Arquivo da categoria: concurso de microccontos

3º Concurso de Microcontos de Jundiaí (Resultado Final)

A honestidade exemplar – José Augusto Coppi 
A melancolia que não me deixa nunca – Avelino Aparecido Alves 
A noite é uma criança – Reginaldo Costa Albuquerque 
A última viagem – Neide Maria Gotardo Nallin 
Amizade de pano – Maria Helena Boa Hattor 
As aventuras de Paulo – Odila Biagliolli Cruz 
As pérolas do Rio Tietê – Valdeci Mantovam 
Assalto emocional – Priscila Rodrigues Fernandes 
Assina na cruz – Francisco José Carbonari 
Barbárie – Rodrigo Domit 
Caixa de Música – Rodrigo Domit 
Casa comigo? – Laís Cera de Souza 
Confidências a Ruth – Avelino Aparecido Alves 
Conto (da irmã) do vigário – Maria Celina Tafarelo Atuati 
Conto ou não conto – Sylvia Angelini 
Coquinho o cãozinho – Iracema Camargo Neves Büll 
Corpo-a-corpo – Heldon Vital de Melo 
Descobertas de um menino – José Augusto Coppi 
Dez minutos – Levi Alves Patez 
Dia dos namorados – Laís Cera Souza 
Do pó ao pó – Neide Maria Gotardo Nallin 
Doce canção – Wanderson Ciambroni 
Enumerando o amor – Joel Garcia da Costa 
Férias no campo – Flávio Ferreira Menten 
Ficha limpa – Edweine Loureiro da Silva 
Finalmente, sábia decisão! – Marlene Liveraro Bodelaci 
Gás – Reginaldo Costa Albuquerque 
Interdição – Roque Aloísio Weschenfelder 
Invasão enluarada – Jocely Rodrigues Nadal 
Maldição – Tatiana Alves Soares Caldas 
Moleque Dedé – Levi Alves Patez 
No batente – Geraldo Trombin 
O ar dos monges – Sidney de Souza Breguêdo 
O caderno de Flávio Nulle – Mariana Cera Souza 
O ferroviário – Edweine Loureiro da Silva 
O homem perfeito – Mariana Cera Souza 
O plano de Salomão – José Augusto Coppi 
O pracinha – Luiz Gondim de Araújo Lins 
O que fazer no jantar? – Edileuza Bezerra de Lima Longo 
O único bem – Maria Aparecida S. Coquemala 
O vendedor de pipocas – José Martins 
Olimpíada em casa – Robson Milan 
Para sempre – Laís Cera Souza 
Perdidos – João Pedro L. V. C. Delprá 
Prá mió, é – Denílson Donizete Dulianel 
Quando a vida se esquece de aguém – Edileuza Bezerra de Lima Longo 
Só ebriedade – Arthur Aprígio Faria Júnior 
Sureal – Vera Alves de Oliveira 
Traição – João Pedro L. V. C. Delprá 
Vilarejo misterioso – Jocely Rodrigues Nadal 
O lançamento do livro está previsto para 05 de novembro no Museu Histórico e Cultural de Jundiaí. 
Fonte:
Http://concursos-literarios.blogspot.com 
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em concurso de microccontos, Resultado Final

Concurso Internacional de Microcontos ‘Conto Minguante’- Quaderni Ibero Americani (Resultado Final)

1º LUGAR:
“Espanhola”
Marcela Aparecida Ribeiro Ferreira (Poetisa Errante)

2º LUGAR:
“Peixe Podre”
Therlanderson Gley Alves (Alonso Quijano)

3º LUGAR:
“Kindengarten”
Gabriela Cordaro (Francesca Rimini)

Fonte:
http://microcontosqiapor.blogspot.com.br/2012/07/os-diretores-da-quaderni-ibero.html

Deixe um comentário

Arquivado em concurso de microccontos, Resultado Final

II Concurso Todoprosa de Microcontos (Resultado Final)

Após incontáveis releituras, o primeiro lugar vai para Mara Augusta Soares pelo prodígio de, pronunciando apenas oito palavras cuidadosamente pesadas, desenhar um não-dito de dimensões vertiginosas entre a violência realista – tom eleito pela maioria dos concorrentes – e o lirismo, o mundo lá fora e o mundo aqui dentro, borrando irremediavelmente suas fronteiras:
Ao pular na garganta do penhasco, ele sonhou.

O segundo lugar premia uma tendência que pouco apareceu no concurso anterior, mas que desta vez – em outro sinal, talvez, de que o formato vai sendo abordado de modo mais consciente – contou com diversos representantes: a metalinguagem. Leandro Henrique assina o microconto que fez melhor uso dela, jogando ainda humor e um trocadilho inteligente na mistura. Quem se der ao trabalho de contar o número de toques do conto descobrirá que a conta fecha rigorosamente:
Conto 150. Mas assim o conto não vale, diz: valor é isso menos 10. Peço o troco. Ele devolve 20. E assim é que se faz um desconto.

O terceiro colocado, Alexandro de Camargo, é o autor da história de maior fôlego histórico, um insight de fazer inveja a papas da psicologia evolutiva como Steven Pinker:
A escrita cuneiforme teve início com as garras das bestas-feras nas peles trogloditas. Cada confronto deixava gravado: “aperfeiçoe-se”.

Menções Honrosas

Para encerrar o capítulo do II Concurso Todoprosa de Microcontos para Twitter, publico algumas histórias que mereceram menção honrosa e que ajudam a ilustrar a diversidade de estilos e efeitos abarcada pelos atuais praticantes do formato ultracurto. Carlos Seabra, por exemplo, consegue alçar um bom voo no terreno da fantasia em apenas 116 caracteres:

Os semícaros eram um povo unialado, cada qual com uma única asa. Para voar, tinham que escolher alguém e se abraçar.

Edson Victor Lima toma o caminho oposto, o do realismo cru que, frequentemente carregado de violência e desespero, tem a preferência da maioria dos cultores da narrativa mais-que-sucinta. Isso é compreensível – com o tempo tão escasso, nocauteemos logo o leitor – mas também traiçoeiro, por produzir um efeito que, já esperado, tende à mesmice. O microconto de Edson se destaca mesmo assim, talvez ao preço de reduzir um pouco além do desejável o espaço do não-dito:

Saco o iPhone para a última tuitada: “Me sigam, hahahaha.” Quem pode imaginar que essa é uma gargalhada de desespero? Pulo.

Já a micronarrativa de Bárbara M.W. deixa um mundo inteiro de subentendidos num flagrante doméstico de banalidade pungente:

Clara abriu a gaveta de calcinhas. Era a decisão mais importante de seu dia.

Os casos seguintes são curiosidades, mais duas para a lista de paródias de “O dinossauro”, o famoso microconto do guatemalteco Augusto Monterroso: “Quando acordou, o dinossauro ainda estava lá”. Reproduzo-os porque reforçam a ideia, lançada aqui no post anterior, de que esse gênero emergente começa a demonstrar a consciência de ter uma história. O primeiro é de Igor H. Oliveira, o segundo de Ricardo Fontana Alves:

Quando ele entrou na caverna, o desenho do dinossauro ainda estava lá.

Quando acordou, a folha em branco ainda estava lá. Monterroso levantou-se e fez um café. “Merda!”, exclamava.

Com histórias de bom nível, completam a lista de 24 autores que chegaram à final Aline Naomi, Daniele Cristyne, Denival Fernandes Moreira (vencedor da primeira edição), Eduardo Sabino, Felipe Rodrigues Araújo, J.M. Cantarino, Jane Ciambelli, José Marins, Kelly Maciel, Maria Fernanda, Matheus Mavericco, Rafael Zen, Soraya Felix, Vinícius Magalhães e Zé Alfredo.

De resto, um lamento: que Gilmar da Silva Cabral tenha se atrapalhado com a contagem de toques. Exemplo notável de uso do detalhe e da especificidade para dar consistência a um drama universal, seu microconto só deixou de figurar entre os primeiros colocados porque, com um estouro de 18, me obrigou a eliminá-lo (naturalmente, sendo um concurso “para Twitter”, fica entendido que os espaços entre as palavras entram na conta). Isto não é, portanto, uma menção honrosa – é um lamento mesmo. Como seria bom neste momento ser editor e não jurado para podar umas letrinhas sem cometer uma injustiça com os outros concorrentes:

Irajá. Hospital Reviver. Asilo Feliz. Casa dos Filhos. INSS. Lar na Penha. LWA Ltda. UNIG. Colégio Educar. Creche Baú. Casa dos pais. Berço. Útero. Concepção.

Fonte:
http://concursos-literarios.blogspot.com

Deixe um comentário

Arquivado em concurso de microccontos, Resultado Final

II Concurso Todoprosa de Microcontos para o Twitter (Prazo: 13 de Julho de 2012, às 13h)

Organização:
Sérgio Rodrigues
Blog Todoprosa
Regulamento:
Em 2010, quando organizei aqui um concurso de micronarrativas em formato Twitter, com 140 toques no máximo, aberto a todos os leitores, prometi uma segunda edição da brincadeira. Chegou a hora de cumprir a promessa.
Como principal inovação do regulamento, o limite caiu de dez para três microcontos por autor. Isso provavelmente vai reduzir o número de textos inscritos, mas ao mesmo tempo – esta é a aposta – elevar a qualidade média. Eis as regras:
1. O microconto deve delinear uma narrativa (história) em 140 toques no máximo.
2. Cada leitor pode inscrever até três microcontos, desde que submeta um por vez.
3. Os contos devem ser inscritos diretamente na caixa de comentários abaixo [desta postagem], identificados pelo nome do autor e com email para contato (este não aparecerá para o público).
Clique AQUI PARA ACESSAR A CAIXA DE COMENTÁRIOS.
4. As inscrições se encerram no dia 13 de julho às 13h.
5. Os três melhores microcontos serão publicados neste blog em forma de post e o resultado, divulgado no Twitter e no Facebook.
6. A comissão julgadora é composta de um homem só, eu mesmo, e suas decisões são soberanas.
O prazo começa a correr agora. Desejo boa sorte a todos os micronarradores. 
Fonte:

Deixe um comentário

Arquivado em concurso de microccontos, Inscrições Abertas