Arquivo da categoria: Resultado Final

IV Concurso Pérolas da Literatura – Edição 2013 (Resultado Final)

Categoria Adulto:
MODALIDADE POESIA

1º Lugar
Pra sempre Gonzagão
Claudia Maria Santos do Nascimento
Guarujá SP

2º Lugar
Confissões derradeiras
Carlos Conceição de Freitas Ramos
Praia Grande SP

3º Lugar
Circulo Vicioso
André Luiz Soares
Guarapari ES

Menção honrosa

Odeio Horóscopo
Mário Azevedo Alexandre
São Vicente SP

Palavra entendida
Yasmim Aparecida Neves dos Santos
Guarujá SP

O mendigo
Raimunda Nonata Duarte Carvalho
Guarujá SP

E por falar em paixão
Tatiana Alves Soares Caldas
Humaitá RJ

Fuga
Sérgio Oliveira de Vasconcellos Corrêa
Guarujá SP

Pérola do Atlântico
Jaíra de Oliveira Presa
Santos SP

O Pilão
Reginaldo Costa de Albuquerque
Campo Grande MS

MODALIDADE CONTO

1º Lugar
Filha Adotiva
Carlos Conceição de Freitas Ramos
Praia Grande SP

2º Lugar
Miai
Andre Telucazu Kondo
Jundiaí SP

3º Lugar
Congraçamento Sideral
Odila Therezinha Lopes Pereira
Guarujá SP

Menção honrosa

O Velho Ator
Gustavo Fontes Rodrigues
São Paulo SP

O Caça Palavras
Sérgio Oliveira de Vasconcellos Corrêa
Guarujá SP

Herói Surfista
Solange França dos Santos
Guarujá SP

Carta Inacabada
José Eugênio Borges de Almeida
Maragogi AL

Guarujá Pérolas
Luciana Teresa Candido
Praia Grande SP

Amor Circense
Valcirene Basílio Garcia Bezerra
Guarujá SP

Lembranças de um dia de sol
Maria Isabel Barbiellini Elias
Santos SP

MODALIDADE CRÔNICA

1º Lugar
Nepotismo
André Luis Soares
Guarapari ES

2º Lugar
O reciclador
Marlene da Silva Leal
Rio de Janeiro RJ

3º Lugar
A prima vera
Carlos Conceição de Freitas Ramos
Praia Grande SP

Menção honrosa

O caranguejo nosso de cada dia
Guilherme Hernandez Filho
Santos SP

A arte de falar bem
José Reinaldo Siqueira Mendes
Mutum MG

A coisa
Leopoldo Eugênio Arnold
Horinzontina RS

Carro de beleza
Mário Azevedo Alexandre
São Vicente SP

Viajando pelo mundo da Poesia
Zélio Garcia Siqueira
Guarujá SP

No meio do caminho tinha uma montanha
André Telucazu Kondo
Jundiaí SP

O Lorde e o vira lata
Newton de Souza Nazareth
Rio de Janeiro RJ

MODALIDADE POESIA – JUVENIL

1º Lugar
Sons Urbanos
Gabriella Ribeiro Neves
E.E Marechal do Ar “Eduardo Gomes”
Guarujá SP

2º Lugar
Dica de Amigo
Rafaela Mendes
Objetivo
São Roque SP

3º Lugar
Poema Misto
Kuan Reis Pinheiro
E.E Pastor Jaconias Leite da Silva
Guarujá SP

Menção honrosa

Retrato de uma voz
Vitória Alencar de Souza
——————––
São Miguel Paulista

Infância
Thabata Aparecida Nabeto Dias
E. Don Domenico
Guarujá SP

Melodia Fiel
Victor da Silva Fernandes
E.Don Domenico
Guarujá SP

Tudo junto e misturado
Victoria Alves Nunes de Almeida
E.Don Domenico
Guarujá SP

Minha Canção
Ana Carolina de Almeida Lima
E.Don Domenico
Guarujá SP

Preocupação
João Gabriel Marques Mendonça
E.Don Domenico
Guarujá SP

Porque Jesus?
Thaiany Ferreira da Silva
E.Don Domenico
Guarujá SP

O país da letra “M”
Vitor Rodrigues Gonzalez
E.Don Domenico
Guarujá SP

MODALIDADE CONTO – JUVENIL

Luz para os meus olhos
Davi Medeiros Ferreira
————––
Itapevi SP

Fonte:
Secretaria Municipal de Cultura de Guarujá

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Concursos Literários, Resultado Final

Concurso Literário Litercultura (Resultado Final)

Os mais de setecentos textos inscritos no concurso promovido pelo Litercultura, com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba e da Gráfica e Editora Mona Lisa comprovam o êxito da iniciativa. E revelam parte da produção e das tendências de linguagem dos novos autores que estão escrevendo poemas, contos e crônicas no Paraná. Principalmente em Curitiba, de onde proveio a grande maioria dos trabalhos concorrentes.

Não foi somente na quantidade o sucesso do concurso, mas também na qualidade dos inscritos. Especialmente no gênero conto, foi preciso reler e reexaminar, comparar, refletir para, afinal, selecionar apenas no limite de vinte. Houve aí muito mais trigo do que joio.

Houve casos também de autores que inscreveram livros inteiros – romances, coletâneas inteiras de poesia e de contos. No caso dos dois últimos, entendeu-se que os autores preferiram revelar um conjunto mais amplo de sua produção, para que houvesse pelo menos a escolha de um texto.

Mas, tratando-se de um romance inteiro, infelizmente, não foi possível sequer sua leitura, por extrapolar o propósito do concurso e, claro, os gêneros do concurso. Além do mais, tratando-se uma antologia, com propósitos modestos – o de revelar bons novos autores –, as restrições já estavam definidas na própria medida do livro. Apesar disso, também foram considerados aqueles contos que, sendo extensos, não extrapolavam, entretanto, as características do seu gênero. Porque, embora uma parte das peculiaridades da modernidade e da pós-modernidade tenha sido o turvar um pouco a definição dos gêneros, eles ainda são reconhecíveis e classificáveis, inclusive os narrativos.

Também foram inscritos trabalhos que se inserem claramente em gêneros como o infanto-juvenil e o de novela gráfica ou de história em quadrinhos, e, como no critério usado para os romances, não foram considerados para a antologia.

Algumas surpresas e peculiaridades podem ser apontadas. A primeira foi a predominância da prosa sobre a poesia. E, na prosa, do conto sobre a crônica. Na prosa, a influência de Leminski é bem nítida em vários textos, e Dalton Trevisan segue como uma referência muito viva no conto, quase sempre tendo como ponto de partida e de chegada a realidade urbana. Mas peculiar mesmo é a sobrevivência do Romantismo e até do Ultra-Romantismo em diversos dos textos inscritos, e a irrupção do interesse pela Fantasia em outros, mas em grande parte epígonos do cinema ou da literatura anglo-saxã.

O intimismo convive com flashes da realidade mais bruta. Retrato ampliado do que se vive tocando a imaginação e a memória da literatura na atualidade.

Por fim, chegou-se a um conjunto de textos que refletem bem, e de modo quase homogêneo, algo como um leque das tendências e dos talentos que florescem, já floresceram ou afloram, a partir desta antologia.  Em muitos sentidos, visceral, e à flor da pele.

 RESULTADO DO CONCURSO:

POESIA
1          Tarde de Domingo, de José Tucón

2          Teia, de Matheus Alexandre Moreira Toniolo

3          A cada poema, de Giovanna Lima

4          Perspectiva, de Isabel Furini

5          Biografia de um homem, de Rodrigo Dallapiccolo

6          Caminhos, de Livia Lakomy

7          A vida das coisas, de Carla Anéte Berwig

8          Inspiração, de Fábio de Castro Quintanilha

9          Já não é, de Gilberto Gil Jesse de Oliveira

10        Viaduto, de Miguel Henrique Sandin

11        Exclamação, de Miguel Henrique Sandin

12        Já viu um olho de perto?, de Miguel Henrique Sandin

13        Gritam na casa, de Miguel Henrique Sandin

14        Alcóolatra, de Miguel Henrique Sandin

15        Sublimação, de Fabio Bioca (Fábio André Rolim De Moura)

16        As Mil e Uma Noites em 140 Caracteres Rimando, de Luiz Cezar de Araújo

17        Mobilidade, de Livia Lakomy

18        Quebranto, de Milena Vargas de Oliveira

19        Silêncios, de Giovanna Lima

20       Dois olhares, de Mário Augusto Jaceguay Zamataro

CONTO

1          Surpresa!, de Monica Kukulka

2          Tom, de Marina Yoshimi Rodrigues Mori

3          Tons, de Daniela Piva

4          Dama da noite, de Amanda Tintori

5          Dançando com garrafas vazias na banheira de tijolos, de Victor Hugo Turezo

6          Discórdia, de Luiz Cezar de Araújo

7          Pequenas tempestades, de Carolina Baldissera Damião

8          Polainas, de Laís Valério Gabriel

9          Batom vermelho-sangue, de Amanda Tintori

10        Beco 1, de Victor Hugo Turezo

11        A poça, de Tatiana Angèle de Carvalho

12        Eu, Tom & Jerry, de Rodrigo Gomes de Araujo

13        Grão de milho, de Diego Gianni

14        Sobrevivente, de Thaís Macedo

15        Luar, de Emerson Henrique Gomes Machado

16        O inferno são os outros, de Luiz Cezar De Araújo

17        O pescador de pecados, de Márcia Széliga

18        Dominique, de Paulo Roberto Anastacio Da Silva

19        Entremares, de Eliege Cristina Pepler

20        Eternidade, de Reinaldo Alexander Franco Zaruvni
 CRÔNICA         

1          Demiurgia, de Gustavo Henrique Fontes

2          Machado vs. Nietzche, de Renato Vieira Ostrowski

3          Bons tempos aqueles, de Fabricio Luiz Matoso

4          Coisas da língua, de Pulcina Maria Souza Ribeiro
5          A sétima badalada, de Mark Mielke de Lima

6          Experiências torpes, corpos viciados e mentes mais do que normais, de Evelin Raupp Maia de Almeida
7          Insone, de Nando São Luiz

8          Sorria você esta sendo filmado, de Regina Célia Rodrigues dos Santos

9          Curitiba é uma fresta, de Willy Bortolini Barp

10        Mistério nas noites de um passeio público, de Zélia Maria Bonamigo

11        Paciente CWB, de Livia Lakomy

12        O resto da vida, de Rodrigo Gomes de Araujo

13        O vento, de Surya Amitrano

14        Olha o bucheirooooo, de Alcir Chiari

15        Paciência, de Pedro Meregue Filho

16        Sábado, de Thiago Alberto Kaminski Larsen/Gustavo Moreira

17        Arte sem intelecto, de Thiago Alberto Kaminski Larsen/Gustavo Moreira

18        Visagem, de Gabriela Mendes da Cunha

19        21 de dezembro, de Celio Roberto Pereira de Oliveira
20        A Colifata. O Drama da Vaca, de Sheila Maria José Pita

Lançamento dia 20 de novembro em horário e local a ser divulgado.

Fonte:
http://www.litercultura.com.br/?p=793

Deixe um comentário

Arquivado em Concursos Literários, Resultado Final

3º Concurso Cultural “Poesia Urbana” (Resultado Final)

O Reitor do Centro Universitário de Brusque – UNIFEBE, com sede na Rua Dorval Luz, 123 – Bairro Santa Terezinha – CEP 88352-400 – Brusque/SC – Fone/Fax: 47 – 3211 7000 – home page http://www.unifebe.edu.br, considerando o disposto no Edital UNIFEBE nº 39/13, de 24/07/13, faz saber, por meio do presente COMUNICADO, o resultado do 3º Concurso Cultural “Poesia Urbana”:  1. Atendendo ao disposto no item 5.6 do Edital UNIFEBE nº 25/13, de 15/05/13, segue abaixo o resultado dos 10 participantes com os melhores poemas selecionados pela Comissão Julgadora do 3º Concurso Cultural “Poesia Urbana”

Antonio Augusto de Assis
Maringá/PR
Lamento

Arthur Hugo Ribeiro Corrêa de Araújo
Recife/PE
Mestre do nada

Diego da Silva Saldanha
Canoas/RS
Poema curto

Jorge Lander Kenworthy
Holambra/SP
Pelos correios

Jussára Custódia Godinho
Caxias do Sul/RS
Meus amigos!

Nathalie Gonçalves de Menezes
Duque de Caxias/RJ
A droga da poesia

Reginaldo Costa de Albuquerque
Campo Grande/MS
Colheita

Ricardo Fontana Alves
Porto Alegre/RS
Haicai

Rodrigo Lopes Pereira de Melo
Itajaí/SC
Haicai de julho

Thiago Oliveira de Carvalho
Rio de Janeiro/RJ
Quixotesco

Fonte:
A. A. de Assis

Deixe um comentário

Arquivado em Concurso Literário, Resultado Final

Concurso Nacional Intersedes de Trovas (Resultado Final)

A Diretoria da UBT-Curitiba tem a satisfação de informar o resultado do Concurso Nacional Intersedes 2013.

Comunicamos que a Seção BELO HORIZONTE, será a responsável pela realização do INTERSEDES 2014, haja vista que foi classificado no concurso 2013, em primeiro lugar, associado daquela Seção.

Tema: TÚNEL

1º Lugar:
Merece subir ao pódio
o glorioso vencedor
que destrói barreiras de ódio
e constrói túneis de amor.
Wanda de Paula Mourthé
– UBT- Belo Horizonte

2º Lugar
Em meio ao bélico impasse,
na escuridão de horas más,
que bom se o homem pensasse
quão branco é o túnel da paz!
Maria Helena Oliveira Costa
– UBT-Ponta Grossa

3º Lugar
Quando o trem da vida alcança
o túnel da meia idade,
nas sombras da tarde mansa
surge o perfil da saudade.
Adilson Maia
– UBT-Niterói

MENÇÕES HONROSAS
(ordem alfabética – as 03 trovas obtiveram a mesma pontuação).

Entre ilusões e esperanças,
meu amor sobreviveu
nesse túnel de lembranças
que liga meu mundo ao teu.
Almira Guaracy Rebelo
– UBT- Belo Horizonte

A vida é um túnel estreito
que à eternidade conduz.
– Só o amor nos dá o direito
ao desembarque na Luz.
Antônio Augusto de Assis
– UBT- Maringá.

Ah, coração, toma jeito!…
Calma, em tuas investidas…
ou te enclausuro, em meu peito,
em um túnel… sem saídas.
Therezinha Dieguez Brisolla
– UBT-São Paulo

MENÇÃO ESPECIAL
(ordem alfabética – as 02 trovas obtiveram a mesma pontuação).

Crista erguida, se avoluma
e, prestes a se espraiar,
vem a prancha e rasga a espuma
do túnel feito de mar…
Darly O. Barros
– UBT-São Paulo

Quando me sinto estressado,
fugindo da realidade,
vou do presente ao passado
pelo túnel da saudade.
Dulcídio de Barros Moreira Sobrinho
– UBT- Juiz de Fora.

====
Resultado do Concurso Paralelo – Somente para participantes da UBT-Curitiba.

Tema: Refúgio

1º Lugar

Um refúgio hás de encontrar,
mesmo em meio a vilania,
se souberes cultivar
a semente da harmonia.
Eliane Queiróz Gabardo

2º Lugar

Um cantinho onde o combate
é travado na poltrona
é o refúgio para um vate
que num livro se abandona.
Mário A.J. Zamataro

3º Lugar
Foram refúgio de sonhos
as tuas cartas de amor;
hoje, traços enfadonhos
que só causam muita dor.
Maurício Norberto Friedrich

MENÇÃO HONROSA

O refúgio que eu habito
para mim é tão sagrado:
é minha alma, eu acredito,
o meu lar ensolarado.
Paulo Roberto Walbach Prestes

MENÇÃO ESPECIAL

Pra minha Fé não existe
nem o menor subterfúgio.
Estando eu alegre ou triste
tenho Deus por meu refúgio.
Roza de Oliveira
A premiação será entregue aos classificados no dia 24 de novembro de 2014, durante o almoço de final de ano da UBT-Curitiba, detalhes do evento serão divulgados nos próximos dias. Lembramos que a participação no mesmo é por adesão e que a UBT – Curitiba não se responsabilizará por nenhuma despesa realizada pelo classificado para participar do mesmo, conforme regulamento do certame.
Abraços,
Andréa Motta
UBT-Curitiba.

Fonte:
UBT-Curitiba

Deixe um comentário

Arquivado em Resultado Final, Trovas

3ª Edição do Concurso Cultural Poesia Urbana (Vencedores)

Na quinta-feira, 29 de agosto, dia em que o Centro Universitário de Brusque – UNIFEBE comemora 40 anos de fundação, será realizada a cerimônia de divulgação dos poemas vencedores da 3ª Edição do Concurso Cultural Poesia Urbana, que este ano contou com aproximadamente 400 poemas inscritos de todas as regiões do Brasil. O evento inicia às 19h no átrio do Bloco C e os postais vencedores serão distribuídos.

“Novamente o concurso foi um sucesso e recebemos poemas de autores de várias cidades brasileiras. É gratificante perceber que o Poesia Urbana ultrapassou as fronteiras de Brusque e incentivou a cultura e a produção literária”, afirma o presidente da comissão Rafael Zen.

Um postal para você

Os poemas vencedores serão impressos em postais, distribuídos pela cidade de Brusque. O concurso contou com o apoio da Gráfica NF e da Sabino Comunicação, que encartará 7 mil postais no Jornal Nosso Bairro. Ao todo, serão impressos 20 mil cartões postais, sendo dois mil de cada poema classificado.

“Desta vez, será possível guardar os poemas, como se faz com os cartões postais, que são sinônimos de boas notícias, de mensagens positivas e de carinho vindas de algum lugar interessante,” completa o presidente.

Na edição anterior, o concurso levou poemas à comunidade em sacos de pão e em 2011 os colou nas janelas de ônibus.

Vencedores

Cada poeta pôde inscrever apenas um poema, que deveria ter no máximo 30 palavras. Todos são inéditos e foram analisados por uma comissão julgadora que avaliou os critérios de originalidade e criatividade na abordagem, bem como, sensibilidade e adequação ao tema proposto.

Conheça os vencedores desta edição:

RICARDO FONTANA ALVES – Porto Alegre – RS

HAICAI

De ponta-cabeça
O guarda-chuva implora
Que o sol apareça
________________________________________
RODRIGO LOPES PEREIRA DE MELO – Itajaí – SC

HAICAI DE JULHO

O inverno gritou:
– Abre-te e ouve, janela,
meu frio já te amou.
________________________________________
JUSSÁRA CUSTÓDIA GODINHO – CAXIAS DO SUL – RS

MEUS AMIGOS!

Quintana querido
Concordo contigo
Aqueles que colocam
Cascalhos no meu caminho
(ou pedras, Drummond?)
Eles vão…
Eu… Vinho!
________________________________________
ARTHUR HUGO RIBEIRO CORRÊA DE ARAÚJO – Recife – PE

MESTRE DO NADA

A ideia de tempo
É algo não-literal
Não existem atrasos
No tempo real

Tudo que escrevi
O poeta vociferou
O pretérito só é perfeito
Porque seu tempo já acabou.
________________________________________
REGINALDO COSTA DE ALBUQUERQUE – Campo Grande – MS

COLHEITA

Com mãos
de poesia
a madrugada
colhe sabores
e sabiás
nos ramos
das laranjeiras.
________________________________________
NATHALIE GONÇALVES DE MENEZES – Duque de Caxias – RJ

A DROGA DA POESIA

Dias ensolarados
Noites frias
Sinto cheiro de poesia
O ponto final
A palavra maldita
Temo a poesia
Os olhos esbugalhados
A dor da última vírgula
Não sei terminar poesia.
________________________________________
JORGE LANDER KENWORTHY – Holambra – SP

PELOS CORREIOS
Entrega registrada, necessário assinar
Propagandas coloridas, contas a pagar
Revista amassada e agora este postal…

Surpresa, amigo, sorria!
Subvertendo a ordem do dia
Hoje os Correios trouxeram poesia
________________________________________
DIEGO DA SILVA SALDANHA – Canoas – RS

POEMA CURTO

Dói feito dor a dor que é pedra
ou pluma
dói e pena
dói e dura
mas ainda
que dor pequena
sempre dor
________________________________________
THIAGO OLIVEIRA DE CARVALHO (NOME ARTíSTICO: THIAGO LUZ) – Rio de Janeiro – RJ

QUIXOTESCO

Sou herdeiro de Dom Quixote:
Busco manhãs em vaga-lumes
E sou como eles…
Ora me ilumino,
Ora me confundo com a noite.
________________________________________
ANTONIO AUGUSTO DE ASSIS – Maringá – PR

LAMENTO

Sabiá posto
em gaiola
canta triste,
perde o alento:
lembra o som
de uma viola
tocada
por um detento.

Fonte:
Texto: Elizandra Damasceno
Disponível em  UNIFEBE – Centro Universitário de Brusque

Deixe um comentário

Arquivado em Poesias, Resultado Final

IX Concurso de Trovas da Academia Mageense de Letras/ 2013 (Resultado Final)

TEMA:
ACADEMIA
(Líricas/Filosóficas)

1.º LUGAR

Deus proteja a Academia
e seus nobres beletristas
que exibem, com euforia,
um Jubileu de conquistas!!!
JOSE OUVERNEY
Pindamonhanbaga/SP

2.º LUGAR
Que glória para a cidade
ter a sua Academia:
– sinal de que a sociedade
cultiva ainda a poesia!
ANTONIO AUGUSTO DE ASSIS
Maringá/PR

3.º LUGAR
Na Arte da Sabedoria –
Escrita em Dez Mandamentos…
A vida é uma Academia,
Perpétua em todos momentos…
ANA MARIA GUERRIZE GOUVEIA
Santos/SP

4.º LUGAR
É o mundo globalizado
um deserto sem mesura
e a Academia, a seu lado,
um oásis de cultura!
RENATA PACCOLA
São Paulo/SP

5.º LUGAR
Fértil templo do cultivo
das letras e probidade,
a Academia é um arquivo
da Cultura da cidade!
EDMAR JAPIASSU MAIA
Nova Friburgo/RJ

6.º LUGAR
Academia é cultura
ou saber, em movimento,
que se aprende e que perdura
no livro do pensamento.
ANTÓNIO JOSÉ BARRADAS BARROSO
Parede/PORTUGAL

7.º LUGAR
O dono da funerária,
bom de prosa e de poesia,
fez-se em vida literária
o imortal da academia…
NILTON MANOEL
Ribeirão Preto/SP

8.º LUGAR
Vida longa à Academia
na nobre missão de ser:
seu viver para a poesia
faz a poesia viver.
DULCIDIO DE BARROS MOREIRA SOBRINHO
Juiz de Fora/MG

9.º LUGAR
Na sala da academia,
fonte da literatura,
jorra emoção em poesia,
para a sede da cultura.
VANDA ALVES DA SILVA
Curitiba/PR

10.º LUGAR
Tens, Ó nobre Academia
por teus feitos culturais,
a glória da confraria:
a láurea dos Imortais!
FABIANO DE CRISTO MAGALHÃES WANDERLEY
Natal/RN

TEMA:
TREM
(Humorística)

1.º LUGAR
Olho grande?!… Diz Francisco
igual mineiro não tem,
pois se cair no olho um cisco
ele diz: Caiu um trem!!!…
GIOVANELLI
Nova Friburgo/RJ

2.º LUGAR
É certo que prometi
Ir contigo nesse trem,
Mas quando te conheci
Ele partiu sem ninguém.
OLÍVIA ALVAREZ MIGUEZ BARROSO
Parede/PORTUGUAL

3.º LUGAR
No vagão superlotado
É tanto o calor no trem
que quem se abana, sentado,
abana os troços de alguém!
EDMAR JAPIASSU MAIA
Nova Friburgo/RJ

4.º LUGAR
Com muito orgulho, dizia,
lá na Central, a mocinha:
“Eu pego o trem todo dia
pra mostrar que ando na linha!”
MARIA MADALENA FERREIRA
Magé/RJ

5.º LUGAR
Ante o acidente de trem,
O luso quebra um trenzinho
E se explica para alguém:
– Mato enquanto é filhotinho!
RENATA PACCOLA
São Paulo/SP

6.º LUGAR
Por assédio à passageira,
o maquinista apanhou!!!…
Na maca, diz pra enfermeira:
– O meu trem… descarrilhou…
THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA
São Paulo/SP

7.º LUGAR
Rebolando num vaivém
que esbanja provocação,
sempre que ela entra no trem,
leva os homens da estação!
JOSAFÁ SOBREIRA DA SILVA
Rio de Janeiro/RJ

8.º LUGAR
Sempre que o trem apitava,
rompendo na madrugada,
o casalzinho acordava,
e aumentava a filharada!
CAMPOS SALLES
São Paulo/SP

9.º LUGAR
Sogra Maria-fumaça
Foi o “trem” que Deus me deu,
Fumar é sua desgraça,
Quem leva fumo sou eu.
FLÁVIO FERREIRA DA SILVA
Nova Friburgo/RJ

10.º LUGAR
A prudência nos ensina
que a boa escolha faz bem!
Por isso, desde menina…
não embarco em qualquer trem!
DIVA MARIA DE MORAES
Nova Friburgo/RJ

Deixe um comentário

Arquivado em Concurso Literário, Resultado Final, Trovas

I Festival de Haicais de Petrópolis (Resultado Final)

Tema: A influência das estações do ano nas paisagens petropolitanas.
Categoria: Poetas adultos Nacional (exceto Petrópolis)
1º Colocado

Sob o sol de inverno
A abelha zumbe nas horas.
– Relógio de Flores
(Paulo Cezar Tótora – RJ)

2º Colocado

Quadro impressionista,
Quitandinha sob o ruço
Natureza artista.
( Elenir Moreira Teixeira – Niterói – RJ)

3º Colocado

Brisa serrana,
de que fome de vida
sua voz emana?
( Eder Luís Tomakazu Kamitani – Florianópolis – SC)

4º Colocado

Sereno ruço…
Acolhendo vidraças,
tu… choras cristais!
(Cris Dakinis – São Pedro da Aldeia – RJ)

5º Colocado

O capim dobrado
presta reverência ao vento
solene submissão.
(Guilherme Lessa Bica Machado – Porto Alegre – RS)

Deixe um comentário

Arquivado em Concurso Literário, Resultado Final