasmins….
O colorido também tem a hera…
Mais cores tem meu jardim.

APARECIDO DONIZETTI HERNANDEZ
ITAPEVI / SP

Chuva e terra

Hoje é um dia especial,
Depois do frio,
Vejo e sinto a chuva,
Uma chuva leve e suave.

Chuva que lentamente molha a terra,
Suavemente absorvida para o subsolo,
Filtrada pelo filtro da natureza.

As plantas que vejo de minha janela,
Estão sorrindo, os pássaros gorjeiam,
A melodia é linda.

Juntos, pássaros,
Gotas de chuva batendo nas folhas,
E o cheiro de terra molhada,
Não há como descrever.
Mas dá para sentir.

Sentir a natureza filtrando,
Filtrando…e se recompondo!

CLÁUDIO MANOEL NASCIMENTO GONÇALO DA SILVA
SALVADOR / BA

Primavera

Poesias líquidas em vasos de flores que perfumam o amanhã
Cujas pétalas e folhas pululam ao sabor dos silfos em plena luz do dia.
Há um buquê perfumado com a relva e a madressilva,
E as gotas de orvalho destilam seu frescor com os elementais.
Quero a alegria da primavera e o cantar dos pássaros,
Pois toda leveza gera paixão pela vida a se aproveitar.

Nestes dias, até a superfície do lago é mais bela,
O vento ousado beija a face virgem da aquarela…
… que dança como água pelos córregos a procura do mar.

O orvalho desce pelo mundo lambendo folhas e flores,
E seu sabor revela a alquimia da natureza e de todos os amores,
Em um mistério que um boticário sabe revelar.

Hoje em dia, o dia é o Sol e o Sol toda uma noite,
A Lua que alumia se fez uma mania de se iluminar.
Aquela Eva tem um botão de rosa perfumado,
E como uma borboleta abre suas asas para receber o raio do Sol.
Talvez haja uma nudez que incite a vida numa inocência a se dizer
E como Vênus fecundada numa espuma, exale o arroubo de seu prazer…

EDILOY FERRARO
SÃO PAULO / SP

Detalhe verde

mangueira
frondosa
abrigo fresco

assassinada
na noite
desaparecida

na calçada
a caçamba
ocultada

resta o passeio
alheio
sem sombras

sem folhagens
frutos
aragens

ausência
tristeza
vilania…

Fonte:
Versos Verdes. RJ: Câmara Brasileira dos Jovens Escritores, 2010.
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poemas, poemas ecológicos