Arquivo da categoria: Paranavaí

Paraná em Trovas Collection – 39 – Dinair Leite (Paranavaí)

Anúncios

Deixe um comentário

9 de janeiro de 2012 · 01:36

Dinair Leite (Paranavai em trovas)

Deixe um comentário

Arquivado em Paranavaí, Paraná em Trovas

Dinair Leite (Paranavaí Trovadoresco)

Praça do Japão (Paranavaí/PR)
Pela Maria da Penha,
lei-justiça conquistada,
quebro pau e queimo lenha
mas, congraço a mulherada!

Nossa vida fica triste,
vendo Jesus na paixão,
porém nossa alma resiste
e espera a ressurreição!

Não pule do trem do tempo
em desembarque apressado.
Viaje sem contratempo
e não pare adiantado.

Raiz? O que são raízes?
São alinhavos de Deus,
juntando os homens felizes,
quer sejam cristãos ou ateus…

Da inocência e da virtude
Deus capacitou o ser,
e deu-lhe franca atitude
do livre-arbítrio exercer!

Você que não me respeita,
a você eu sempre arrosto:
– Sai de perto, não me peita,
pois respeito é bom e eu gosto!

Quem nasceu pra dar amor
fraternal e compaixão,
é feliz se tira a dor
do seu próximo irmão.

Inocência adorna a fronte
de toda pessoa nova,
depois se esvai no horizonte
mas, volta perto da cova.

Se a violência o esfola,
tristeza no peito cresce
de quem fez do crime escola
sem ver, que o que sobe desce…

Quero ser sempre a criança
com desejo de estudar,
curiosa e na esperança
de nunca me completar…
—-

Fonte:
Colaboração da autora

Deixe um comentário

Arquivado em Paranavaí, Paraná em Trovas

Dinair Leite (Confraria dos Poetas Encantados)

Extinguiu-se a flor do lume
Do poeta expira o canto
Qual menino vaga-lume,
chega ao céu e vira encanto

O poeta pousa a lira
e se apaga sua tocha
A sua arte aqui expira,
porém no céu desabrocha

Quando o poeta atravessa
para o outro lado da vida
Chega ao céu leve e com pressa
de prosseguir sua lida

A nuvem azul-hortência
que se abriu para o poeta
deixou passar em cadência,
trovas da lira seleta

O poeta se despede
da trova, poesia amada
Com devoção ele cede
sua obra, imortalizada

Foi o poeta! Se chora…
Quedou da rosa o perfume
que invadiu belo anjo que ora
pro poeta e acende lume!

No último canto o queixume,
por ele que foi embora
Na terra a flor, e o perfume
o anjo recolhe agora

Na terra ele virou flor,
plantada por triste ausência
Deixou versos, deu amor
e a Jesus deu sua essência

No morno sopro do vento,
passarinho em revoada,
para viver novo evento,
cantar a Deus em toada

Murchou rosa, chorou trova
e o poeta emudeceu…
Despertou em vida nova,
onde a rosa reviveu

O poeta emudeceu,
dormiu sua inspiração
Mas no céu apareceu
de lira e rosa na mão

A dor o meu peito invade,
ao ver tudo assim deserto
Mas lembro a sua saudade
de ouvir estrelas de perto

Na vida vibra seu verso…
O poeta compõe, canta!
Planta amor no universo
e jamais morre, se encanta
==============

Rápidas sobre Dinair Leite
Delegada em Paranavaí/PR, do Movimento Poético Nacional, colaboradora da página cultural no Jornal de Poesia (do MPN), e Revista Bali (do Kleber Leite – Itaocara/RJ).
No início de outubro o SESC promoveu a 28ª edição da Feira de Livros do SESC 2009 – Literatura e Jornalismo, na qual Dinair participou com a exposição de Livros Raros e Antigos, de seu acervo. Convidada a compor a homenagem Euclidiana, declamou as 10 trovas premiadas no concurso Cantagalo (Euclides da Cunha), o que estimulou muitos alunos presentes a se interessarem pela feliz arte da trova!

Para saber mais sobre Dinair
http://singrandohorizontes.blogspot.com/2009/09/dinair-leite-assume-delegacia-de.html
–––––––––––-
Contatos com Dinair, dinairleite@hotmail.com

Fontes:
A Autora
Fotomontagem = José Feldman

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias Em Tempo, Paranavaí, Paraná em Trovas