Marcia Sanchez Luz em Xeque

Apresentação

Falar de Márcia Sanchez Luz é falar de modernidade, de contemporaneidade. Márcia é, com certeza, uma das mais frequentes escritoras na maior ferramenta de comunicação da atualidade , a internet – para nós, brasileiros – ou a WEB, para o resto do mundo.

Entretanto estar presente na internet pode não significar nada, como pode significar muito. Afinal, alguém já disse que a internet deixa passar o que há de pior e o que há de melhor qualidade do mundo. Bem, o espaço é livre e, enquanto livre, é lugar que todos podem freqüentar sem censuras.

E é aí que Márcia se diferencia. Márcia é o que de melhor qualidade a internet tem deixado acessar em termos de literatura. Sua poesia, seus sonetos, suas trovas, tudo em Márcia traz o selo da qualidade. Não é para menos que esteja presente em tantos sítios (ou sites para os poliglotas), além dos seus. E olha que ela tem sido publicada por gente de indiscutível qualidade. Não é por menos ainda que seus sites, de tão atraentes e de tanta qualidade têm sido agraciados com diversos prêmios.

Talvez porque Márcia escreva com a alma. Sua pena é dotada de sentimento. Pena viva, que respira, não como respiram os seres humanos, mas inspira, vagarosamente, para sentir o tocar suave da inspiração e expira para expelir, suavemente, em versos o que lhe ditam as emoções. E Márcia se faz… simplesmente poeta. Poetisa, melhor dizendo!

Márcia é isto e mais um pouco, mas deixemos que vocês possam senti-la em sua entrevista e em seus textos neste espaço. E já que este espaço se chama “Frühstück”, e já que “Frühstück” é um momento de pausa, quem sabe não é momento de deixar espaço para o escasso tempo de cada um a fim de que possam curtir nossa convidada, não?!
Luiz Eduardo Caminha

Entrevista

Vamos começar pelo clássico: Quem é Márcia Sanchez Luz definida por Márcia Sanchez Luz?

Uma pessoa simples na forma de viver, mas complexa e cheia de questionamentos acerca do mundo e da vida. Alguém que vive um dia de cada vez, como se cada dia fosse uma caixinha a ser aberta e descoberta a cada instante.
Dizem que sou zen… devo ser mesmo…rss… Não fico pensando no amanhã, como também não vivo o passado. Relembrá-lo já me basta.

Qual a sua profissão e quais as atividades em que você está envolvida atualmente?

Sou escritora, poeta, tradutora e professora de inglês e francês.

Quando e como começou o seu interesse pelas letras.

Acho que desde que me conheço por gente, Caminha. Aos nove anos já escrevia bastante, em especial poesias, pois tanto em casa como no colégio sempre tive muito contato com as letras. Quando pequena, enquanto todos os meus amigos iam ao clube, eu fazia longas caminhadas para chegar à Biblioteca Municipal e lá passava as tardes devorando livros. Àquela altura, já havia lido toda a coleção de Monteiro Lobato, assim como já declamava, timidamente, Fernando Pessoa (a escola onde estudei priorizava múltiplas atividades voltadas para a arte, entre elas teatro, literatura e música).

Em que aspectos ser poeta e escrever influencia ou influenciou a sua vida?

Não sei viver sem escrever, em especial poemas. Preciso disto como o ar que respiro. Assim, independente de ser ou não lida, escrever faz parte de mim. Mas é muito gratificante quando recebo e-mails e comentários de pessoas que me leem e dizem o quanto minha poesia faz diferença na vida delas! Este é meu maior presente – saber que minhas palavras tocam algumas almas.

Você já publicou algum livro? Qual o nome do primeiro, seu gênero (poesias? crônicas? contos?) e sobre o que tratava?

Tenho dois livros publicados pela Editora Protexto. O primeiro, “No Verde dos Teus Olhos”, foi lançado em 2007. Trata-se de uma coletânea de poesias, com prefácio de Airo Zamoner.

Como você se sentiu na época. O que significou aquela 1ª. Publicação para o seu ser escritora, poetisa…

Foi e ainda está sendo a realização de um sonho, o reconhecimento de meu trabalho – algo difícil num país com tanta falta de oportunidade em todos os sentidos, não só no que tange à Literatura.

Fale-nos um pouco de suas outras publicações.

Fui agraciada pela Editora Protexto, em 2008, em razão do sucesso de “No Verde dos Teus Olhos”, com a publicação de “Porões Duendes”, meu livro de sonetos, prefaciado por Leila Míccolis.

Poeta, escritora. Qual o gênero que você mais se identifica?

Adoro me comunicar através da poesia! É como digo em um de meus poemas, intitulado Expurgo:

Transborda em mim
a alma de poeta que,
mesmo em festa,
apura o que não presta.”

Sua experiência em publicações na Internet é riquíssima. Seu blog “O imaginário” é leve, solto, gostoso de navegar e mostra toda a sua sensibilidade para a poesia. Além destes há muitos outros em que você mesma é autora ou publica. Como começou isto tudo?

Obrigada, Caminha! Levo muito a sério tudo o que faço, estudo muito e trabalho cada poema como se fosse um filho.
Minha experiência com a internet começou no final de 2006, a partir de um contato que tive com Leila Míccolis, editora do Portal Blocos Online, para onde comecei a enviar minhas colaborações literárias. Até então, minha opção era pelo anonimato. Em abril de 2007, fui convidada a participar da antologia digital “Saciedade dos Poetas Vivos”, de Blocos.
Como a internet é um espaço democrático, achei que seria interessante divulgar poesia e torná-la algo mais acessível à população que não tem como escolher entre a comida e a leitura. Assim, decidi criar um blog, o “Márcia Sanchez Luz”, com o intuito de publicar não só meus poemas, mas também os de diversos escritores. Como não queria me ater só à poesia, optei por divulgar eventos e notícias culturais.
“O Imaginário” surgiu a partir da idéia de centralizar parte de minha obra em um blog, diferentemente do primeiro – o qual continuo sempre atualizando.
Como a interação com os leitores é grande e extremamente gratificante em blogs, comecei a pensar na possibilidade de reunir os melhores comentários em um outro espaço, o “Repercussão Literária – Fortuna crítica da obra de Márcia Sanchez Luz”, como uma forma de retribuir o carinho imenso que recebo de todos que me leem.
Quanto aos outros espaços que me divulgam, são todos blogs, sites e portais muito bons, o que para mim é uma honra. E fico muito feliz com essa divulgação. Afinal, as palavras tem força, ainda mais quando escritas. Não vejo modo mais eficaz de mudar a realidade.

Você acredita em Deus. O que isto significa em sua vida?

Deus é luz, amor, está presente em minha vida em todos os momentos – bons e ruins. Na verdade, Ele está presente em cada ser…é só prestar atenção. Ele vive nos dando alertas e dicas. Não acredito na Igreja como instituição, pois que feita pelos Homens; e cada um tem um modo de interpretar as palavras do Criador. O problema é que tem tanto maluco querendo ganhar dinheiro às custas da fé!

Você considera a Internet uma ferramenta que acabou por despertar a literatura? Há chances da literatura tomar mais impulso através deste instrumento?

Acho que me adiantei, não é mesmo? Eu quero crer que sim, Caminha! Os blogs são um bom exemplo disto, exatamente por terem ferramentas que possibilitam ao leitor interagir com o escritor. Nada melhor do que essa proximidade para estimular o hábito de ler. Leitura é alimento para a alma, é também fonte de aquisição de conhecimento, o que capacita o ser humano a atuar mais em sua realidade e saber-se agente transformador, sujeito apto a mudar sua condição no mundo. E esta conscientização deve vir através de diferentes fontes – a internet é hoje uma das mais acessíveis fontes de conhecimento, além de possibilitar escolhas diversas. O acesso à literatura pela internet tem até um caráter lúdico, o que estimula o leitor a buscar, a partir das referências encontradas (citações, links), outros espaços literários.

Que recado que você daria a todos os que gostam de escrever e ainda não tiveram uma oportunidade de publicar um livro?

Que leiam muito, muito mesmo. E sempre. E que escrevam muito também, encarando o ato de escrever como um exercício. Que entendam que escrever exige trabalho árduo e constante. O poema, depois de feito, precisa ser lapidado, o que demanda humildade, paciência e senso crítico por parte de quem o escreve. O mesmo se aplica ao texto linear.

Qual o recado que você daria a todos os escritores e poetas?

Não sei se daria algum recado. Talvez diria que precisamos nos unir no sentido de fortalecer a classe e fazer com que o escritor seja reconhecido profissionalmente.

Escrever, para você, significa mais uma auto-realização ou você acha que a literatura e os seus trabalhos podem servir para a realização dos leitores? Para a construção de consciências?

Escrever é tudo isso. A realização pessoal acontece em dois momentos distintos: ao terminar um poema e gostar do resultado do que antes estava na esfera do idealizado e sentido. O segundo momento é receber o retorno dos leitores, que carinhosamente afirmam a importância de meus poemas em suas vidas.

O que significou e significa a leitura em sua vida?

O alimento que meu espírito precisa. A leitura abre caminhos, sejam eles cognitivos ou oníricos.

Um gênio aparece em sua frente e lhe diz: Faça três pedidos que poderiam mudar o mundo. O que você pediria?

Que todos sejam vistos como seres especiais e capazes de grandes realizações. Que haja paz na humanidade. Que o respeito aos direitos fundamentais dos Homens sejam cumpridos; nisto incluo a alimentação, moradia e garantia de estudo e de assistência médica.

Vou lhe dar um mote: um verso de Jalaludin Rumi, um dos maiores poetas do mundo, um afegão, que viveu entre 1207-1273 no seu poema “Em um dia, quando o vento é perfeito”:

Em um dia, quando o vento é perfeito,
As velas apenas precisam abrir-se,
E o mundo se encherá de beleza.
Hoje é um dia como este.”

Agora é com você!

O vento vem chegando, é tão bem-vindo!
Vem vento, vem buscar os sonhos meus!
Não é preciso muito para o mundo
vir a tornar-se espaço só de paz.

Obrigado Márcia. Deus lhe abençoe. Seu recado final.

Eu é que agradeço, Caminha. Foi um prazer estar aqui com você. Espero ter correspondido às suas expectativas e lhe desejo todo o sucesso do mundo.
Queria aproveitar a oportunidade para deixar os links de meus blogs e do site para aquisição de meus livros, pode ser?

[Márcia Sanchez Luz] – http://marciasl2001.blogspot.com
[O Imaginário] – http://poemasdemarciasanchezluz.blogspot.com
[Repercussão Literária] – http://marciasanchezluz.blogspot.com
[No Verde dos Teus Olhos] – http://www.protexto.com.br/livro.php?livro=145
[Porões Duendes] – http://www.protexto.com.br/livro.php?livro=197

Fonte:
Stammtisch Confraria e Patotas.
http://www.stmt.com.br/marcialuz.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em A escritora em xeque, Contos, Entrevista, Entrevistas, Trovas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s