Arquivo da categoria: Canoas

Casa do Poeta de Canoas (Sarau de Aniversário)

A Casa do Poeta de Canoas realizará 

Sarau de Aniversário 

28/09/2012, Sexta-feira, às 19 horas 

no Conjunto Comercial Canoas

Rua 15 de Janeiro, 481 – Centro / Canoas
Gostariamos de contar com o prestígio da presença de todos nosso associados, 
parceiros, amigos e simpatizantes para abrilhantar este evento que comemora os 
10 anos de existência de nossa entidade.. 

Maria Luci Cardoso Leite
Presidente da Casa do Poeta de Canoas

PROGRAMAÇÃO DAS ATIVIDADES ALUSIVAS AOS 10 ANOS DA CASA DO POETA DE CANOAS

Dia 26 de setembro (quarta-feira)

Participação no XX Congresso de Poesia na cidade de Bento Gonçalves , com apresentação do Grupo de Teatro da Casa do Poeta com a peça TRAVESSIA.

Dia 28 de setembro (Sexta-feira)

19h – Sarau de Aniversário no Conjunto Comercial de Canoas.

Dia 2 de outubro (Terça-feira)

18h30min – Abertura Oficial de Exposição de fotos dos 10 anos de atividades da Casa do Poeta na Biblioteca Publica João Palma da Silva.

19h – Projeto Confraria da Leitura – Auditório da Bibliotecas João Palma da Silva.

 Palestrante: Jornalista e escritor Canabarro Tróis Filho (Tonito), tendo também a presença do Irmão Henrique Justus.

Dia 5 de outubro (Sexta-feira)

19h – Tributo a Roberto Carlos, com Luis Lisboa e Norberto Prado.
 Antiga estação férrea – Av. Victor Barreto, 2301 – Centro – Canoas

Dia 6 de outubro (Sábado)

12h – Almoço Comemorativo aos 10 Anos de nossa entidade, com Sarau Poetico Musical e Lançamentos da Coletânea da UBE Nucleo Canoas , Coletânea Dasnieve Daspet e Amigos núcleo Canoas e o livro “Amor de Alma” da escritora Neida Rocha.

 Restaurante Italianíssimo – Coronel Vicente, 260 – Centro – Canoas.

Dia 9 de outubro (Terça-feira)

13h – Lançamento da 4ª Edição do Projeto Poesia no Ônibus.

Dia 9 a 11 de outubro

Participação com contação de história, oficinas literárias e Sarau na feira do livro da Escola Estadual Érico Veríssimo no bairro Igara

Dia 18 de outubro (Quinta-feira)

18h – Homenagem na Câmara de Vereadores pelos 10 anos de atividades da entidade.
 Câmara Municipal de Canoas – Rua Ipiranga, 123 3º andar – Centro

Dia 26 de outubro (Sexta-feira)

15h – Homenagem aos Ferroviários pela passagem do seu dia (31/10), com Exposição de objetos cedidos pelo Museu do Trem de São Leopoldo e exibição do curta metragem “Dormentes do Tempo”, na versão original 30mm.
 Antiga estação férrea – Av. Victor Barreto, 2301 – Centro – Canoas

19h – Apresentação da peça A TRAVESSIA, pelo Grupo de Teatro da Casa do Poeta. Encerramento das atividades alusivas ao aniversário da Casa do Poeta de Canoas.
 Antiga estação férrea – Av. Victor Barreto, 2301 – Centro – Canoas

Fonte:
Casa do Poeta de Canoas
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Canoas, Programações, Rio Grande do Sul, Sarau

Casa do Poeta de Canoas (Lançamento da V Coletânea)



CASA DO POETA DE CANOAS
Fones: (51) 3465.5837 – 9677.0157 – 8566.2463
www.casadospoetas.com.br       |       poeta@casadospoetas.com.br

Deixe um comentário

Arquivado em Canoas, Lançamento de Livro, Rio Grande do Sul

Casa do Poeta de Canoas (Sarau de Fim de Ano)

Eis que mais um ano se encerra. Um ano em que várias realizações foram possíveis graças ao apoio de nossos associados, colaboradores e simpatizantes. Para comemorar-mos mais este período de congregação, que nos uniu em torno de um objetivo comum: cultivar a poesia, o amor e a paz, convidamos todos para participar do:
SARAU DE ENCERRAMENTO
Quarta-feira – 15/12/2010 – 19h
CLUBE CULTURAL CANOENSE
Dr. Barcelos, 1271 – Centro / Canoas

Durante o evento serão entregues os
TRÓFEUS DESTAQUE 2010,
concedidos pela Revista SÍMBOLO aos destaques culturais do ano.

Contamos com a presença de todos nossos associados, colaboradores e simpatizantes
para promovermos mais esta confraternização de final de ano.

Um grande abraço a todos e nos vemos lá.

Maria Santos Rigo
Presidente da Casa do Poeta de Canoas

Cadastre-se no site e receba por email as notícia e novidades da Casa do Poeta de Canoas.

Fone: (51) 3476.4431 / 9669.4615
www.casadospoetas.com.br poetas@casadospoetas.com.br

Deixe um comentário

Arquivado em Canoas, Notícias Em Tempo, Rio Grande do Sul, Sarau

Poesia no Onibus II

O projeto visa a divulgação dos poetas de Canoas, possibilitando a visibilidade dos trabalhos junto a população através da exposição de suas obras nos veículos de transporte coletivo da empresa Sogal. Os trabalhos selecionados foram impressos em cartazes no formato A4 que estão colocados no interior dos ônibus da empre sa. Além da Sogal o projeto contou com o apoio da SMTSP – Secretaria Municipal de Transportes e Serviços Públicos.

––––––––––––––––––
Andressa S. Lindermann
MENININHA

Um dia vi
uma menininha
chorando na calçada
em plena madrugada.

Coitadinha
daquela menininha!

Ela me pedia para comer
um pão
antes do amanhecer.
=====================
Andressa S. Lindermann nasceu em 15/4/1995, em Porto Alegre, RS, e reside em Canoas. Estudante na E.M.E.F. João Palma da Silva, onde entrou em contato com a literatura e ensaiou seus primeiros versos nas atividades escolares, aos nove anos, com a professora Nelsi Inês Urnau.
––––––––––––––
Áurea Beatriz Martins
RETRATO FALADO

O corpo cansado
já fraqueja.

Os olhos – grandes lentes de aço
agonizam na estrada.

Pés e mãos atados – pela
arrogância humana.
=====================
Áurea Beatriz Martins é natural de Porto Alegre, RS, reside em Canoas. É funcionária pública estadual. Participou da II Coletânea da Casa do Poeta de Canoas (2005).
––––––––––––––-
Daniela Santos Viana da Cunha
MAURÍCIO

Maurício,
menino moreno,
mansidão de minha alma
mistifica mansamente
o Amor em mim.
Amorosamente murmuro
mensagens de amor por ti.
Minhas manhãs ao teu lado:
macias e mornas.
Amado, mais dias anseio
amar, mostrar-te o mar,
contigo navegar,
o mundo ver, em tuas mãos.
Amém…
==========================
Daniela Santos Viana da Cunha nasceu em 5/6/1971, em Porto Alegre, RS, e reside em Canoas. Professora, bacharel em Direito pela Ulbra e pós-graduada em Direito Público Municipal, pela Pucrs. Participou da I, II e III Coletânea da Casa do Poeta de Canoas, em 2003, 2005 e 2007.
––––––––––––––-
Elvina Glória B. Resende
COMPULSÃO

A compulsão
amadurou-me a alma
e dispensou os verbos
que geravam poemas
incompletos.

E deflorou a imagem
da mulher latente
que se fez presente.
=====================
Elvina Glória Breda Resende nasceu em Guaporé, RS, e reside em Canoas há 28 anos. Formada em Direito pela Universidade Ritter dos Reis. Professora, cronista, poeta e advogada, foi colaboradora do Correio de Povo publicando poesias, e do jornal de Encruzilhada do Sul, RS, publicando crônicas. Atuou no setor editorial da Livraria do Globo. Autora do livro “Compulsão Poética, 1971. Participou da II Coletânea da Casa do Poeta (2005).
––––––––––––––-
Geni Velasques Adorne
PEDRAS

Quantas pedras no caminho
encontramos em nosso viver.
Que elas sirvam de degraus
para o nosso crescer.

Quantas pedras no caminho
ainda vamos encontrar.
Que elas sirvam de base
para um recomeçar.

Quantas pedras no caminho
quererão nos impedir.
Com fé e coragem
não podemos desistir.
===================
Geni Velasques Adorne nasceu em19/5/1948, em Uruguaiana, RS, e reside em Canoas. Graduada em Letras. Professora de ensino Fundamental. Participou da I, II e III Coletânea da Casa do Poeta de Canoas – Poesia, Crônica e Conto, em 2003, 2005 e 2007.
––––––––––––––-
Ir. Henrique Justo
TU PENSAS

Tu pensas que eu não amo, que em meu peito
Do amor a estrela amiga não fulgura,
Que nele reina eterna noite escura,
De um coração cansado cárcere estreito…

Pensas que as vibrações do amor rejeito,
Que eu padeço de Tântalo a tortura,
Que abafo o coração que, em vão, murmura
E soluça que amar é seu preceito….

Se do meu coração a sinfonia
Maravilhosa ouviras num segundo,
Tua opinião de certo mudaria.

Sim, no meu coração feliz, jucundo,
Que músicas divinas irradia,
Cabes tu, cabem todos, cabe o mundo!
===================
Irmão Henrique Justo (José Arvedo Flach) nasceu em 1922, em Montenegro, RS. Doutor em Pedagogia e Psicologia com cursos de aperfeiçoamento na Europa e EUA. Publicou centenas de artigos e 24 opúsculos em 89 edições. Foi vice-diretor da Faculdade de Educação e diretor da Faculdade de Psicologia da Pucrs. Atua no Unilasalle.
––––––––––––––-
Isar Maria Silveira
DELÍRIO

Ah! Essa ânsia
de afetos
de olhares
de beijo
Ah! Esse desejo
de toques
de abraços
de pele
Ah! Essa vontade
de tua boca
de teu corpo
….de fazer-me de louca!
====================
Isar Maria da Fontoura Silveira nasceu em 9/10/1956, em Santana do Livramento, RS. Cientista política. Publicou “Confidências” (poemas). Cronista do jornal Correio de Notícias, de Canoas. Em 2007, participou da antologia Contos Canoenses, da Associação Canoense de Escritores, selecionada por professores de Letras do Unilasalle. Participou das 3 Coletâneas da Casa do Poeta de Canoas (2003/2005/2007).
––––––––––––––-
Ivone Baptista
VOU TE AMAR

Se você me quiser bem
eu serei seu bem querer.
Se gostar um pouco mais
vou amar você até morrer.

E se disser que me tem amor…
Meu Deus! Como vai ser?

Onde encontrar, no calor
de meu peito abrasador,
maneira de agradecer
se você me quiser bem?
=====================
Ivone Baptista nasceu 29/1/1936, em Porto Alegre, RS, e reside em Canoas. Técnica de enfermagem especializada em obstetrícia. Atuou como inspetora do corpo discente em escolas públicas estaduais. Participou da II Coletânea da Casa do Poeta de Canoas e da Coletânea Alvale, de Novo Hamburgo, RS.
––––––––––––––-
Jairo Luiz de Souza
BOM-DIA, QUINTANA

Bom-dia!
Meu nome é Mário
De Andrade?
Não!
Mário Pé-de-Pilão,
Mário vagabundo,
De Lili descobre o mundo!
Sou aquele velhinho
Lembra:
Eles passarão,
Eu passarinho.
Que bacana,
Sobrenome Quintana!
==================
Jairo Luiz de Souza natural de Sapucaia do Sul, reside em Canoas há vários anos. Foi presidente da Associação Canoense de Escritores (ACE). Cursa Letras no Unilasalle, cujo concurso literário/gênero infantil venceu com o livro “O Baú da Vovó Dorvina”. Em 2003, lançou seu primeiro livro, “Eu… um rosto-Poesias e Letras”, na Fundação Cultural de Canoas. Em 2004, publicou “Era uma vez… com rima ensinando português”. Em 2005, lançou a obra “Matemática, quem diria… virou Poesia”. Está ultimando a escrita do livro “Alma nua” que terá capa do artista plástico Giovani Jung.
––––––––––––––-
Joaquim Moncks
MANIFESTO FUTURISTA

Deus se manifesta pela Poesia.
É o Altíssimo que comanda o poético.
O alter ego convida o mundo ao Amor,
chegança tardia para o derradeiro.
O homem é apenas matéria bruta,
o superior diluído na forma, nos atos.
Porque o coletivo é de Deus.
Ele falta, por vezes, mas não tarda.
Nos viventes, nada é permanente:
inexiste o contínuo, a uniformidade.
Vale o vento nas bandeiras, falso brilho.
O que é desejado de coração
também pode vir a ser.
Hosanas, amigos do Belo!

– Do livro, inédito, BULA DE REMÉDIO, 2004 / 2006.
================
Joaquim Moncks nasceu em 29/9/1946, em Pelotas, RS, e reside em Porto Alegre. Advogado, escritor e analista literário. Publicou seis livros. Coordenador Executivo da Poebras Nacional. Integra a Academia Internacional Maçônica de Letras, SP, e o grupo que publica a Revista Caosótica/RS. Possui método próprio de oficinação de poesia para escritores-alunos.
––––––––––––––-
José Ribeiro Fontes
VIOLA DE SONHO

Minha viola de sonho, cada corda é um amor,
cada traço é uma tristeza, cada música é uma dor.

Eu trago a minha viola afinada ao coração.
É por isso que ela sempre canta e chora sem razão.

Num fino fio de esperança pendurei minha viola.
Ele rompeu, foi ao chão, e hoje nada me consola.

Toquei minha viola perto da tua janela.
Ela chorou, tu sorriste. Sem querer, chorei com ela.

Vou parar minha viola, nunca mais torno a tocar
que é pra não te ver sorrindo enquanto eu canto, a chorar

Minha viola de sonho, cada canto é um amor.
Cada traço é uma tristeza, cada música é uma dor.
================
José Ribeiro Fontes nasceu em Canoas, em 1936. Teatrólogo, jornalista e radialista. Tem mais de 500 peças radiofônicas escritas e cerca de 30 peças teatrais. Seus textos, artigos, crônicas e poemas, tem sido publicados em jornais da cidade e da região nos últimos 45 anos. Participo de antologias da Fundação Cultural de Canoas e da II Coletânea da Casa do Poeta (2003).
==========================
Affonso Romano de Sant’Ana; Ana Clades T. da Silva; Ana Lúcia Costa Batista; Ancila Dani Martins; Benoni Couto; Bia Clos; Canabarro Tróis Filho; Carmen Kennis; Diane Josair Straus Paz; Eva de Souza Rodriguez e Fernando Lima.

Fonte:

Deixe um comentário

Arquivado em Canoas, Poesias

Antonio José Giacomazzi (1941 – 2010)

Giacomazzi nasceu em Salto/SP 21 de março de 1941 radicando-se em Canoas/RS. Faleceu em Canoas/RS, em 9 de setembro de 2010.

Militar da Reserva da Força Aérea, cursou Jornalismo na Fundação Casper Líbero, Artes Plásticas no Liceu de Artes e Ofícios, e Teatro, curso Eugênio Kusnet.

Com Vinício Cassiano e Voldinei Lucas introduziu em Canoas as Exposições Coletivas. Artista plástico premiado, participou de exposições em Canoas, Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Fortaleza.

Escritor e poeta, tendo seus trabalhos inseridos em uma dezena de coletâneas.

Recebeu onze prêmios literários nacionais e um prêmio internacional. Entre eles:
Moutonnée de Poesia (USP- Universidade de São Paulo/SP);
Conto e Poesia (UCS-Universidade de Caxias do Sul);
Conto ( Editora Taba/RJ);
Conto ( Alphas – Cruz Alta/RS);
Concurso Poetrix (Salvador/BA); e
Poesia ( Tietê – São Paulo, Curitiba e Ponta Grossa).

Antônio José Giacomazzi foi o patrono da 25ª Feira do Livro de Canoas, em 2009, e da II Feira do Livro de Niterói, sendo escolhido entre representantes de movimentos e entidades literárias da cidade, e poder público municipal. Na oportunidade, o nome do canoense foi sugerido ao longo dos encontros que defiram detalhes sobre o evento, junto com o de profissionais como Nelsi Urnau e Neida Rocha. Eleito pela maioria, Giacomazzi esteve à frente dos trabalhos da feira temática pelos 70 anos de Canoas, entre os meses de junho e julho do ano passado.

Publicou os livros:
Seita Diabólica (aventura, infanto-juvenil);
Tu e eu (poesias);
Como Vicente Praguetone Venceu o Diabo e Ficou Rico (sob pseudônimo);
25 anos do Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Canoas (livro comemorativo).

Sócio-fundador da Associação Canoense de Escritores (ACE) e da Casa do Poeta de Canoas

Fontes:
http://www.canoas.rs.gov.br/Site/Feira/AntonioJoseGiacomazzi.asp
http://www.deniteroi.blog.br/2010/09/morre-antonio-jose-giacomazzi.html

1 comentário

Arquivado em Biografia, Canoas, Rio Grande do Sul

Walter Galvani (1934)

Escritor e jornalista brasileiro, nascido em 1934 em Canoas (RS) tem 55 anos de carreira como jornalista e 39 como escritor.

Walter Galvani, cujo sobrenome se completa com “da Silveira”, o que denota um costado açoriano em suas raízes, tem também ascendentes alemães (Henemann), italianos (Galvani), indígenas (Santos), resultado de uma mestiçagem, tipicamente brasileira. Nasceu em Canoas, 1934, então modesta cidade da região metropolitana de Porto Alegre, capital e centro regional de comércio, indústria e prestação de serviços do estado do Rio Grande do Sul, extremo sul do Brasil. Canoas hoje tem mais de 300 mil habitantes e é um grande pólo industrial e comercial.

Foi aluno do Centro Educacional La Salle, em sua terra natal, onde fez seus estudos básicos e deu os primeiros passos na carreira jornalística, atuando no órgão interno “Ecos de São Luiz”, sob a égide do Irmão Henrique Justo. Ali mesmo fez curso de Artes Gráficas e mais tarde, em Canoas, iniciou sua carreira jornalística, no jornal “Expressão”, em setembro de 1954.

Sua formação é de autodidata mas tem vários cursos de aperfeiçoamento em jornalismo e em línguas, como espanhol, italiano e inglês.

Em fevereiro de 1955 transferia-se para a redação do “Correio do Povo”, então o maior jornal do Rio Grande do Sul, iniciando sua atividade na seção de Esportes, setor em que permaneceu por doze anos, saltando em 1958 para a redação da “Folha da Tarde”.

Desde então percorreu todos os postos imagináveis numa redação de jornal, passando a atuar também no rádio, na Rádio Guaiba AM de Porto Alegre, a partir de 1960 e mais adiante na Rádio Pampa, depois retornando para a Guaíba.

Teve várias seções especiais na Imprensa: “Sua Alteza o Esporte”, na Folha da Tarde; “Preto no Branco”, sobre atividade social, cultural e promocional no mesmo jornal e “Área Verde”, seção pioneira para tratar de ecologia e defesa dos interesses comunitários, encerrada num gesto insólito de violência da censura exercida na própria redação pela direção da empresa na “Folha da Tarde”.

Foi o iniciador do projeto de aproveitamento de jovens jornalistas, através do Estágio Profissional, a partir de 1966, na Cia. Jornalística Caldas Júnior e que redundou em grande sucesso com aproveitamento de 46% dos estudantes de jornalismo dos cursos de comunicação de Porto Alegre.

Ao longo deste mais de meio século de carreira, exerceu sua atividade nos seguintes veículos: Expressão, Correio do Povo, Folha da Tarde, Folha Esportiva, Folha da Manhã, O Momento, O Timoneiro, Jornal da Semana, Revista do Globo, revista “Rua Grande” de São Leopoldo, Jornal da Semana, rádios Pampa (1986) e Guaíba (de volta em 1991) e jornais Diário de Canoas, ABC DOMINGO, colaborando ainda com outros jornais do interior, como “A Razão” de Santa Maria, “Diário Popular” de Pelotas e “Folha do Pampa” de Caçapava do Sul, revistas como “Porto&Vírgula” (Porto Alegre), “Tópicos” (Berlim, Alemanha) e Cadernos de Literatura da AJURIS (Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul).

Foi repórter, redator, subchefe de reportagem, chefe de reportagem, subsecretário e secretário de redação, e finalmente diretor de redação, nesse caso, no jornal “Folha da Tarde” de 1981 a 1984. Hoje é colunista de diversos veículos, entre os quais o ABC DOMINGO e o Diário de Canoas, ambos do Grupo Editorial Sinos, o jornal “A Razão”, de Santa Maria, e o diário mais antigo do Rio Grande do Sul, sem nenhuma interupção desde 1884, o “Diário Popular”, da gloriosa cidade de Pelotas.

Durante três anos (1972 a 1975) editou a revista “Signo Comunicação”, dedicada a temas da área de comunicação social, com redação em Porto Alegre.

Durante o ano de 1998 dedicou-se à investigação histórica em Portugal, Espanha, Italia e França, junto às fontes primárias, de temas relativos ao descobrimento do Brasil e que valeram a informação e a experiência para escrever “Nau Capitânia”, a primeira biografia de Pedro Álvares Cabral em 500 anos de história, conforme registrou o jornal “O Estado de São Paulo”.

Sua carreira garantiu-lhe inúmeros prêmios, honrarias e o reconhecimento da comunidade. Prêmio ARI de Jornalismo da categoria Crônicas (1968 e 2001), Troféus Amigo do Livro, Amigo do Teatro, Destaque em Cultura e Jornalismo, Troféu Imortal da Cultura em 2007.

É Comendador da Ordem de Santos Dumont, conferida pelo Ministério da Aeronáutica (1983); tornou-se Comendador da Ordem de “El Leon de San Marco”, Veneza (1987); sócio benemérito da Associação Riograndense de Imprensa (1992); no ano de 1999 foi eleito para a Cadeira 25 da Academia Riograndense de Letras; recebeu o título de “Cidadão Emérito de Porto Alegre”, atribuído pela Câmara Municipal a 21 de março de 2000; recebeu o Prêmio Literário “Erico Verissimo”, da Câmara Municipal de Porto Alegre (ano 2000); Prêmio Clio de História do Brasil para o livro “Nau Capitânia” em outubro de 2000; Prêmio Jônatas Serrano, da Academia Carioca de Letras e União Brasileira de Escritores, (História) para o livro “Nau Capitânia” (novembro de 2000); pelo livro “Nau Capitânia” recebeu o Prêmio “Casa de Las Américas” de Cuba, a 31 de janeiro de 2001; recebeu a “Medalha Cidade de Porto Alegre” a 26 de março de 2001.

Foi patrono da Feira do Livro nas cidades de Canoas (1994) , Guaiba (2000), Caí (2006) e Porto Alegre. (Em 2003, na 49a. Feira do Livro da capital gaúcha.)

Publicou até aqui os seguintes livros: “Brasil por linhas tortas”, duas edições, 1970 e 1971; “Informação ou… morte” (1972); “Andanças e Contradanças” (1974); “A Noite do Quebra-Quebra”, uma novela, editora Mercado Aberto, (1993) “Um Século de Poder – Os bastidores da Caldas Júnior” (duas edições, 1994 e 1995); “Olha a Folha – amor, traição e morte de um jornal” (1996), e “Nau Capitânia – Pedro Álvares Cabral, como e com quem começamos” – cinco edições (Record, Rio de Janeiro, 1999 e subseqüentes) e uma edição em Portugal, Gradiva, ano 2000 em Cuba e México, em espanhol, 2001. O romance “Anacoluto do princípio ao fim” (2003) Editora Record e “A Feira da Gente” (2004), comemorando o cinquentenário da Feira do Livro de Porto Alegre e “Crônica – o vôo da plavra”, pela Editora Mediação em 2006, aliás premiado como livro do ano em não ficção no RGS” pela AGES (Associação Gaúcha de Escritores). “O Prazer de Ler Jornal”, Editora Unisinos, São Leopoldo, 2008 e “Dolly mudou a minha vida”, editora Age, entrevista com Christiane Campello Costa.

Tendo-se dedicado à pesquisa histórica com vários trabalhos em andamento tem apresentado artigos, comunicações e palestras em diversas oportunidades e eventos, como na 9ª Jornada de Literatura de Passo Fundo, onde falou sobre “leitores do futuro” (2001).

Participou de uma antologia de crônicas sobre Porto Alegre, premiada com o Prêmio Açorianos de 1994, denominada “A Cidade de Perfil”, coordenada por Sérgio Faraco e de uma antologia “Brasil: receitas de criar e cozinhar”, organizada por Patrícia Bins, edição da AGE Editora, 2001. Pela editora Casa Verde participou de três antologias de mini-contos.

É considerado um dos maiores incentivadores da indústria turística no Rio Grande do Sul pelo seu trabalho permanente no setor e pelo que fez especialmente pela Região das Hortênsias, agrupando Gramado e Canela. Recebeu o título de “Comendador das Hortênsias” pelo município de Gramado (2001).

Exerce ainda as funções de consultor para a área de Comunicação Social, tendo passado por grandes instituições e empresas como o Hospital Moinhos de Vento, Zivi-Hércules, Sindicato das Indústrias Mecânicas e Metalúrgicas de Canoas, Iriel Indústrias Elétricas e Urano Indústria de Balanças e Equipamentos Eletrônicos de Canoas.

Eventualmente tem colaborado com grandes órgãos de comunicação da imprensa mundial como o jornal “Clarín”, de Buenos Aires, Argentina.

Atualmente, está atuando no Conselho Estadual de Cultura, como conselheiro.

Durante quatro anos, de 2003 a 2007, atuou como integrante do Conselho Estadual de Cultura do estado do Rio Grande do Sul.

Desenvolveu trabalho como assessor cultural da Pró Reitoria de Extensão da PUCRS durante três anos, de março de 2005 até o final de 2007.

Atualmente fala às quintas-feiras dando “Dicas de Literatura”, na rádio Guaíba AM de Porto Alegre, no programa apresentado por Jurandir Soares, “Guaiba Revista” levado ao ar às 14h30min.

Está trabalhando em mais duas pesquisas que, provavelmente, renderão novos livros.

Na gaveta, um romance pronto e um livro de contos, aguardando oportunidade na fila, para publicação.

Lecionou, já para duas turmas da Unisinos, a cadeira de “Biografia e Autobiografia”, no Curso de Formação de Autores e Agentes Literários.

Está realizando oficinas na área de Biografia e Autobiografia.

Fontes:
http://www.waltergalvani.com.br/
http://www.escritoresdosul.com.br/

Deixe um comentário

Arquivado em Biografia, Canoas, Rio Grande do Sul