Arquivo da categoria: Bandeirantes

Trova 153 – Istela Marina Gotelipe Lima (Bandeirantes/PR)

Montagem da trova sobre charge de Ivan Cabral
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Bandeirantes, Paraná em Trovas

Castelo de Trovas (Bandeirantes/PR)

No meu jardim encantado,
belas flores cultivei:
filhos meus que, com cuidado.
fé e amor, eu lapidei!
(Alice Bonfim Metring)

No alto daquele gramado,
que linda flor amarela!
Mas, que destino malvado…
Hoje, enfeita uma lapela!!!
(Dâmila Fernanda Figueiredo)

Meu medo não é morrer
por quem amo tanto assim.
Meu dilema é não saber
se esse alguém morre por mim.
(Élson Souto +)

Velhos sonhos, na lembrança,
vou mantendo em meu viver…
Não abandono a esperança
de que irão acontecer!
(Istela Marina Gotelipe Lima)

Amor, carinho e esperança
marcaram as nossas vidas…
Hoje, somente a lembrança
nas fotos envelhecidas!
(Janete de Azevedo Guerra)

Comecei seguir viagem,
e em meu destino, pensando,
eu voltei… faltou coragem
de deixar “alguém” chorando!
(Jéssica Fernanda Costa)

Todos devemos cuidar
da água que nós bebemos
para quando precisar
saber que sempre a teremos
(Lucas Paulo Alves de Souza)

Nunca se dê por perdido
nos labirintos da vida;
a entrada perde o sentido,
se não se busca a saída!…
(Lucília A. T. De Carli)

Neste amor desencontrado,
busquei sempre ser feliz.
Eu quis ficar ao seu lado,
mas o destino não quis.
(Maria Angélica Mathias)

Relembrando bons momentos
de paz efelicidade,
viajam meus pensamentos
nos momentos de saudade!
(Maria Aparecida Roxo Santos)

O grande herói nesta vida
é aquele que para e pensa
em dar perdão, sem medida,
por maior que seja a ofensa!
(Maria Helena Cristovo)

De ilusões eu fui vivendo
e a esperança, disfarçada,
via os meus sonhos morrendo
e nunca me disse nada!
(Maria Lucia Daloce Castanho)

O dilúvio sem igual
que dizimou os ateus
não era chuva, afinal…
eram lágrimas de Deus!
(Nathan Osipe)

Desconhece a própria vida
quem julga a roupa ou a cara,
pois é na fenda escondida
que brota a orquídea mais rara!
(Neide Rocha Portugal)

Velha casa de madeira
presente em minha lembrança…
– Oh, saudade verdadeira
dos meus tempos de criança!
(Neila Martelli Toledo Campos)

Com água a vida é mais doce,
e com tanta luz divina,
a vida é como se fosse
uma fonte cristalina!!!
(Saulo Patrick Pereira Maia de Ávila)

Quantas vezes uma vida,
que tão mansa nos parece,
tem no mistério escondida
a dor que nunca se aquece.
(Wanda Rossi de Carvalho)
———–

Fontes:
XXV Jogos Florais de Bandeirantes,PR – 2008
Boletim Nacional da UBT – junho de 2009

Deixe um comentário

Arquivado em Bandeirantes, Paraná em Trovas

Trova 106 – Istela Marina Gotelipe Lima (Bandeirantes/PR)

Deixe um comentário

14 de janeiro de 2010 · 21:00

Trova XCV – Neide Rocha Portugal (Bandeirantes/PR)

Deixe um comentário

27 de dezembro de 2009 · 19:13

Trova LXXIV – Isabella Sartori Decarli (Bandeirantes/PR)

Imagens obtidas na internet com montagem de José Feldman

Deixe um comentário

Arquivado em Bandeirantes, Paraná em Trovas

Trova LXIX (Neide Rocha Portugal – Bandeirantes/PR)

Fonte:
Montagem do quadro e da trova sobre as imagens obtidas nos blogs http://aventurasdavidacomum.blogspot.com/ e http://vidadebebado.blogspot.com/

Deixe um comentário

Arquivado em Bandeirantes, Paraná em Trovas

Trova XLVII

Deixe um comentário

20 de julho de 2009 · 23:05